terça-feira, 23 de outubro de 2018

Avança projeto que vai transformar o Parque da Harmonia em temático

      Museu gaudério, fazenda e integração com a orla: o plano para conceder o Parque da Harmonia à iniciativa privada - Prefeitura avança no edital para receber propostas de empresas interessadas em administrar a área. Parque seria inteiramente dedicado à cultura gaúcha
Matéria de Gaucha ZH - Jornalista Paulo Germano
      A minuta do edital está pronta: o governo Marchezan se prepara para receber projetos de empresas interessadas em administrar o Parque da Harmonia, em Porto Alegre. Como a coluna (Paulo Germano Gaucha/ZH) adiantou em maio, a ideia é transformar o local em um espaço repleto de atrações ligadas à cultura do Rio Grande do Sul – com churrascarias, lojas temáticas, museu, parque de diversões e todo tipo de atividade relacionada à vida no campo. 

      Para conceder o parque à iniciativa privada, o prefeito encaminhou ao secretário de Parcerias Estratégicas, Bruno Vanuzzi, algumas diretrizes que considera essenciais – entre elas, a garantia de que o Harmonia terá atrações o ano todo, e não só em setembro, quando ocorre o Acampamento Farroupilha.

      Nos próximos dias, Vanuzzi se reunirá com Marchezan para debater as exigências que entrarão no edital. Algumas já estão prontas, como a coluna adianta abaixo:

1 - Alteração dos acessos
Embora o Harmonia seja vizinho da orla, hoje as duas áreas mal se relacionam. Para integrá-las, o acesso principal ao parque deixaria de ser pela ruela estreita em frente ao TRF e seria pela própria Edvaldo Pereira Paiva.

2 - Fazendinha repaginada
O espaço onde hoje ocorre o Rodeio de Porto Alegre teria atividades permanentes, sempre relacionadas à lida campeira. Algumas possibilidades: aluguel de cavalos para passeio, ordenha de vacas e escola de equitação.

3 - Nova Casa do Gaúcho
Hoje usado como salão de festas e eventos, o local receberia exibições e mostras sobre a cultura gaúcha, com venda de suvenires e o status de "marco zero" do tradicionalismo no Rio Grande do Sul.

4 - Um outro galpão crioulo
No coração do Parque da Harmonia, a churrascaria seria totalmente remodelada para oferecer o que há de melhor na culinária gaúcha. Com climatização e isolamento acústico, passaria a receber apresentações artísticas. 

5 - Acampamento valorizado
Os piquetes, que atualmente são montados e desmontados todo ano, teriam estruturas permanentes que poderiam abrigar feiras e outros eventos além dos festejos farroupilhas. Finalmente haveria uma infraestrutura elétrica e hidráulica adequada.

Galpão da Campeira do CTG Carreteiros da Saudade é destruído por incêndio

     
Foto: Rodrigo Cassol
  Um incêndio ocorrido na noite deste domingo atingiu o galpão da campeira do CTG  Carreteiros da Saudade, no bairro Bom Sucesso, em Gravataí. No momento do incidente, o local abrigava pelo menos três cavalos. Um deles ficou ferido. 

         De acordo com a patroa do CTG, Simone Bouvier, estava tudo tranquilo até às 20h. “Saímos do nosso galpão quando encerramos o curso de fandango. Fechamos tudo e fomos embora. Algum tempo depois, o vereador e ex-patrão, Neri Facin nos avisou pelo grupo do CTG, que o galpão da cozinha campeira estava pegando fogo”, disse Simone.

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Rinaldo Souto será atração do Identidade Gaúcha, desta terça

A partir das 8h da manhã na Radio Quero-Quero.net, a Sentinela dos Pampas - Com Rogério Bastos e Liliane Pappen

Passaportes carimbados para Santa Cruz, na Inter-regional de Lajeado

DANÇAS TRADICIONAIS - FORÇA A
1 CTG HEROIS FARROUPILHAS Caxias do Sul 25ª RT
2 CTG RONDA CHARRUA Farroupilha 25ª RT
3 CTG GALPÃO CAMPEIRO Erechim 19ª RT
4 CTG SENTINELA DA QUERÊNCIA Erechim 19ª RT
5 CTG ESTIRPE GAÚCHA Guaporé 11ª RT
6 CTG SENTINELAS DO PAGO Marau 7ª RT
7 CTG CHEGANDO NO RANCHO Caxias do Sul 25ª RT
8 GTF GUAPOS DA AGRONOMIA Passo Fundo 7ª RT

DANÇAS TRADICIONAIS - FORÇA B
1 CTG LAÇO VELHO Bento Gonçalves 11ª RT
2 CTG POUSADA DOS CARRETEIROS Cotiporã 11ª RT
3 DT INDUSTRIAL Passo Fundo 7ª RT
4 CTG ÚLTIMA TROPEADA Guaporé 11ª RT
5 CTG UNIDOS PELA TRADIÇÃO RIO-GRANDENSE Carazinho 7ª RT
6 CTG MANOEL TEIXEIRA Tapejara 7ª RT
7 CTG FELIPE PORTINHO Marau 7ª RT
8 CTG OS DESGARRADOS Guaporé 11ª RT
9 CTG LAÇO DA AMIZADE Casca 7ª RT
10 CTG PAISANOS DA TRADIÇÃO Bento Gonçalves 11ª RT
11 CTG QUERÊNCIA DA AMIZADE Bom Retiro do Sul 24ª RT

Modalidade: CHULA
1 JOÃO VÍTOR TEIXEIRA GTCN VELHA CARRETA 25ª RT
2 BRUNO SCHENATTO RODRIGUES GAN LAGOA VERMELHA 8ª RT
3 GUILHERME DE ANDRADES FERREIRA GAN LAGOA VERMELHA 8ª RT
4 LUIS FELIPE PROENÇA DOS SANTOS CTG RINCÃO SERRANO 7ª RT
5 HENRIQUE SOARES ZANIN GAN LAGOA VERMELHA 8ª RT
6 ANDRÉ LUIZ RIBEIRO CTG PIONEIROS DO LAÇO 8ª RT
7 LUCAS GABRIEL KELLER CTG ERVA MATE 24ª RT
8 LEONARDO SOARES TELES DOS SANTOS GTCN VELHA CARRETA 25ª RT
9 NICOLAS TEIXEIRA NOVELLO CTG HEROIS FARROUPILHAS 25ª RT
10 MAURICIO SELVINO DELAZERI CTG PAIXÃO CORTÊS 24ª RT

GAITA PIANO
1 LUCAS BIAZUS CTG RONDA CRIOULA 19ª RT
2 GUILHERME RODRIGUES CTG CHEGANDO NO RANCHO 25ª RT
3 MAURICIO SELVINO DELAZERI CTG PAIXÃO CORTÊS 24ª RT
4 WILLIAN FESTA CTG DOM LUIZ FELIPE DE NADAL 7ª RT
5 CASSIANO GUILHERMANO KRUG DT INDUSTRIAL 7ª RT
6 WESLEY CANAL GROLLI CTG TRILHA SERRANA 11ª RT
7 CARLOS AUGUSTO RODIGHERI CTG MANOEL TEIXEIRA 7ª RT
8 MATEUS PIETROBON CTG PAISANOS DA TRADIÇÃO 11ª RT
9 EDUARDO DOS SANTOS SIMON CTG MANOEL TEIXEIRA 7ª RT
10 ÉRICK HENZ DE MAMAN CTG PAIXÃO CORTÊS 24ª RT

VIOLÃO
1 GUSTAVO SALMÓRIA BORGES CTG CHEGANDO NO RANCHO 25ª RT
2 RODRIGO ZILIOTTO CTG NEGRINHO DO PASTOREIO 25ª RT
3 MAICON BALBINOT CTG GETÚLIO VARGAS 19ª RT
4 FELIPE BATTISTELLA CTG GALPÃO AMIGO 7ª RT
5 PATRICK ANTUNES CTG LALAU MIRANDA 7ª RT
6 MATHEUS VENICIUS PRADA DA SILVA CTG ESTIRPE GAÚCHA 11ª RT
7 GIOVANI RONCHETTI CTG ÚLTIMA TROPEADA 11ª RT
8 EVERTON PESSOA DE BAIRROS CTG LAÇO VELHO 11ª RT
9 MATHEUS  MOREIRA DE CAMARGO CTG SINUELO DA QUERÊNCIA 17ª RT
10 MAURICIO BUENO CTG RONDA CHARRUA 25ª RT

INTÉRPRETE SOLISTA VOCAL MASCULINO
1 LUCAS CONTINI CTG PAISANOS DA TRADIÇÃO 11ª RT
2 WILYAN ARION ANHAYA CTG UNIDOS PELA TRADIÇÃO RIO-GRANDENSE 7ª RT
3 RENAN CARLOS BEGOTTO CTG SENTINELA DA QUERÊNCIA 19ª RT
4 DOUGLAS DE BRUM CTG UNIDOS PELA TRADIÇÃO RIO-GRANDENSE 7ª RT
5 MARCOS PIROLLI DO PRADO DT CLUBE RECREATIVO JUVENIL 7ª RT
6 LUIS HENRIQUE MIGLIORINI PASCHE CTG SENTINELAS DO PAGO 7ª RT
7 JOÃO VITOR CANTU CTG DOM LUIZ FELIPE DE NADAL 7ª RT
8 DIOGO DA SILVA BORTOLON DT INDUSTRIAL 7ª RT
9 RAPHAEL LUCIANO SCARTON CTG POUSADA DOS CARRETEIROS 11ª RT
10 LEANDRO DE BITTENCOURT CTG CHALEIRA PRETA 24ª RT

INTÉRPRETE SOLISTA VOCAL FEMININO
1 EMANOELE DE MATTOS ORIOTOTE DT CLUBE RECREATIVO JUVENIL 7ª RT
2 ALESSANDRA HOPPEN CTG UNIDOS PELA TRADIÇÃO RIO-GRANDENSE 7ª RT
3 PAOLA LARREA DA SILVA MACHADO CTG LALAU MIRANDA 7ª RT
4 SABRINA BEDENDO DA SILVA CTG GALPÃO CAMPEIRO 19ª RT
5 MARIA EDUARDA DA SILVA CTG LALAU MIRANDA 7ª RT
6 JOSIANE TEREZINHA DA SILVA BEDIN CTG FELIPE PORTINHO 7ª RT
7 PAULA CRISTIANE ILHA CTG CHALEIRA PRETA 24ª RT
8 THAIS LOHMANN CTG QUERÊNCIA DO ARROIO DO MEIO 24ª RT
9 CARLA RAPKIEVICZ DONIN CTG LAÇO DA AMIZADE 7ª RT
10 JORDANA DE MARCO GIACOMELLI CTG POUSADA DOS CARRETEIROS 11ª RT
DECLAMAÇÃO MASCULINA
1 SEDINEI ANTONIO RICHTTER CTG FELIPE PORTINHO 7ª RT
2 ARIEL VAREIRO PEREIRA CTG HERDEIROS DA TRADIÇÃO 25ª RT
3 FLÁVIO SOCCOL CTG GAUDÉRIO SERRANO 11ª RT
4 LEONARDO ANDRADE CTG SENTINELAS DO PAGO 7ª RT
5 EAGRO HENRIQUE BRENNER MULLER CTG CHALEIRA PRETA 24ª RT
6 ANSELMO SILVEIRA DA SILVA DT CLUBE RECREATIVO JUVENIL 7ª RT
7 DELCIANO FERNEDA CTG FELIPE PORTINHO 7ª RT
8 ANDERSON THEODORO DE LIMA CTG HERDEIROS DA TRADIÇÃO 25ª RT
9 RAMIRO GRETHE BREGLES CTG GALPÃO DA BOA VONTADE 17ª RT
10 GUILHERME EREDIA ASSUNÇÃO CTG SENTINELA DA QUERÊNCIA 19ª RT

DECLAMAÇÃO FEMININA
1 ROSA MARIA MAKOSKI LINN CTG LALAU MIRANDA 7ª RT
2 EVELAINE ANDRÉIA BARBIAN CTG CHALEIRA PRETA 24ª RT
3 ANA JULIA CAMERA CTG SENTINELAS DO PAGO 7ª RT
4 RANI MOLINARI PRESSER CTG FELIPE PORTINHO 7ª RT
5 CAROLINE TENEDINI CTG TAQUARUÇU 7ª RT
6 SABRINA BELTRAN TUMELERO CTG LAÇO VELHO 11ª RT
7 ARIANE CUNHA DE SOUZA CTG FELIPE PORTINHO 7ª RT
8 KATIA HAHN SCHU CTG FELIPE PORTINHO 7ª RT
9 FERNANDA STEFANIE OLIVEIRA MACHADO CTG RONDA CHARRUA 25ª RT
10 GABRIELY PORTELA RAMOS CTG SENTINELAS DO PAGO 7ª RT

CAUSO
1 VILSON NUNES DO AMARAL ASS QUERÊNCIA DA POESIA XUCRA 25ª RT
2 PAULO ROBERTO ROSA CTG MOACIR DA MOTTA FORTES 7ª RT
3 DANIEL ANGELO MACHADO CTG LAÇO DA AMIZADE 7ª RT
4 VERONICA TELÓ MORESCO GAN ANITA GARIBALDI 24ª RT
5 EVERTON DOUGLAS MACHADO CTG GALPÃO CAMPEIRO 19ª RT
6 GILBERTO PEREIRA BITENCOURT CTG TRILHA SERRANA 11ª RT
7 CLAUDEMIR BRESOLIN CTG GALPÃO CAMPEIRO 19ª RT
8 ALEXANDRE DA ROSA VIEIRA DT CLUBE RECREATIVO JUVENIL 7ª RT
9 KELEN DEWES CTG CHALEIRA PRETA 24ª RT

DANÇAS DE SALÃO
1 LUÍS FERNANDO BRUXEL GAN ANITA GARIBALDI 24ª RT
MÔNICA WERMEIER

2 MATHEUS DE FREITAS BOMM CTG TROPILHA FARRAPA 24ª RT
RENATA PRESSER

3 WELLINGTON BUFON CTG SENTINELAS DO PAGO 7ª RT
JÚLIA RIGO

4 HAMILTON ALEXANDRE DO AMARAL GTF GUAPOS DA AGRONOMIA 7ª RT
ARIANE PAIM DE ALMEIDA

5 RAMON ROYER CTG TROPILHA FARRAPA 24ª RT
MICHELE BEATRIZ DREYER DE AMORIM

6 RANGEL ROTTOLI CTG TRILHA SERRANA 11ª RT
ALINE DE BORBA SPADINI

7 EDUARDO FONINI LODI CTG FELIPE PORTINHO 7ª RT
ARIANE CUNHA DE SOUZA

8 LUIS FELIPE PEREIRA ARRUDA CTG GALPÃO CAMPEIRO 19ª RT
JÉSSICA MARIA BRESOLIN

9 GABRIEL RENATO SCHONS CTG SENTINELA DA QUERÊNCIA 19ª RT
MARINA ROSELI BATTISTI

10 MARCELO AUGUSTO DA LUZ GTF GUAPOS DA AGRONOMIA 7ª RT
JULIA QUADROS

sábado, 20 de outubro de 2018

Reverenciando o passado, movimentando o presente e construindo o futuro, em Igrejinha


"O tempo e o vento" não saem da vida de Thiago Lacerda

      O ator Thiago Lacerda que interpretou Giuseppe Garibaldi, na mini-série "A casa das sete mulheres" e se identificou muito com a cultura do Rio Grande do Sul, logo depois interpretou o irreverente Capitão Rodrigo Cambará, do filme: O Tempo e o Vento, dirigido por Jayme Monjardim e que estreou nas telas em 2013.
     Nesta semana, Lacerda deu mais um passo na sua carreira como pecuarista gaúcho. Comprou dois touros da raça polled hereford. Ele já tinha propriedade arrendada em Aceguá, onde fazia a engorda de animais. Um de seus touros se chamava "Tempo" e agora ele adquiriu por um valor bastante "generoso" outro para completar a dupla: "Vento" (uma clara alusão ao filme e mini-série: O tempo e o vento).
      Thiago Lacerda se identificou com a pampa e passou a invernar animais em Aceguá, onde arrendava terras. A nova aquisição foi feita em um remate em Dom Pedrito.  

Nota de Falecimento - José Joaquim Hugo, o Teixeirinha

Ele fez questão de colocar a bandeira para esta foto
     Joaquim José Hugo. Mas por esse nome quase ninguém conhecia. Trata-se do trovador Teixeirinha, 77 anos, repentista, um grande representante da região sul do estado que nos deixou ontem, dia 19. É com pesar que comunicamos o desencarne deste amigo, que agora vai fazer versos ao lado de grandes nomes que o esperam para que percorra o caminho da luz. Nosso carinho e solidariedade à família e amigos do CTG Cel. Thomaz Luiz Osório, de Pelotas, entidade que ele representava.

     Teixeirinha se orgulhava de ostentar o troféu do 2º Festival do Mobral, no ano de 1978, pois aos 37 anos,  ficou sabendo do festival, por que era brigadiano e ouviu falar da eliminatória em Canguçú, a eliminatória municipal. Ao vencer foi levado para a fase maior em Pelotas, onde se classificou também, indo para Porto Alegre, na final do Auditório Araújo Viana. O presidente do MTG na época era José Theodoro Bellaguarda de Menenzes, e a coordenação estadual do Mobral, um dos promotores do evento, era Colorinda Emilia Sordi. 

      O trovador Teixeirinha se emociona ao mostrar o velho troféu e a medalha que, para ele, tinham valor inestimável. Trazia consigo os diplomas entregues em cada etapa pela qual passavam, até chegar a grande final. “Me orgulho muito de participar do ENART e trazer junto a memória lá do inicio, no festival do Mobral. Quando as trovas são à dinheiro a gente nem é convidado. Por isso me orgulho de um festival onde todos disputam igualmente.”, disse ele em 2015, para o Eco da Tradição.

     Descanse em Paz velho amigo. E quando estiveres nas portas do céu entra fazendo verso e alegrando os amigos, como fazias aqui.

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Começa hoje a 20ª Feira do Livro de São Chico de Paula

       Começa hoje, dia 19, e vai até domingo, 21, à beira do lindo Lago São Bernardo, a 20ª Feira do Livro de São Francisco de Paula, evento que atrai o foco da cultura literária para esta magnífica cidade da região serrana.  

          "Fui o primeiro Patrono deste evento e agora, com muito orgulho, fui convidado novamente para a mesma função, fato inédito que me tapa de satisfação pois não é fácil o reconhecimento em sua própria terra" - Disse o Patrono Léo Ribeiro de Souza.

          Entre os espaços literários, entregas de premiações dos concursos de poesias, versos, frases e desenhos sobre o livro, as atrações serão diversas e o que mais está chamando a atenção é a Feira Medieval, com pessoas vestidas com indumentária da época, inclusive com oficina de arco e flecha.

      "Convido a todos meus amigos para que subam a serra, respirem o ar puro, revigorem as energias, e passem momentos de alegria e muita cultura junto a este povo hospitaleiro de São Francisco de Paula" - convidou Souza.   
   
Fonte: Blog do Leo Ribeiro de Souza - Patrono da Feira do Livro de São Francisco de Paula

Encontro Regional: Mulheres promotoras da cultura, na 5ªRT

Uma bela iniciativa do departamento cultural da 5ªRT. Parabéns!
Serviço:
O que: 1º Encontro Regional "Mulheres promotoras de cultura"
Onde: CTG Estância Alegre - Santa Cruz do Sul
Quando: 10 de novembro de 2018 - inicio as 9h

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

CEC convida para abertura da exposição: Brinquedos e Brincadeiras do Folclore


Diretoria da CBTG participa de aula na UFMS

          Na manhã de terça-feira, 16 de outubro, membros da Diretoria da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha participaram de um seminário com acadêmicos do Curso de Artes Visuais da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). 
Fotos  e texto: Jornalista Aline Kraemer
         A atividade integra a Disciplina “Fundamentos da Cultura e Cultura Brasileira”, ministrada pela Professora Aline Cerruti. O Presidente, João Ermelino de Mello e o Secretário Geral, Dalton Castro de Camargo explicaram sobre o movimento tradicionalista gaúcho: CITG, CBTG, MTG’s, CTG’s, além dos usos e costumes, tradição e folclore. “Ficamos honrados com esse convite e em compartilhar a tradição gaúcha com os universitários que demonstraram muito interesse e respeito pela nossa cultura”, agradeceu João Ermelino de Mello. 

Viagem ao Rio Grande do Sul, de Auguste Saint Hilaire - Parte XXI

Repouso do viajante - Bailares - Índios e hábitos - Mal recepcionados

         A noite repousam em uma cabana muito simples, onde com a chuva entra água por todos os lados. No Brasil não há o hábito de se despir totalmente para dormir, nos quartos uma cama e colchão de palha, mas ali nem isso. Cada um dorme sobre o arreamento do cavalo, estendendo no chão a carona, o lombilho enrolado como travesseiro, sobre a carona o pelego e deita-se por cima, coberto e enrolado no pala com a cabeça destampada neste simples leito.

         Enquanto escreve o diário um mestiço toca em uma viola testes canções espanholas, junto dançam soldados e índias, com passos sutis em uma lenta marcha, com algumas figuras e de atitudes muito sérias e algumas vezes indecentes.

         O Alferes Antônio Francisco Souto está há 12 anos em sua estância, e de lá pra cá a província somente decai, foi invadida duas vezes pelo inimigo, era necessário mais gente, então retiram estes índios da agricultura e os tornaram soldados, deixando para trás a sua cultura, os mais jovens não aprenderam a cultivar a terra, se entregando a ociosidade, quem desejava escapar do serviço militar se espalhou pela capitania. Casamentos cada vez mais raros, com a prostituição das índias as doenças venéreas progrediram e a população diminuiu sensivelmente.

         Adiante procurou pelo Padre Alexandre, que o recebeu com extrema rispidez, negando-lhe o pouso, insistiu identificando-se melhor, e mais rude ainda ficava o homem. Montou no cavalo, disse alguns xingamentos e partiu, mas seu empregado ficou para trás e ouviu severas ameças. Então foi até o padre e lhe disse que se necessário saberiam lhe mostrar que não estava tratando com poltrões. Mas Saint Hilaire já havia sido avisado que este padre fazia uso da batina para obter vantagens indevidas dos fiéis.

        Mas depois seu guia lhe contou que este sacerdote já era conhecido por negar comida aos viajantes, mandando-os comer pêssegos no campo. Mas que poderia ter sido mais cordial se ao invés de entrar na propriedade, tivesse pedido para chama-lo e somente com a permissão entrado no local.

Locais onde rodará o longa, "A cabeça de Gumercindo Saraiva"


quarta-feira, 17 de outubro de 2018

O sucesso da pré estreia do filme "A cabeça de Gumercindo Saraiva", em noite de festa

        Uma noite de emoções e de homenagens. Assim, foi a pré estreia do filme: "A cabeça de Gumercindo Saraiva", no Theatro São Pedro, que este ano completou 160 anos de historia e que foi o primeiro local que funcionou como cinema na Porto Alegre do inicio do seculo XX.

        À convite do diretor Tabajara Ruas e da produtora Walper Ruas, fomos assistir a pré estreia do filme, que entra em cartaz no Cinemark, a partir do dia 25 de outubro. Uma sessão especial para convidados, onde o grande homenageado da noite foi o ator bageense Leonardo Machado, que faleceu aos 42 anos, vitima de um câncer no estômago. O ator gaúcho ficou conhecido por apresentar o Festival de Gramado e por seu trabalho na Globo.

         Manifestações foram sendo feitas, uma a uma, e a cada homenagem os aplausos duravam muito tempo. Então, quando o nome de Leonardo foi falado, seu rosto apareceu na tela e Murilo Rosa homenageou os pais do ator, que estavam na platéia, o teatro, em uníssono, aplaudiu intensamente. Momento de muita emoção e lágrimas.
Murilo Rosa, o Major Ramiro Oliveira, Tabajara Ruas e na imagem, o rosto de Leonardo Machado
        Lídia e Tabajara lembraram as dificuldades para preparar este longa-metragem. "A cabeça de Gumercindo Saraiva", de Tabajara Ruas, resgata a história da revolução federalista, quando a cabeça decepada do caudilho gaúcho é levada por seus adversários, dentro de um saco e, depois, em uma caixa de chapéu, desde o atual município de Santiago até Porto Alegre.

          Os tensos momentos de aproximação e afastamento entre perseguidor e perseguido, os confrontos e dificuldades, os duelos de vontade, de ambos os lados, até o desfecho dessa caçada são narrados por Ruas.

         O lado místico e sobrenatural, de um filho tentando recuperar a cabeça do pai, para evitar que não venha se tornar uma alma penada, como diz a lenda, e a perseguição a quem leva a encomenda são as ideias básicas do filme.
Fabinho Nascimento, Luciana Borges, Liliane Pappen e Rogério Bastos e os amigos do Grupo Folclórico Arte Nativa
         Com a parceria de Luciana Borges e Fabinho Nascimento, do Tome Tento, eu e Liliane Pappen, estivemos nesta sessão especial, juntamente com atores, figurantes, e profissionais das áreas da música, cinema, imprensa e política do RS. Não perca a estreia dia 25 de outubro no Cinemark. 

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Toni Sidi Pereira se manifesta sobre o Fegadan

        Trago aqui a manifestação de Toni Sidi Pereira, que saiu em defesa dos avaliadores, visto que, somente um lado havia se manifestado. Nós estaremos trazendo aqui, neste espaço, a manifestação "do outro lado", aqueles que foram acusados de boicote. Mas existe um por quê...

FEGADAN – NOVOS RUMOS.
Minha Humilde opinião ...

     Não gosto de usar as redes sociais para manifestações referentes a assuntos que acredito que deveriam ser discutidos em uma roda de mate, mas frente às postagens definindo "quem é e quem não é tradicionalista de verdade" me vi obrigado a manifestar minha opinião.

     Deve se ter cuidado ao definir que apenas aqueles que obedecem as imposições são os que realmente seguem o tradicionalismo, “Gaúchos” de verdade não cedem ao cabresto e não se dobram frente a Tirania.

     Acredito cegamente que regulamentos foram criados para tornar as regras iguais a todos, e que as alterações no mínimo devem ser realizadas junto ao Conselho diretor do Movimento e nunca decisões isoladas. Só decisões em conjunto e ouvindo a manifestações de todos é que realmente se tornam pilares de sustentação.

     Acredito que se existe uma pessoa escolhida e com capacidades para as questões técnicas (Diretor) de um festival , as decisões técnicas devem ser efetuadas por essa pessoa e cabe a esta pessoa definir o quadro de avaliadores com tempo hábil e apresentar aos demais responsáveis. Qualquer gestor sabe que inserir pessoas em uma equipe é um processo difícil quando a equipe já esta formada.

      Só quem trabalhou os membros da equipe de forma continua consegue escalar o melhor time, já imaginou se os diretores de um clube de futebol interferissem na escala do time que o técnico fez? (Não sou gremista , sou colorado , mas duvido que alguém consiga fazer isso com o Técnico Renato).

      Durante quatro anos estive a frente do FEGADAN e em nenhum momento a diretoria, presidente ou vice presidente interferiu em minha escala, sempre trabalhamos com confiança.

     O FEGADAN nunca foi criado para ENARTIZAR os campeiros ou para acabar com o rodeio da VACARIA. Ele foi criado para os anseios daqueles que não tinham espaço oficial para mostrar a sua arte.

      O que penso da reação dos avaliadores! 

      Só quem não conhece a fibra desses homens e mulheres acreditaria realmente que eles se dobrariam e cederiam a qualquer imposição. São pessoas que construíram sua reputação com seu próprio talento sem a necessidade de cargos ou de mesas de avaliação, mas trabalhando e vivendo arte. Foram amigos pessoais do Folclorista, estiveram e viveram na essência os ensinamentos. 

Alguns Pontos que nortearam e fizeram a Essência deste Festival:

• Organizar um sistema igualitário para os grupos que seguem as Obras e Ensinamentos do Sr. Paixão Cortês (obs.: Ensinamentos são tão importantes quanto as obras, pois o movimento descrito é estático e o movimento dançado é dinâmico. Desta forma só o próprio Folclorista poderia explicar o verdadeiro sentido de cada tema.).

• Buscar conciliar o entendimento sobre os ensinamentos repassados junto aqueles que trabalharam e acompanharam o Sr. Paixão Cortês nos cursos onde divulgava os temas pesquisados junto com Barbosa Lessa e os que pesquisou sozinho.

• Tornar clara todas as questões sobre avaliação dos temas ,musica e indumentária através de Painéis técnicos onde todas as informações eram explanadas a todos os concorrentes. 
A influência da Execução musical para a dança interfere diretamente na essência do tema.

• Contemplação de um sistema inicial, com descarte de notas (a mais alta e a mais baixa) diminuindo assim a manifestação do gosto pessoal do avaliador e evitando possíveis apadrinhamentos.

• Oportunizar aos concorrentes a participação nas decisões referentes ao regulamento e forma de avaliação tornando assim todo o conhecimento agregador e necessário na construção de um festival com alma e característica própria, sem decisões arbitrárias de quem não conhece o verdadeiro sentido dos temas. A participação de todos faz a pureza da construção das regras não a decisão de apenas uma pessoa.

• O conferencia e revisão das planilhas sendo realizada pelos próprios concorrentes de imediato a avaliação sem interferência de um revisor, sendo que após a revisão do instrutor ou responsável (permitido fotografar as planilhas) as planilhas eram enviadas para a soma. (fato que evita e certifica qualquer alteração da planilha por terceiros ou debates em secretarias fechadas escolhendo o vencedor).

• A criação de uma oficina para divulgação dos temas, plantar a semente para que germine e floresça dando frutos futuros em todas as 30 RT.

    Tenho vídeos dos debates e estudo dos temas, mas sem a devida autorização do uso de imagem das pessoas envolvidas não postarei.

Segue o Breve Histórico postado por Manoelito Carlos Savaris:

             O Festival Gaúcho de Danças nasceu em 16 dezembro de 2013. 
             Depois de receber uma demanda dos patrões dos CTGs Rincão da Lealdade e Paixão Côrtes, durante um Encontro Regional da 25 RT, realizado em outubro de 2013.
             O formato do evento, suas finalidades e princípios foram definidos na reunião realizada na Casa do Gaúcho, na sede da 25 RT, com a presença de 16 entidades, sob a coordenação de Manoelito Savaris e com a presença de Carlos Lima, que viria a ser o Diretor Artístico, em 2014. 
             Todas as entidades que participavam dos rodeios sob a forma de bailar ao FEGADAN, foram convidadas.
             Foi um compromisso assumido antes da eleição para presidente do MTG e cumprido em 2014.
             O Regulamento foi elaborado pelas entidades sob a coordenação do então vice-presidente de Eventos José Roberto Fischborn e do subdiretor artístico Toni Sidi Pereira.
             As questões coreográficas, musicas e de indumentária contaram com a importante colaboração de Sandro Arruda, Tomás Savaris e Everton Cardoso.
             O evento nasceu para ser realizado na Serra. As duas primeiras edições, sob a presidência de Juarez Nunes, foram realizadas nos Pavilhões da Festa da Uva.
              Em 2016, foi realizado no interior de Caxias do Sul e em 2017 na cidade de Antônio Prado.

   BlogTemos que ouvir ambas as partes, sempre. Usar um microfone para defender uma só posição, fica desparelho. Então, estamos usando este espaço para equilibrar, bem como o programa Identidade Gaucha, da radio Quero-Quero. Tanto a vice-presidente de cultura, quanto a comissão de indumentária e a comissão do Fegadan, que saíram, terão estes espaços para explanar os motivos.

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Em Ijuí, durante o Encontro Internacional de Cultura e Folclore realizamos a palestra 700

Abaixo, a direita, Pedro Darci recebe a Medalha Lilian Argentina por ter se destacado na área da cultura e do Folclore
           Parcerias dão certo. Sem dúvida nenhuma, em épocas de crise, quem tem criatividade, age com comprometimento e faz parcerias, consegue bons resultados. Foi assim que o Conselho Estadual de Cultura, em parceria com a UETi - União das Etnias de Ijuí - juntamente com a Comissão Gaúcha de Folclore com apoio do município de Ijuí – Poder Executivo, Unijuí, Centro Cultural Leto, Expoijuí – Exposição/Feira Industrial e Comercial de Ijuí e Fenadi realizaram um belíssimo Encontro Internacional de Cultura e Folclore nos dias 13 e 14 de outubro.
            A primeira grande atividade foi o ato de lançamento da Pedra Fundamental da Casa da Associação Regional de Cultura Japonesa - Sakurá, onde a CGF e o CEC participaram ativamente. Depois na abertura oficial teve a participação das delegações de diversos paises como Uruguai, Argentina e Paraguai. A professora Dra. Maria Eunice Maciel palestrou com o tema: “O Folclore no âmbito internacional”, representando a Comissão Gaúcha de Folclore.
           Depois de vários momentos de confraternização entre as etnias, apresentações artisticas e culturais as autoridades e Delegações promoveram o plantio de árvores no Bosque Saci Pererê (área de preservação dentro do parque). Na manhã de domingo Paulo Campos, do CEC coordenou uma mesa para audição comentada do Projeto Acervo do Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore e um encontro com a obra de Paixão Côrtes.

         Logo em seguida aconteceu a palestra “A mulher e seu papel fundamental no crescimento e desenvolvimento do tradicionalismo” - que foi a 700ª Palestra de Rogério Bastos, palestrante da CGF. Marca que rendeu homenagens dos tradicionalistas da 9ª RT. Liliane Pappen Bastos, Presidente do Instituto Escola do Chimarrão de Venâncio Aires, aniversariante do dia, coordenou e mediou uma roda de mate com mulheres que fizeram e fazem história dentro do tradicionalismo e folclore do nosso estado. Liliane ainda palestrou e realizou oficina de chimarrão na parte da tarde do evento.
As 16h aconteceu a cerimonia de encerramento da FENADI com autoridades, delegações e todas etnias presentes
BLOG: Meu agradecimento à confiança da Comissão Gaúcha de Folclore, a UETI, ao Conselho Estadual de Cultura por me permitir estar participando deste Encontro Internacional de Folclore e deixar esta marca. Tudo que fazemos com amor e dedicação tende a dar certo. Valeu a parceria.


Exposição Tropeirismo, Tropas e Tropeiros no 5º FEGADAN

            Mais uma vez Marco Aurelio Angeli, o Zoreia e Valter Fraga Nunes mostraram todo seu conhecimento para esta mostra do tropeirismo que aconteceu dias 13 e 14 de outubro, em Canoas, por ocasião do FEGADAN. Eles foram curadores da exposição tropeirismo, tropas e tropeiros durante o evento que foi realizado na 12ªRT. É possível vislumbrar pelas imagens o material que foi exposto pelos tropeiros durante a realização de um evento cuja origem é dentro deste tema.

             Além disso, no mesmo final de semana aconteceu o Tchêncontro da Juventude e Acampamento, o que oportunizou para os jovens que não conseguiram participar de palestras na semana farroupilha sobre esta temática, aprender um pouco mais com estes dois mestres.

Selecionadas as canções para a Tertúlia Musical Nativista e para Tertulinha

          A Prefeitura concluiu, na noite deste domingo (14), a seleção das 16 composições que irão se apresentar na 26ª Tertúlia Musical Nativista, a ser realizada de 08 a 11 de novembro, na Associação Tradicionalista Estância do Minuano. Durante três dias - de sexta a domingo - a Comissão Julgadora, formada por Juliano Javoski, Caine Teixeira Garcia, Maria Luiza Benitez, Diogo Barcellos e Nenito Sarturi, avaliou os mais de 800 trabalhos inscritos. A triagem ocorreu no Edifício João Fontoura Borges (SUCV).
Foto: Arquivo pessoal maria Luiza Benitez
          De acordo com o regulamento, para esta edição, os organizadores da Tertúlia - Prefeitura de Santa Maria, Associação Tradicionalista Estância do Minuano e Centro de Pesquisas Folclóricas (CPF) Piá do Sul - limitaram as composições inscritas por autor em até cinco canções, o que acabou refletindo no número de trabalhos enviados, considerado menor que em edições anteriores. 

          Além das composições selecionadas para a 26ª Tertúlia - Fase Geral (classificatória )e Etapa Local - os avaliadores também definiram os trabalhos selecionados para participarem da 5ª Tertulinha, nas modalidades Mirim e Juvenil. 

         Os eventos são promovidos pela Prefeitura de Santa Maria, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, juntamente com a Associação Tradicionalista Estância do Minuano e com o Centro de Pesquisas Folclóricas (CPF) Piá do Sul. Confira a seguir as composições escolhidas:

FASE GERAL (CLASSIFICATÓRIA)

A Casa a Estrada e o Tempo (Canção)
Letra: Alex Palma
Melodia: Alex Palma e Alexandre Hoehr
Santa Maria

A Luz do Meu Canto (Milonga)
Letra: Carlos Eduardo Nunes
Melodia: Carlos Eduardo Nunes
Cachoeira do Sul

A Riqueza do Pobre Indio (Chamamé) 
Letra: Romulo Chaves
Melodia: Halber Lopes
Palmeiras das Missões 

Cantador (Milonga) 
Letra: Adair de Freitas
Melodia: Adair de Freitas
Santana do Livramento

De Um Tempo Saudade (Valsa) 
Letra: Paulo Ricardo Costa
Melodia: Regis Reis e Dartagnan Portella
Santa Maria, Tupanciretã e Júlio de Castilhos

Do Louco Poeta Só (Milonga) 
Letra: Anderson Mireski
Melodia: Tuny Brum
Santa Maria

É Bem Assim (Xote) 
Letra: Maximo Fortes
Melodia: Pedro Freitas Flores e Penna Flores
Santa Maria

Faças de Conta (Toada) 
Letra: Olgi Zauza Krejci
Melodia: Mario Tressoldi

Identidade (Candombe) 
Letra: Marco Antonio Gomes Soares
Melodia: Carlos Cícero Goulart da Fontoura

Lentas e Lerdas Lembranças (Milonga) 
Letra: Rodrigo Bauer
Melodia: Robledo Martins
São Borja e Pelotas

Milonga do Sul e Minas (Milonga)
Letra: Marcelo Domingues D’Ávila e Mateus Neves da Fontoura
Melodia: Zebeto Correa
Santana do Livramento 

Pano a Pano (Milonga) 
Letra: José Moacir Bitencourt Pereira
Melodia: Marco Aurélio Vasconcellos
Porto Alegre

Precisão (Chamarra) 
Letra: Eduardo Muñoz
Melodia: Carlos Madruga
Pelotas e São Leopoldo

Quando as Lembranças Afloram (Rasguido-Double)
Letra: José Amilcar Ferreira
Melodia: Wilson Paim
Dom Pedrito e Porto Alegre

Um Dia Eu Vou Voltar Pra o Meu Lugar (Canção) 
Letra: Carlos Omar Villela Gomes
Melodia: Diogo Polga de Matos
São Vicente do Sul e Santa Maria

Vaneira Riograndense (Vaneira) 
Letra: Valter Luiz Fiorenza
Melodia: Sérgio Rosa
Santa Maria

SUPLENTES
Milonga Para Alguém Que Se Foi (Milonga) 
Marcelo Paz Carvalho e Cleiton Santos
Três de Maio

Serve Um Mate Pra o Guri (Milonga) 
Vaine Darde e João Chagas Leite
Capão da Canoa e Santa Maria

FASE LOCAL (TERTÚLIA LOCAL) 

Anjo de Madeira
Letra: Luiz Eduardo Silva Lima
Melodia: Volmir Coelho

Benedito
Letra: Humberto Gabbi Zanatta
Melodia: Evandro Zamberlan

Canção Para Ouvir o Rio
Letra: Moises Silveira de Menezes
Melodia: Henrique Arboite Torrel de Bail e João Bayer

Companheira Madrugada
Letra: Ramires Monteiro
Melodia: Francisco Alves

Das Verdades Que Trago 
Letra: Fabricio Vargas
Melodia: Cassio Figueiró

Depois do Apito do Trem
Letra: Salvador Lamberty
Melodia: Pedro Mauro e Rodrigo Raskopf

O Espelho do Tempo
Letra: José Luiz dos Santos e Arabi Rodrigues
Melodia: Sabani Felipe de Souza

Outra Milonga
Letra: Saulo Francisco de Souza
Melodia: Saulo Francisco de Souza

Recorrendo Sonhos
Letra: Hilo Paim
Melodia: Luiz Carlos Ranoff

Uma Outra Mão
Letra: Juliano Costa dos Santos
Melodia: Kayke Mello

5ª TERTULINHA

MIRIM
Giovanna Jacobsen Barbieri - Labirintos
Julia do Amaral Antonini - Dos Abraços Que Guardei
Luisa de Quadros Lima - Pão de fogo
Luiz Filipe dos Santos Pavani - Aos Meus
Marina Duarte - Renascimento
SUPLENTE: Vitória de Sá Heck - Nas Varandas da Saudade

JUVENIL
Anita Coruja Rodrigues Dutra - Um Rosto na Multidao
Luiza Barbosa Dias - Eu Tenho Inveja dos Mansos
Maria Fernanda Costa - Pra Nunca Esqueceres de Lembrar de Mim
Matheus Pimentel Nunes - Assim no Osso do Peito
Murilo Vargas - Sal e Sangue
SUPLENTE: Maria Alice Rosa da Silva - As Alpargatas do Meu Pai

Texto: Ana Bittencourt (Mtb 14.265)
Superintendência de Comunicação
Prefeitura Municipal de Santa Maria

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Viagem ao Rio Grande do Sul, de Auguste Saint Hilaire - Parte XX

Fevereiro de 1821 - Auguste de Saint-Hilaire  (resumo de Jeandro Garcia)

Índios: Efeitos do mel - docilidade - ingratidão - costumes jesuítas

       No outro dia encontrou sua égua arranhada por garras de onça, possivelmente foi defendida pelos outros cavalos, pois estavam todos a sua volta, como se fizessem uma muralha com seus corpos.

       Soube que dois empregados índios ingeriram o mesmo mel, sem que nada os acontecesse, para provar-lhe um dos índios pôs-se a provar em sua frente, mostrando mais uma vez sua total falta de noção de futuro, mas felizmente nada aconteceu, aumentando ainda mais o mistério.

      O mel foi reconhecido como vindo da lechiguana, este segundo mel ingerido hoje pelos índios eram da mesma abelha mas de colmeias diferentes, seriam talvez retirados de locais distintos? Mas como explicar que no dia anterior todos ingeriram o mesmo? Por via das dúvidas não experimentou novamente.

      Mesmo após todo o cuidado que teve com Firmino também em sua agonia, o mesmo, mestiço de índio, hoje o ofendeu grosseiramente, sendo castigado. Constata que o branco até pode ser ingrato, mas não exatamente após ser beneficiado em algo, o negro reconhecendo a sua inferioridade e sem esquecer o seu passado, são mais agradecidos, mas o índio lembra do passado como um sonho, sem tomar lição alguma para o futuro.

     O vaqueano que o acompanha leva junto uma índia e seu filho, mas possui esposa em sua estância. Esta docilidade que se entregam são para este homem rude apenas uma fonte de prazer. Algo que reintera como terrível para esta capitania, onde em breve o índio perderá as suas melhores características e estes mestiços reuniram os piores vícios dos brancos com os vindos do índio.

      Os Estancieiros da região que não possuem escravos recorrem aos índios como peões, sendo muito indicados pela sua docilidade, destreza com o cavalo e alguns até fazem a dona. Não igualmente são elogiados pela sua inteligência, mas frequentemente reclamam de não possuírem sentimentos de gratidão e pouco conservam a amizade, mesmo entre eles. Prova disso é a facilidade que abandonam seus filhos com os brancos, sem saber como serão tratados.

      Perguntou se tinham ouvido falar dos jesuítas por seus pais, responderam que não, mas conservam vários hábitos, pois seus pais lhes ensinam a rezar e entoar preces diariamente. Os mais jovens sabem apenas vadiar, já os mais velhos não estranham o serviço agrícola.

5ª Região Tradicionalista se mobiliza para a permanência do Coordenador

       A 5ª Região Tradicionalista iniciou uma mobilização para que o atual coordenador regional, Luiz Clóvis Vieira, 54, permaneça mais uma gestão.

      Um dos projetos mais importantes que conseguiu colocar em pratica foi a retomada das atividades com prendas e peões. "Temos que trabalhar mais os jovens das invernadas, mirins, juvenis e xirús. Trazer pra nosso meio aquelas pessoas que fizeram e que fazem a história dos CTGs. Muito tem se falado em trazer os jovens pra dentro das entidades, mas esquecem dos veteranos e xirus, que muito fazem e muito produzem" - disse Vieira. "Precisamos daquelas pessoas de mais idade e conhecimento pra ensinar os mais jovens. O resgate destas pessoas, dentro dos CTGs, é de extrema importância, por que arvore que não tem raiz, não vinga" - concluiu. 
Luiz Clovis Vieira, coordenador da 5ª


             Em uma era de intolerâncias e opiniões extremamente divididas, Vieira, com sua equipe, busca aproximar as pessoas e as entidades, sempre cumprindo o que foi decidido, aquilo que foi acordado, ou seja, os regulamentos. "Se não fosse para ser seguidos, não eram criados regulamentos. Ninguém é obrigado a acordar. Mas acordou, tem que cumprir. Deu a palavra... ela tem que ser cumprida" - Concluiu

     Um coordenador que tem o carisma na sua Região. Tenho certeza que será reeleito.

II Seminário de Prendas e Peões Birivas e Mostra Folclórica Cultural no Paraná

        É com muita alegria e satisfação que lançamos a  vocês a programação oficial do II Seminário Cultural de Prendas e Peões Birivas e I Mostra Folclórica e Cultural da 1º Região Tradicionalista do MTG PR.
         O evento irá acontecer no dia 03 de Novembro de 2018 na sede do CTG Posteiro dos Mananciais, na cidade de Pinhais-PR.

Teremos várias atividades direcionadas aos Prendados durante o evento.

PROGRAMAÇÃO:
9h30min - Recepção e Credenciamento
10h - Abertura Oficial do Evento
10h30min - Painel com o Prendado da CBTG:
O que te motiva a continuar??? Qual o real papel do Prendado diante da Sociedade atual ??!!
12h - Almoço
13h30min - Palestra com Anderson Hartmann - "Do tradicionalismo pra vida !!"
15h - Roda de Conversa: Trabalho Voluntariado! Conte a sua história!
16h - Integração dos Prendados presentes: " Juntos somos mais fortes" - dinâmicas.

I Mostra Folclórica Cultural da 1ºRT

Consiste na exposição e divulgação de trabalhos desenvolvidos pelos prendados eleitos para o biênio 2018/2020 dentro do tema proposto para nossa Mostra.
Temas:
Prendas e Peões Mirins e Juvenil:
* Brinquedos e Brincadeiras Regionais e Folclóricas
Prendas e Peões Adultos, Veteranos e Xirús:
* Cozinha Gaúcha e Paranaense: móveis, utensílios, culinária e bebida

Todos receberão certificados pelo Encontro e pela Mostra; serão premiados os participantes.
Venha com a gente participar deste evento pensado com muito carinho para receber a todos.

Informações com Danieli Oliveira pelo telefone 41 99893-6748 ou pelo email dcogabi@yahoo.com.br

Realização: Departamento Cultural da 1ºRT/MTG PR