domingo, 3 de abril de 2016

Curso de Folclore Gaúcho - Memorial do Rio Grande do Sul

           Iniciou nesta sexta feira, dia 01 de abril, no Memorial do Rio Grande do Sul, o Curso de Folclore Gaúcho promovido pela Comissão Gaúcha de Folclore, em parceria com o IGTF, A Fundação Santos Hermann, o MTG, e o Memorial do Rio Grande do Sul.
          Antropólogos, doutores,mestres, folcloristas formaram a equipe de palestrantes do curso.A aula inaugural foi dia 01 de abril, as 18h com a Antropóloga, professora doutora, Maria Eunice Maciel. O curso  conta ainda com a professora Paula Simon Ribeiro,  Ivo Benfatto,  Elma Santana, Octávio Cappuano  Rogério Bastos  Cristina Rolim, Vinicius Brum, Neusa Secchi  entre outros.
          Nilza Lessa, viúva do Saudoso Barbosa Lessa, se fez presente na abertura do evento e foi muito assediada pelos alunos para registro fotográfico.

Sábado - 02/04/2016 - primeiro dia "pegado" de aula

            E o sábado foi assim:
         - Conceito e Teorias do Folclore  - Culturas Populares:  Profª  Paula Simon– CGF/FSH
         -  Convenção da Diversidade Cultural:  Prof. Ivo Benfatto – CGF/FSH
           - Origem e formação étnica do gaúcho – contribuição das etnias formadoras. Prof. Rogerio Bastos CGF/MTG .
           – Introdução à Antropologia – Profª Dra. Maria Eunice Maciel CGF/UFRGS
           -Festas Religiosas Tradicionais: Navegantes, Medianeira, São Jorge, Santa Rita, Romarias e Procissões com Prof. Ivo Benfatto - CGF/FSH
          - Festas  Juninas –  Profª Paula Simon - CGF/FSH


                                               Domingo - 03/04/2016 - 

          Aula de musica Folclórica com a professora Doutora Cristina Rolim e de musica Regionalista, com Mestre Vinicius Brum, Presidente do IGTF.

Um comentário:

Stela Maris Paim Lemos Costa Chica disse...

Quero agradecer a oportunidade de estar enriquecendo os meus conhecimentos e também aguçando cada vez mais minha sede de pesquisa por um tema tão rico, como é o Folclore do Rio Grande do Sul. Estar ao lado de pessoas com tão riquíssimo conhecimento de causa e poder debater em conjunto com vários colegas das mais variadas regiões do estado, simplesmente é uma oportunidade única.
Como educadora, tradicionalista e amante de nossa história posso dizer que a iniciativa da Comissão Estadual do Folclore abrirá caminhos para que cada vez mais pessoas sejam incentivadas à trabalhar no campo da verdadeira pesquisa folclórica.
Agradeço ao amigo Rogério Bastos pelo incentivo em participar deste maravilhoso curso.