terça-feira, 17 de setembro de 2019

Elenir Winck recebe homenagens pelo Rio Grande do Sul

O SBT, no Acampamento de Porto Alegre, homenageou ontem, segunda (16), colaboradores que contribuíram com o tradicionalismo 
        O Sistema Brasileiro de Televisão, que divide espaços com o Piquete Grito do Quero Quero, no Parque da Harmonia, homenageou nesta segunda-feira, 16, pessoas que dedicam o seu tempo à manutenção das coisas da tradição gaúcha, usos e costumes do povo riograndense, e colaboram com o crescimento e fortalecimento do Acampamento Farroupilha.

         O parque Maurício Sirotsky Sobrinho, foi idealizado e construído pelo Engenheiro Agrônomo Curt Alfredo Guilherme Zimmermann e inaugurado no dia 04 de setembro de 1982.  Cinco anos depois, aconteceu o 1º Acampamento oficial na Estância da Harmonia. Nos anos anteriores não havia acampamento, e sim grupos de amigos ou piquetes que ficavam na área de fazendinha. Eles cavalgavam até ao parque, um ou dois dias antes do desfile de 20 de setembro, fazendo do parque uma pousada ou ponto de concentração, reunindo diversos CTG’s e Piquetes que acampam até hoje. No decorrer dos anos, o acampamento foi tomando forma, crescendo, e ao longo dos anos aboliu o uso de lonas e barracas, adotando galpões de costaneira temáticos.
Visita de Elenir Winck em Alvorada
             No domingo, 15, Elenir, mesmo com dificuldade de caminhar, devido um procedimento cirúrgico no pé, seguiu visitando os acampamentos pelo estado. Esteve no 1º Adelante do Verso, em Alvorada que homenageava o grande pajador e trovador Albeni Carmo de Oliveira e, junto com o Subcoordenador, Jair Martins, ouviu reivindicações dos patrões da cidade que organizam o maior acampamento farroupilha de sua história. 
O Subcoordenador de Alvorada Jair Martins, que tem feito um trabalho acima da média na capital da Solidariedade acompanhou Elenir e sua família pela Praça Central onde acontece o evento.
              "Alvorada, assim como muitos municípios do estado, precisa de uma atenção e dedicação especial. As entidades estão em franco crescimento, independente das dificuldades encontradas e temos de ajudar para que continuem assim" - disse Elenir.
Elenir visitou o Acampamento de Canoas sendo muito bem recebida na 12ªRT
             Elenir visitou o Acampamento Farroupilha de Canoas e Caxias do Sul, onde foi muito bem recebida e, no caso da cidade serrana, foi homenageada.
Na 25ª RT, no grande evento em Caxias do Sul, foi homenageada com o Diploma Joaquim Pedro Lisboa, honraria da RT
 "Encerramos o sábado, 14, com muita alegria e emoção ao receber da 25ª RT, a comenda Joaquim Pedro Lisboa. Obrigada a Coordenadoria, Entidades Tradicionalistas e todos os amigos presentes nesse momento. Muito lindo o acampamento, apresentações e a abertura oficial dos Festejos. Nosso abraço e carinho à todos" - concluiu.

Sedac lança edital de R$ 3 milhões para a cultura no RS

     Um dos mais representativos editais da Secretaria da Cultura (Sedac) neste ano, com recursos de R$ 3 milhões, já poderá ser acessado. A secretária Beatriz Araujo assinou, na tarde de sexta-feira (13/9), o edital FAC Movimento, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta segunda-feira (16/9).

     Uma das diretrizes para garantir que os recursos disponibilizados pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC) cheguem às mãos de proponentes é disponibilizar 50% das vagas para o interior do Estado.

     O edital atende a todas as áreas e segmentos culturais, contemplando audiovisual, artes visuais, artesanato, circo, dança, teatro, culturas populares, tradição e folclore, literatura, música e patrimônio cultural.

      Há vagas tanto para pessoas físicas como jurídicas. Qualquer cidadão gaúcho pode se registrar e apresentar projeto, que pode ser de um grupo. Empresas e entidades da área cultural da mesma forma. Quem ainda não tem o registro pode fazê-lo junto ao Cadastro Estadual de Produtor Cultural. O registro é a credencial para ser um proponente de projeto. O envio eletrônico pode ser feito no site do Pró-Cultura.

   
A finalidade é realizar projetos relacionados a uma ou mais áreas e segmentos que movimentem a produção cultural do Estado. Este é o quarto edital lançado pelo FAC neste ano.

     “O FAC Movimento não limita a concepção de projetos para apenas uma ou outra finalidade. Os projetos podem trabalhar a produção, a criação autoral de bens e serviços culturais e também a circulação de atividades, de festivais, enfim, uma infinidade de projetos pode ser apresentada nesse edital”, explica Rafael Balle, diretor de Fomento da Sedac.

Texto: Rafael Varela/Ascom Sedac
Edição: Secom

Elenir Wick apresenta sua proposta de trabalho para o MTG 2020

Ela foi a primeira mulher que teve a coragem de enfrentar um pleito para a presidência do MTG, em toda história. Mantendo a base de suas propostas, ela apresenta sua plataforma para gerir a federação, caso venha a ser eleita em 2020.

Quem é Elenir



          Elenir de Fátima Dill Winck,  é natural de Cruz Alta, casada com Ciro João Winck, residente em Panambí,  cidade que a recebeu e a condecorou com o título de cidadã panambiense.  Pós-graduada em Geografia, pela UNIJUI. Iniciou sua carreira profissional como professora na rede municipal de Panambi, em 1975 e na rede estadual, em 1978. Foi Vice-Diretora da Escola Estadual de Educação Básica Poncho Verde e durante doze anos (de 1984 a 1996) e diretora da EMEF Presidente Costa e Silva. Foi Secretária Municipal de Educação e Cultura de Panambi, por quatro administrações: (1997/2000; 2001/2004; 2009/2012; 2013/ 2016).

           Por várias gestões integrou o Departamento Cultural do Centro de Tradições Gaúchas Tropeiro Velho, de Panambi. Também foi Diretora Cultural da 9ª Região Tradicionalista, por quatro anos e Diretora Artística do MTG do Rio Grande do Sul, por três anos. Atuou como relatora em Convenções e Congressos Tradicionalistas e foi organizadora e apresentadora de protocolos do MTG durante 2009, 2010 e 2011. Foi Presidente da 1ª à 6ª edições Moinho da Canção Gaúcha, de Panambi.

           Ela presidiu a Comissão Executiva do 25º Entrevero Cultural de Peões do Rio Grande do Sul, realizado em 2013, em sua cidade. Conselheira do Movimento Tradicionalista Gaúcho, desde 2014. Foi vice-presidente de cultura do MTG, nos anos de 2014, 2015 e 2016, além de vice-presidente de administração e finanças do MTG, 2017/2018. Integra o Lions Clube de Panambi,  desde 1995, onde se doa para ajudar a sua comunidade.

As propostas

          Elenir propõe realizar uma administração pautada na gestão democrática, com trabalho em equipe, onde as decisões serão sempre colegiadas. “O que for decidido, combinado ou ajustado será efetivamente cumprido” – afirma. Pretende, junto com a sua equipe, implantar um departamento central (ouvidoria), com representação regional por escolha das coordenadorias, com o fim de melhorar o fluxo de demandas da base do Movimento em todas as áreas.
Durante as Convenções Tradicionalistas, realizar a discussão dos temas de forma alternada, oportunizando o debate e a votação de forma igualitária, sem que alguma área seja prejudicada por ficar para o final do evento, muitas vezes sem público.

Cursos

          Criar macrorregiões (em princípio, 6 ) para desenvolver um programa de qualificação, com a realização de cursos  descentralizados, voltando a padronizar o CFor básico, trazendo de volta o CFor patronagem (Gestão administrativa, financeira e fiscal de CTGs), CForzinho (para jovens voluntários), cursos para elaboração de projetos culturais e estratégias de captação de recursos para as entidades tradicionalistas, entre outros.

Relações com outras instituições culturais e de ensino

          Elenir pretende melhorar as relações com as escolas, a partir de uma ação do MTG com a Secretaria de Educação do Estado, SINEPE-RS, CONSEME/UNDIME e FAMURS. Também buscar parcerias com as Universidades, dando visibilidade aos trabalhos acadêmicos vinculados à tradição gaúcha. 
Precisamos estreitar vínculos e estabelecer parcerias com instituições já consagradas, como por exemplo, Secretaria de Cultura do Estado, Comissão Gaúcha de Folclore , Estância da Poesia Crioula, Instituto Escola do Chimarrão e com o Conselho Estadual de Cultura” – disse, após já ter visitado algumas destas.

           Precisamos avaliar a formatação de eventos como a Mostra Folclórica, Tchêncontro, Acampamento da Juventude E Seminários, objetivando valorizar e dar maior visibilidade aos trabalhos realizados. “Para isso, vamos criar um grupo com representantes destes departamentos para estudar e criar um novo formato que venha de encontro aos anseios dos interessados” - afirma.

            Elenir vai incentivar a manutenção dos eventos oficiais com suas finalidades e construção histórica. “Vamos criar um fórum de debate sobre dificuldades, metodologia e referências bibliográficas da Ciranda e Entrevero, além de rediscutir o Fegadan” - conta.

Departamento Artístico

            Preocupada com o rumo da musicalidade no RS, Elenir  pretende estimular, efetivamente, a música regional e as manifestações individuais,  realizando mostras regionais de música galponeira e nativista, junto com manifestações individuais. “Quero ouvir os musicistas tradicionalistas sobre a possibilidade de retomada do Festival Cante e Encante seu CTG e este novo momento que a musica vive. Temos vários movimentos acontecendo, mas precisamos juntar essas pontas.” – lembra Elenir.

          Ela se refere aos movimentos “Todos pela cultura”, na Assembleia Legislativa, “Valorize o que é nosso”, outro movimento pela musica gaúcha (tire um minuto e toque uma musica regional), “Fórum da Tradição” que acontece em Guaíba, e a “Frente Parlamentar pelo fortalecimento da Cultura e da musica gaúcha", do Deputado Luiz Marenco, “São movimentos que lutam por espaços que foram perdidos! Mas se puxarem separados, não serão ‘frentes’, irão se chocar de frente. Temos que tentar unir estas pontas” – afirma.

Outras Propostas

           Ente as propostas de sua plataforma de trabalho, Elenir que recompor as comissões de avaliações artísticas do MTG. “Para a escolha de avaliadores os critérios serão o comprometimento com a instituição, imparcialidade nas decisões, comportamento ético e qualificação técnica” - afirma.

            Proporcionar atenção especial à área campeira, fortalecendo a Ordem dos Cavaleiros do RS e criando um calendário de cavalgadas. Além disso, manter permanente interlocução política, com vistas a não permitir o avanço das ações que visem proibir ou segregar os Rodeios Crioulos, dando atenção total às questões referentes ao bem estar animal.

Temos que cuidar, dando atenção especial para não permitir a deturpação da pilcha tradicional e das peças de encilha que caracterizam a história do gaúcho. Temos que buscar alternativas para uma fiscalização mais efetiva em eventos vinculados ao Movimento” - conclui.

Sobre o Pleito de janeiro de 2020

       Durante a Convenção, na cidade de Jaguarão, duas chapas foram lançadas. Elenir, à exemplo de 2018, quando fez sua campanha (pela primeira vez, em 52 anos de história, uma mulher teve a coragem de colocar seu nome para disputar a presidência do Conselho Diretor do MTG) pautará pelo respeito e pela simplicidade, sendo quem ela sempre foi, sem mudar discursos para agradar, ou deixando de ser a pessoa que busca a paz e a integração entre as pessoas e, dando ênfase para a criança e pelo adolescente.

       Ela continua pensando da mesma forma, com a chamada que norteou a campanha no ano anterior, e que continuará trabalhando "De Coração pela Tradição".

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Baile de CTG - Por Eduardo Baptistela, de Faxinal do Soturno

Tito Saubidet - Arte Criollo    |   "El Baile"  - Pinterest
          Falar sobre a cultura e as tradições do Rio Grande do Sul é como participar de um baile de CTG. Há algo de sagrado que reproduz sentimento e respeito, lições e valores; retrata-se um panorama cívico regrado pelos bons costumes e pelo convívio familiar. 

         Ao adentrar em um CTG, instituição que remete a uma história regada tanto de sofrimentos quanto de vitórias, comemora-se a alegria, o entusiasmo. No palco, em lugar de destaque, está estampada a bandeira – amarela, verde e vermelha– que simboliza o amor cívico. 

         O baile exige o uso da pilcha (o peão, por exemplo, usa bota, guaiaca, camisa, lenço, colete, esporas e chapéu; já a prenda usa sapatilha, meia-calça, saia de armação/anágua, vestido e um arranjo de cabelo), além disso, o espírito gauchesco preza pelo compromisso do equilíbrio, semeado com muito respeito e cordialidade. Todo e qualquer bochincho requer organização. O nome é xucro, mas o evento demanda seriedade. Envolve a cultura gaúcha, regrada pelos seus ideais que até hoje são respeitados mundo afora.

          Como descrever um baile de CTG? O Patrão anuncia as boas-vindas. O Piso lustrado do salão está à espera dos passos marcados. Logo surge o primeiro vaneirão, e o salão lota de casais dançando; desenrola-se o baile. A música retrata as mais belas cantigas entoadas por uma gaita de sete baixos, verdadeiros hinos que enaltecem a tradição gaúcha.

           Não são permitidos exageros, nem comportamento extravagante ou inadequado. Há disciplina e princípios que traduzem o bom convívio e, sobretudo, a educação e o respeito à cultura. Quem é “barrado” na entrada, por estar impróprio para o recinto, procure outro lugar, pois existem regras que devem ser respeitadas.

         No fandango, o baile de CTG, não existe hierarquia, existe sim a igualdade dos participantes. Todos somos gaúchos e pelo Rio Grande do Sul vibramos de alegria.

         Neste vinte de setembro, não somente aqui ou acolá, mas em todo mundo, muitos bailes de CTG anunciarão o cenário, a moda, a cultura gaúcha, estirpe de maior orgulho para todos nós. É o que nosso hino entoa: “sirvam nossas façanhas de modelo a toda terra”.

Eduardo Baptistela
Advogado 

domingo, 15 de setembro de 2019

Governo do RS concede Diploma de Embaixador e Cônsul Honorário da cultura gaúcha


          Foi uma tarde pra lá de especial, com o dizem os gaúchos. Na manhã de sábado (14/9), coube ao governador em exercício, Ranolfo Vieira Júnior, receber a Chama Crioula e acender o candeeiro no Palácio Piratini, marcando oficialmente a abertura da Semana Farroupilha. Mas, a partir das 14h, o Brasil de Bombachas invadiu as dependências do palácio do governo gaúcho, para o momento que marcou a entrega dos diplomas de Embaixadores e Cônsules honorários da cultura gaúcha, pessoas que dedicam seu tempo para a manutenção e preservação dos usos e costumes fora do território riograndense.
           Foi uma bela homenagem aos 19 tradicionalistas, vindos de diversas partes do Brasil e de fora dele, onde a Secretária de Cultura do RS, Beatriz Araújo falou sobre a importância de quem difunde a tradição em várias regiões do país e do mundo.

          "A divulgação e manutenção da cultura do gaúcha fora daqui se dá exatamente por meio dessas pessoas. São elas que criam CTGs e piquetes, locais onde a cultura será valorizada, preservando a nossa identidade", destacou a secretária.
         "O tradicionalismo está em Festa, governador Ranolfo, pois o Governo do Estado do Rio grande do Sul está agraciando homens e mulheres com as mais altas honrarias concedidas até hoje, desde 2005, quando começou a homenagear tradicionalistas que cultuam e mantém viva as nossas tradições fora do território do estado e dos limites do Brasil". Disse João Mello, presidente da CBTG.
        Mello fez questão de frisar que são mais de 6.000 entidades tradicionalistas espalhadas pelo mundo, com uma média de um milhão e meio de tradicionalistas onde, 40% são jovens. A grande força da manutenção da nossa história, usos e costumes. 
        "Dentro das diretorias de CTGs, MTGs e da própria CBTG temos que trocar experiências, colocar jovens para trabalhar juntos e dar o espaço que eles pedem, aprender com a tecnologia que eles dominam e, mais, com a conectividade e rapidez na comunicação. O convívio de gerações nos permite aprender e ensinar. Ensinar aprendendo. Isso é lindo no tradicionalismo" - afirma Mello.
          Mello agradeceu ao carinho dispensado pela Secretaria de Estado da Cultura no atendimento de todas necessidades sempre que solicitados. "Obrigado governo do estado, secretaria de cultura pelas muitas ligações mas uqe sempre tivemos um atendimento com bom humor e qualidade".
     "Encerro com as palavras do Sanitarista Belizário Penna: O Brasil é o pais onde mais se fala em valorização. Valorização do Café, do algodão, do boi, do dinheiro... Somente não se pensa em valorizar o homem brasileiro, o qual por si e só, estaria conduzindo a todas outras para a valorização" - concluiu.

Na foto maior: Bonifácio de Bróbio e Edson Flores
 Confira a relação de homenageados 

Embaixadores Honorários:
– Pedro Daniel Lacerda (MTG-Amazônia Ocidental)
– Sérgio Rodolfo Welker (MTG-Planalto Central)
– Ernani José Baréa (MTG-PR)
– João David Marchezan (MTG-PR)
– Valcírio Fernando Harger (MTG-SC)
– Vandenir de Souza (Confederação Norte-americana do Tradicionalismo Gaúcho Brasileiro)

Consulesas honorárias:
– Alice Bianquini (MTG-SP)
– Dirce Soares Larsen (MTG-SP)

Cônsules honorários:
– Dari Duarte (MTG-AO)
– Ari Santos (MTG-Amazônia Ocidental)
– Jose Valdemir Rocha (MTG-MS)
– Vanderlei Marcos Piana (MTG-MS)
– Fernando Gorgen (MTG-MT)
– Amarildo Pereira (MTG-MT)
– Marcos Foliatti (MTG-Planalto Central)
– Mauro Magno Machado (MTG-Planalto Central)
–Tarcísio Barbosa de Souza (MTG-PR)
– Antonio Ires Gomes (MTG-SC)
– João Maria Teles de Souza (MTG-SC)

Nota de Falecimento - Marli Scholl

Na foto com o esposo, também falecido
          É com imenso pesar que comunicamos o desencarne da professora Marli Scholl, do CTG Estância da Serra, de Osório. Foi instrutora das primeiras invernadas do CTG, ajudou a entidade na conquista do MOBRAL 85, fez parte do conjunto musical da entidade, era amiga de Paixão Cortes, Lilian Argentina e grande escritora litorânea.

           Marli Scholl, era membro da Comissão Gaúcha de Folclore, e recebeu do governo do Estado o Troféu Mulher Farroupilha, através da Coordenadoria Estadual da Mulher. Docente do Colégio Conceição e do Instituto Ildefonso Simões Lopes de Osório, trabalhou na coordenação da Primeira Feira de Artesanato Popular e Reorganização do Grupo de Folclore "Os Moçambiques", de Osório. Delegada Regional da Ordem dos Músicos do Litoral Norte, foi coordenadora da Comissão Artística do Rodeio Internacional de Osório e membro do Conselho Consultivo do Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore de Porto Alegre. Também recebeu o título de Cidadã Osoriense, pela Câmara Municipal.

           Nosso carinho e solidariedade à família da professora Marli. Pedir a Deus que conforte o coração dos familiares e amigos e mostre para ela o caminho de luz par quem retorna ao Lar.

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Fumaça da Chama Crioula pode ser tóxica?

       
       Está rodando nos grupos de WhatsApp o relato de um pai, tradicionalista, que teve que tirar o filho às pressas da guarda da Chama por que o menino passou mal ao inalar fumaça desta. Visivelmente emocionado, o homem relatou que seu filho "tirava guarda" da chama as 6h24min, quando, as 6h40min, passou a sentir-se mal. O fato ocorreu no galpão central do Acampamento Farroupilha da Capital, no Parque da Harmonia.

           A ambulância da Transul foi chamada e foi feito o atendimento. De acordo com os socorristas, outros casos já foram registrados. O pai demonstra desespero ao ver o filho ter passado mal e recebe o relato dizendo que aquilo já está acontecendo há mais tempo. "Ninguém toma providência, até a hora que alguém morrer lá naquela chama fazendo tradição. A vigilância é que tá cuidando, então fui informado que 4 ou 5 pessoas já passaram mal, foi feito o relatório entregado aos administradores e nada foi feito" - queixou-se.

            Existe uma regulamentação para a guarda da chama e um guardião responsável, pois todos os acampados tem que desempenhar esta tarefa. Particularmente, já fiz várias e várias vezes. Em uma oportunidade, depois do desfile fiquei 3h cuidando o simbolo dos festejos, no sol, com a indumentária do desfile, que era de veludo (estancieiro) e ninguém foi ali, nem pra dar água. Sei como existem descuidos. Mas em um evento do porte do Acampamento, que movimenta milhares de reais, e de pessoas, não pode ter um descuido desses.

             Assim como a fumaça do cigarro, que atinge até mesmo quem não fuma, a fumaça que sai chama pode sim, prejudicar a saude de quem a inalar.

Programação da Semana Farroupilha do CTG "O Tropeiro Frederico Trott"

           O CTG O Tropeiro Frederico Trott, de Três Coroas, convida a todos para prestigiar a programação da Semana Farroupilha, que terá inicio no dia 13, e se estenderá até dia 20 de Setembro. Será uma semana cheia de atrações e momentos especiais.

terça-feira, 10 de setembro de 2019

10 de setembro - Vitória republicana na batalha do Seival

           O coronel João da Silva Tavares havia sido o único dos comandantes da Guarda Nacional a permanecer fiel ao Império. Era compadre de Bento Gonçalves, mas não aceitara o convite para conspirar e derrubar o presidente da Província. Ao contrário, foi dos primeiros a pegar em armas, em defesa das posições imperiais.
Antônio de Souza Netto e Silva Tavares - Fonte: Historia Ilustrada do Rio Grande do Sul | RBS
           Na primeira batalha no pampa, em 13 de outubro de 1835, Tavares comandou as tropas que impuseram uma derrota aos farrapos no combate do Arroio Grande, perto de Pelotas. Pouco depois, com o avanço das tropas farroupilhas por toda a Província, ele emigrou para o Uruguai.

           Mas agora, quando a Revolução completa um ano, Tavares retorna ao território brasileiro, "com alarido, como num passeio militar, chamando a atenção dos adversários". É o dia 9 de setembro de 1836. Ele segue às margens do Rio Jaguarão, no município de Bagé, território de António de Souza Netto, a figura mais respeitada das forças farrapas, depois de Bento Gonçalves.

           Tavares faz alto junto ao arroio Candiota. Netto sai ao seu encontro. Tavares posiciona suas tropas no topo da coxilha. Netto posta-se no baixio, depois de atravessar o arroio Seival. Segundo o historiador Othelo Rosa, Tavares tinha 560 homens e Netto, 430. Depois da primeira carga de fogo, as duas forças se atracam à lança e à espada. A vanguarda dos imperiais leva vantagem no primeiro embate. Mas um acidente desorganiza sua ação: quebra-se o freio do cavalo de Tavares, o animal dispara e causa enorme confusão entre os que lutavam. Refeitos, os homens ainda tentam reagir, mas o oficial que comanda o ataque é ferido na coxa, cai do cavalo e sua gente se dispersa.

            "Silva Tavares, completamente destroçado, deixa no campo 180 mortos, 63 feridos e mais de 100 prisioneiros", escreve Othelo Rosa. Não menciona as perdas de Netto. Segundo o historiador Tristão de Alencar Araripe, as baixas dos farrapos "foram mínimas".

            A vitória na Batalha do Seival foi tão completa, tão entusiasmante que Netto, instigado pelos liberais exaltados de seu exército, toma uma decisão dois dias depois, que vai dar outro rumo à rebelião. Ainda no acampamento, diante da tropa perfilada, ele proclama a República Rio-Grandense, separada do Brasil. Estava definido o caráter revolucionário do movimento farroupilha.

            O que levou Netto a proclamara República Rio-Grandense? Esse enigma, nenhum historiador desvendou. É verdade que ele ouviu sugestões de seus oficiais-entre eles, Lucas de Oliveira e Joaquim Pedro Soares - mas também é verdade que era homem de forte personalidade, que tomava decisões sem se influenciar. Além de ser republicano.

           Descrito como alto, elegante, na vida civil Netto era comerciante de gado e criador de cavalos de corrida, com amplo relacionamento nos dois lados da fronteira. Tinha 32 anos e era capitão da Guarda Nacional quando seu grande amigo Bento Gonçalves tomou o poder. Foi um dos primeiros generais da República. Nas batalhas, era um valente, que avançava à frente da tropa. "Melhor cavaleiro que Bento, só Netto", diria o italiano Giuseppe Garibaldi, que se incorporou aos farrapos mais tarde.

           Embora não seja incisivo, Rio-pardense de Macedo opina que, ao proclamar a República, Netto não foi levado apenas pelo entusiasmo da vitória em uma grande batalha. "Ele achava que o conflito com o Império era um caminho sem volta", diz.




Conhecendo o passado - Por João Carlos Paixão Côrtes

Material produzido por João Carlos D'Avila Paixão Côrtes, para Revista Aplauso, em 2010, e nos enviado por Diego Müller.

          O movimento de 20 de Setembro era um fato histórico-político nacional, diante do qual o Rio Grande do Sul teve um posicionamento definido e que durou dez anos.


          Eu, Barbosa Lessa e os outros todos sempre buscamos a preservação da IDENTIDADE DO HOMEM RURAL GAÚCHO. Mas tanto o homem revolucionário quanto o defensor da colônia são rio-grandenses. Será que o caramuru não merece o mesmo respeito e a mesma dignidade?

           Se tu não sabes o que estás cultuando, qualquer palavra tem um sentido vago que não representa a seriedade do teu propósito. Aí então acontece isso de “Salve a Revolução Farroupilha”, etc., como um acontecimento ímpar, de protesto ou de glorificação. Eu não concordo! Eu acho que é um acontecimento marcante na vida política do Brasil, com são as Baianadas e outras representações. 

            Agora, se em outras regiões os conflitos não tiveram a mesma duração ou se os povos desses locais não empreenderam as suas características definidas, nós fizemos isso aqui no Rio Grande. Aí é questão de identidade, é consciência de origem, de preservação de valores. Se, em outras regiões, não se age da mesma maneira, aí é questão de formação.

           Nós, que iniciamos o movimento tradicionalista, sempre batalhamos contra essa falsa ideia de ser diferente. Não, nós somos é conscientes de ideais, de causas e de postura!

           Se as terras eram de ninguém, quem era dono da terra? Onde é que está o Tratado de Tordesilhas? Mais para a direita, mais para a esquerda? As convenções e determinações dos limites das propriedades ainda não existiam. Então, se não tem definição de propriedade, não tem marca, nem sinal, nem divisão na extensão onde tu moras. A terra é tua ou não é tua?

            A questão não é pegar a história e trazer para os critérios de hoje. É ver o fato como era durante a vivência daquela época. Então é isso que precisa ser entendido, no meu ponto de vista. E como saber disso? Não é o registro do livro, de uma ata ou de um despacho do governador. Os fatos que regulavam as extensões de terra eram pela vivência, pelo poder da força ou da razão de sobrevivência. O que eu procuro fazer, nas minhas pesquisas, é ir ao campo.

            Eu fui lá. Eu vi, dancei, encontrei, convivi!

            Todas as guerras e revoluções trazem como consequência alterações profundas nos hábitos e nos costumes. A Revolução Farroupilha gerou um sentimento de pesar entre os povos dos campos que predominavam no Rio Grande do Sul, porque tanto do lado imperial quanto do revolucionário, se houve paz e respeito depois, foi no sentido político e de direito. Mas o sentimento humano era de tristeza. Os dois lados continuaram informados. Eu acho que as figuras que realizaram esses gestos do passado ficaram esquecidas porque, depois da guerra, o Rio Grande precisava ter novos horizontes, novas esperanças, novas linhas de realizações. Esse sentimento de primitivismo, entre aspas, de índio vago, gaudério, essas figuras ficaram pejorativas.

            Esses elementos semianalfabetos não faziam parte do progresso, porque não tinham a capacidade de delinear os caminhos da economia, da educação e do desenvolvimento. Não tinham condições para estar ao lado de um Brasil que tinha 250 anos e já tinha o seu desenvolvimento.


Revista Aplauso 
Nº:108 | Ano:12/2010

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Programação da cidade de Soledade para a Semana Farroupilha 2019


Mario Brondani homenageia o filho Matheus com rodeio da escola de laço

Uma belíssima homenagem de pai pra filho. Uma lembrança que mantém Matheus entre nós. Parabéns seu Mario
      Mesmo aqueles que partiram de forma prematura, permanecem entre nós nas lembranças, nos gestos, nas atitudes. Matheus era um jovem promissor, estudioso, amado pela família e que estava em Santa Maria estudando, como todos jovens do interior procuram fazer, buscando mais conhecimentos, muitas vezes fora de sua cidade natal, mas que infelizmente participava do evento na boate Kiss, na fatídica noite do incêndio.

      Para superar a dor pela morte do filho naquela tragédia, em Santa Maria, seu Mario buscou forças nas coisas da tradição gaúcha e fundou uma escola de tiro de laço em Bagé. Agora está ai, o 1º Rodeio Estadual da Escola de Laço Matheus Brondani, em Bagé, dias 4, 5 e 6 de outubro. Não deixe de participar e dar um abraço nesse pai que conduz o nome do filho não só nos pensamentos, mas também na atividade que o menino mais gostava.

Cursos de danças gaúchas de salão no CTG Gildo de Freitas | ZN de Porto Alegre


domingo, 8 de setembro de 2019

Quem descobriu o Rio Grande - Artistas homenageiam Paixão Côrtes

Fonte Diego Muller - clique e vá para a musica para poderem baixar e ouvir à vontade
        Durante as comemorações dos Festejos Farroupilhas 2019 (chamado de Festejos Farroupilhas por durar mais do que simplesmente uma semana, hoje em dia), alguns dos grandes artistas nativistas do Rio Grande do Sul, na atualidade, se uniram, para homenagear o maior ícone do nosso Tradicionalismo e das Pesquisas Folclóricas do nosso Estado, João Carlos D´Ávila Paixão Côrtes.

          O tema dos Festejos Farroupilhas de 2019 é, justamente, a “VIDA E A OBRA DE PAIXÃO CÔRTES”, mote que fomenta a procura de inúmeros tradicionalistas e apreciadores da nossa cultura a aprender e conhecer mais dos caminhos e rumos tomados por este nosso mestre maior.

           É assim que, como todo ano se repete, os Festejos, através da iniciativa do Movimento Tradicionalista Gaúcho, lança um tema musical anual, para ilustrar e levar essa temática adiante, chegando realmente ao coração do nosso mundo tradicionalista.

          Esse ano não podia ser diferente.

          Com letra do compositor, letrista e instrutor de danças Diego Müller, da cidade de Canoas, e música do consagradíssimo cantor e também compositor Érlon Péricles, nascido em São Luiz Gonzaga, porém radicado hoje em Porto Alegre, nasceu o tema deste ano, chamado: 

QUEM DESCOBRIU O RIO GRANDE!

           A gravação conta com participações mais do que especiais, de grandes artistas, unindo forças e comoções, ao homenagear o folclorista e levar nossa cultura realmente adiante, como do patrono dos festejos 2019, César Oliveira, além de seu parceiro de dupla, Rogério Melo e do acordeonista e cantor Lincon Ramos. Há, nas gravações, ainda a participação do guitarreiro Guilherme Castilhos, gravando o tema no estúdio Guaiaca Records, em Porto Alegre.

           E o ritmo não podia ser diferente, dotado de saber crioulo e campechano, como é o de uma Rancheira, bem animada e festiva, como o sorriso do homenageado nos proporcionou a cada encontro.

           Érlon Péricles é, já nos últimos cinco anos consecutivos, o autor das músicas temas anuais dos Festejos Farroupilhas.

           A letra existia já há alguns anos, desde 2015, em forma de um poema, regalado ao folclorista ainda em vida. Foi uma homenagem em vida prestada ao folclorista. 

           A melodia sim, que é uma novidade, adaptada em alguns fragmentos do poema inicial, para se tornar uma letra que conquistasse o público e levasse, também fragmentos, ao menos, da “vida e da obra de Paixão Côrtes” a quem a ouvisse ou bailasse.
Fonte: Diego Muller

Programa Identidade Gaúcha tirará uns dias de folga


           O programa Identidade Gaúcha, que tem o DNA da gauchada vai completar 190 edições e tira uns dias de folga, menos que o ano passado, mas vai tirar uma semaninha. Na semana que inicia teremos os programas 189 e 190, dias 10 e 11 de setembro. Ai, tiramos folga 12, 17, 18 e 19.

           Vem com a gente comemorar a Proclamação da República Rio-grandense, dia 11. http://radioqueroquero.net | A Sentinela dos Pampas.

           Quero aqui agradecer aos amigos do Piquete Clube de Truco Pitoco, na  pessoa do Varguinhas, grande amigo de muitas jornadas. Foi muito bom estar no Parque palestrando nesta entidade. Também, no PIquete 12 de Outubro, do amigo Paulo Matukait, no Piquete Revolução dos Tauras, do Patrão Pimenta e no Piquete Mena Quevedo, pelo carinho de sempre.

Fui Reprovado! - Texto de Léo Ribeiro de Souza

Fazendo uma faxina nas minhas gavetas me deparei com este cartun que fiz (e nunca postei) quando o MTG aprovou as Diretrizes da Pilcha Gaúcha.
Este material está publicado no Blog de Leo Ribeiro de Souza - blogdoleoribeiro.com.br

          Eu entendo que o Movimento é uma entidade privada e só faz parte dela quem assim o desejar. Contudo, fui contra por não respeitarem a indumentária característica de cada região, ou seja, padronizaram o gaúcho. Minha forma de protesto, na época, foi esta. Mas passou...

          Embora respeitando a posição dos tradicionalistas e me trajando de acordo quando o evento assim o exige, continuo me vestindo meio espanholado (quem souber de alguma costureira que faça jalecos, me avise) e por achar que tem espaço para todos em nossa cultura resolvi publicar o citado cartun e junto uma pajada que fiz para o tema.


Trago as melenas compridas
tapando um lenço encarnado,
um poncho todo furado,
bombacha velha e puída.
No meu sentido de vida
roupa não faz um cristão
e te peço, meu "ermão",
não me bombeie com raiva.
Eu sigo Glaucus Saraiva:
"Minha pilcha é o coração".


blogdoleoribeiro.blogspot.com  -   "Um chasqueiro virtual da cultura gaúcha"


Opinião deste BLOG: Entendo perfeitamente o raciocínio do compadre Léo Ribeiro em seu texto. Assim como temos uma espécie de "fundamentalismo" colocados exatamente em posições polares, temos que entender que sempre, mas sempre mesmo, o bom senso é o melhor caminho. Um amigo me escreveu um dia que temos que achar o meio termo. Concordo.
            Depois que critiquei um 'fundamentalista guasca' que questionava os gaúchos setembrinos e se sabiam curar bicheiras, vi que os extremismos tomam conta. É o nível quando se tem discussões polarizadas. O melhor caminho sempre será o bom e velho bom senso.

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Semana Farroupilha no CTG Sinuelo das Coxilhas, de Espumoso




Nota de Falecimento - João Pedro Rebequi

          Mais um jovem que parte, no tempo de Deus, mas para nós que ficamos, prematuro. Deixa-nos no dia de hoje, para estar na companhia do Pai maior, João Pedro Rebequi. Jovem laçador, menino do bem, amigo dos amigos. Sempre disposto no esporte, o judô, arte marcial que praticava, ou quando fez parte do  CTG Vaqueanos da Cultura, da Escola Técnica Agrícola, de Viamão.

           O jovem João Pedro, 19 anos, era filho da Juliana Rebechi e do Charles Wilson Oliveira da Rocha, que foi Peão Farroupilha do RS, 1993/1994, representando o CTG Querencia do Imbé e estava com Leucemia. 

           Muito difícil neste momento, ter palavras que confortem o coração dos pais. Por isso pedimos força para esta família e nos solidarizamos com a dor daqueles que dariam suas próprias vidas, para que seus filhos não partissem antes. Resta-nos rezar para que ele seja conduzido pelo caminho da Luz e da cura espiritual.

Shopping Pelotas será o primeiro shopping center do país a receber a Chama Crioula

Com programação voltada para o mês Farroupilha, o Shopping Pelotas contará ainda com a presença diária da União Gaúcha João Simões Lopes Netto, contemplada pelo estabelecimento com um espaço exclusivo para contar seus 120 anos de história.

     O Rancho Farroupilha Shopping Pelotas já está com a programação preparada e uma série de atividades focadas na cultura e na valorização das raízes do Rio Grande do Sul em setembro. A Semana Farroupilha ocorre de 14 a 20 de setembro, mas desde o dia 04 o público pode conferir uma estrutura para receber atividades artísticas e culturais, além de um painel dedicado à Costa Doce Gaúcha e até mesmo um espaço personalizado às crianças no Shopping Pelotas. A Chama Crioula, símbolo da tradição gaúcha, chegará ao shopping no dia 14 de setembro, às 19h.

     A chegada da Chama Crioula é se dúvida o dia mais esperado. Ela será levada ao shopping pelos cavalarianos da União Gaúcha João Simões Lopes Neto - que completa 120 anos de existência neste mês - após passar pelo centro histórico da cidade de Pelotas. No Shopping Pelotas ela será recebida com o hasteamento das bandeiras e a execução do Hino do Rio Grande do Sul, com uma apresentação do vice-prefeito Idemar Barz e da Banda do Exército.

Homenagem à União Gaúcha
      Com a celebração dos seus 120 anos, a União Gaúcha João Simões Lopes Neto ganhou um espaço no Shopping Pelotas durante as comemorações do mês. A entidade contará com uma loja, a partir do dia 8 de setembro, domingo, onde vai realizar exposições com suas indumentárias, artigos e peças que compõe o museu do CTG, realizar apresentações artísticas e culturais e comercializar produtos.

     No dia 10, às 21h, a entidade irá realizar o lançamento do seu hino oficial no shopping. No dia 13, às 20h, será lançada a Cápsula do Tempo, uma grande urna doada pelo shopping onde os integrantes da do CTG poderão depositar cartas, presentes, entre outros artigos. Ela será aberta somente em 30 anos quando, quando a União Gaúcha completará 150 anos.

Coquetechê – No dia 07 de setembro, sábado, ás 20h30, a União Gaúcha promove um coquetchê de inauguração do espaço para convidados e imprensa, na loja 67 do Shopping Pelotas, quando será apresentada a linha de produtos da União Gaúcha e aberto oficialmente os museus “Arca das Tradições” e “Nossas Conquistas”, com entrada totalmente gratuita. Mais informações pelo fone (53) 99116 – 7587.

Costa Doce em destaque
     Um dos destaques da programação será o painel dedicado à região da Costa Doce, que terá curadoria do artista Carlos Gonçalves e será inaugurado no dia 14, às 16h, em frente à loja Ponto Frio. O painel apresentará cada um dos 23 municípios que integram uma das mais belas regiões do estado e promoverá a valorização dos seus potenciais e também será um espaço de enriquecimento cultural e atrações artísticas e gastronômicas. Segundo a Coordenadora de Marketing do Shopping Pelotas, o objetivo da criação do painel é atrair também os empreendedores da região.

     Já no dia 20, às 20h, acontecerá a extinção da Chama. A programação do dia contará com mateada e show gratuito do Conjunto Expresso da Vaneira. Conforme salienta Simone, todo o projeto é uma homenagem à cultura gaúcha e à paixão do seu povo pelo tradicionalismo, por isso o shopping está mobilizando todos os seus esforços para entregar à comunidade uma celebração especial.

Série Reino Grande do Sul dedicada às crianças
     As crianças também terão uma programação especial no Rancho Farroupilha Shopping Pelotas. A programação incluirá um momento especial de contação de história, que acontecerá sempre aos sábados. Os livros escolhidos seguem a temática do tradicionalismo e integram a série de 17 obras “Reino Grande do Sul”: Prendarella, Gato de Bombacha, Prenda de Neve, Sulliver, Prenda Adormecida, João e a Plantação de Arroz, A Prenda e a Fera, Peão dos Bosques, Prenda de Tranças, Zorrilho, A Prenda Sereia, Os Três Ginetes, Prendahontas, Dom Quitéro de La Fronteira, Capitão dos Rios & Prendas dos Pampas.

     A ideia dos livros, que se tornaram famosos além do Rio Grande do Sul, é dar novos enredos a famosas e clássicas histórias infantis. Assim, as crianças aprendem de uma forma nova e criativa a história de suas origens e criam desde pequenas uma paixão ainda maior pela sua cultura.

Palestras, shows e gincana completam programação.
      As atividades serão multiculturais e movimentadas entre os dias 05 e 20 de setembro no Shopping Pelotas. Além das atrações já citadas, haverá uma série de atividades para o público na estrutura que está sendo preparada tanto na área externa quanto interna. Além do Rancho, haverá um palco para as apresentações de música e dança.

     O público poderá conferir, ainda, uma série de apresentações das invernadas mirim, juvenil, adulta e xirú da União Gaúcha, apresentações artísticas de outras Entidades convidadas, musicais com nomes como Rita Pereira Mauch, Alci Vieira Júnior, apresentação de chula, entre outras atrações.

Confira a seguir a programação completa:

07/09 – Sábado 
13h30 – Contos Gauchescos com Ana Júlia Nogueira.
14h30 – Oficina de nós de lenço gaúcho com Rodrigo de Vargas.
15h – Mateada com a União Gaúcha
16h30 – Apresentação da Invernada Mirim da União Gaúcha.
17h - Apresentação da Invernada Juvenil da União Gaúcha.
17h30 – Apresentação da Invernada Xirú da União Gaúcha.
18h – Apresentação da Invernada Adulta da União Gaúcha.
19h – Show cantor Alci Vieira Júnior.
20h30 – Coquetchê de lançamento do Museu e da Loja “A Centenária”.
21h – Apresentação Musical “Idemar Barz”.

08/09 – Domingo 
15h - Mateada com a invernada adulta da União Gaúcha.
16h - Oficina de Chimarrão com titulados.
18h - Apresentação da invernada Xirú da União Gaúcha.
18h30 - Apresentação da invernada Adulta da União Gaúcha.
19h - Desfile de penteados gaúchos com João Ferrão.
19h – Visita guiada no Museu da União Gaúcha no Shopping Pelotas.

09/09 – Segunda-feira 
20h  -  Live Mateando com a União Gaúcha.

10/09 – Terça-feira
19h30 – Grupo Musical da União Gaúcha.
19h – Visita guiada no Museu da União Gaúcha no Shopping Pelotas.
21h - Lançamento do hino oficial da União Gaúcha.

11/09 – Quarta-feira
19h30 – Contos Gauchescos com Ana Júlia Nogueira.
20h – Oficina de chimarrão com Ana Júlia Nogueira.

12/09 – Quinta-feira
19h – Visita guiada no Museu da União Gaúcha no Shopping Pelotas.
19h30 – Visita do CTG Sinuelo do Sul.
20h – Apresentação musical com Rita Pereira Mauch.

13/09 – Sexta-feira
19h - 1ª Apresentação de uma invernada da Gincana da Paz.
20h – Lançamento da Capsúla do Tempo – 2049 é logo ali.

14/09 – Sábado
15h - Contos Gauchescos com Ana Júlia Nogueira.
16h - 2ª Apresentação de uma invernada da Gincana da Paz.
16h – Inauguração painel dedicado à região da Costa Doce.
18h - Apresentação de invernada adulta da União Gaúcha.
19h - Chegada da Chama Crioula.
19h – Visita guiada no Museu da União Gaúcha no Shopping Pelotas.
19h30 - Hino do Rio Grande do Sul com Idemar Barz e Banda do Exército.

15/09 – Domingo
16h - 4ª Apresentação de uma invernada da Gincana da Paz.
17h – Mateada com a invernada adulta da União Gaúcha.
18h - Apresentação de invernada adulta da União Gaúcha.
19h – Visita guiada no Museu da União Gaúcha no Shopping Pelotas.

16/09 – Segunda-feira
20h - Live Mateando com a União Gaúcha.

17/09 – Terça-feira 
19h – Visita guiada no Museu da União Gaúcha no Shopping Pelotas.
19h30 – Visita do CTG Raízes do Sul.
20h – Oficina de maquiagem de prendas.

18/09 – Quarta-feira
19h30 - União Gaúcha apresenta Pratas da Casa.

19/09 – Quinta-feira
19h – Visita guiada no Museu da União Gaúcha no Shopping Pelotas.
19h - 6ª Apresentação de uma invernada da Gincana da Paz.

20/09 – Sexta-feira
14h Mateando com a União Gaúcha.
17h Resultado da Gincana Tradicionalista da Paz.
19h Show Conjunto Expresso da Vaneira.
20h Extinção da Chama Crioula 2019.

Sobre o Shopping Pelotas
           O Shopping Pelotas foi pioneiro em shopping center na região sul do Rio Grande do Sul. Inaugurado em 03 de outubro de 2013, o empreendimento tornou-se uma referência em opção para compras, lazer e entretenimento para os pelotenses e moradores das cidades vizinhas, gerando um fluxo médio mensal de 350 mil consumidores. Com cinco anos no mercado, o shopping destaca-se por ser horizontal e contar com uma grande área de iluminação natural, o que torna o ambiente mais agradável. O Shopping Pelotas possui 23.275 m² de ABL (Área Bruta Locável), estacionamento com 1.173 vagas e conta com importantes marcas no mix de lojas: Riachuelo, Renner, Lojas Americanas, Pompéia, Ponto Frio, Pernambucanas, Gaston, Cinemas Cineflix (5 salas, sendo 3 com tecnologia 3D), Colcci, Livraria Vanguarda, Panvel, Paquetá, Centauro, Belmar Vargas Hair Design, Arezzo, Vivara, Imaginarium, Chilli Beans, Lupo, Youcom, Damyller, Jorge Bischoff, Melissa, Loucos e Santos, Polishop entre outras. Na Praça de Alimentação contabilizam 14 operações de fast-food, cafés, sorveterias, quiosques e variedades de produtos e serviços.

ASSESSORIA DE IMPRENSA
Tatiane Mizetti (Conrerp/4ª 2820) – reverso@reversocomunicacao.com.br 
Grazieli Gotardo – assessoria@reversocomunicacao.com.br  
51-3398-7958 / 51-99162-0568
Reverso Comunicação Integrada | www.reversocomunicacao.com.br

Gilda divulga balanço da campanha.

De forma democrática, apresentamos aqui material enviado pela equipe da candidata Gilda Galeazzi.

       Maior proximidade com os grandes eventos tradicionalistas, integração com as instituições e participação das regiões no programa de gestão são algumas das medidas já postas em prática pela candidata a presidente do MTG, Gilda Galeazzi, quer ser a primeira mulher a presidir o Movimento Tradicionalista Gaúcho.

           Nas últimas semanas, Gilda e sua equipe tem intensificado contatos e realizado uma série de reuniões dentro da filosofia de “fazer agora”. Uma das novidades está numa presença mais firma do movimento nos grandes rodeios. O primeiro passo anunciado por Gilda é transferir a sede do MTG para o Parque Nicanor Kraemer da Luz, local onde acontece o Rodeio Internacional de Vacaria, entre os dias 1o e 9 de fevereiro.
          "O objetivo é estarmos ao lado das entidades e de todos aqueles que fazem parte do rodeio. Estaremos lá para dar apoio a este importante evento e ficarmos mais próximos dos nossos tradicionalistas", explica Gilda, que conta com o apoio do patrão do CTG Porteira do Rio Grande, Élvio Rossi.

           O grupo liderado por Gilda Galeazzi também busca uma aproximação com instituições que tem objetivos em comum. Na semana passada, participou de encontro com o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), presidida por Francisco Fleck.
"Nossos campeiros tem no cavalo um parceiro inseparável, seja para as atividades do campo, cavalgadas ou rodeios. Além disso, o cavalo crioulo movimenta a nossa economia, gerando empregos. Queremos iniciar uma integração", explica a candidata.

          As possibilidades abertas com a criação da Frente Parlamentar em Defesa da Cultura Gaúcha no Congresso Nacional também dá sinais de render os primeiros frutos. Proposta ao deputado Ronaldo Santini por Gilda, a frente já começou a mobilizar os parlamentares na busca por recursos para beneficiar as entidades.

          Em outra frente, o grupo liderado por Gilda tem realizado encontros com representantes do ministério da Cidadania, responsável pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, importante fonte de financiamentos para atividades de CTGs. Já estão sendo trabalhados, inclusive, os primeiros projetos culturais para 2020, os quais o ministro Osmar Terra se comprometeu em apoiar.
“Entre os projetos, estamos elaborando uma mostra para levar nossa cultura a parques à céu aberto, de modo a atingir pessoas que não conhecem nossos CTGs. É uma forma, afirma a candidata, de se aproximar da comunidade, bem como de atrair novos visitantes e associados às entidades”, diz Gilda.

          Para Gilda, mais importante do que cobrar a "largura da bombacha", é fortalecer as entidades de modo que possam se tornar, cada vez mais, sustentáveis.

CCN Sentinela do Rio Grande apresenta sua invernada Xirú

Montagem fotos dos grupos xiru já formados antes
       Com muito orgulho, a patronagem do CCN Sentinela do Rio Grande, da cidade portuguesa mais antiga do estado, tem a honra de apresentar o GRUPO DE DANÇAS XIRU DO CCN SENTINELA DO RG, que ensaia as sextas as 20h30min.

    "Venha para a família sentinela e vamos juntos escrever mais uma página na história dessa entidade que tanto orgulha a nossa cidade e região" - convida o Patrão Gabriel.

      Informações com Lucibel | Fone whats: 53 9.8434-8062 ou com divulgação | Fone whats: 53 9.9971-2094

Fonte: Divulgação do CCN
Vanderlei Mendonça

Nota de Falecimento - Ricardo Teixeira

          É com enorme pesar que comunicamos o desencarne do jovem Ricardo Teixeira, instrutor do CTG Manotaço, de Canela. Mais uma vez um guerreiro vencido pelo câncer. Ricardo foi sepultado ontem, dia 6, no Cemitério João XXIII.

          Às vezes o melhor a fazer é não tentar entender o porquê de tudo isso. Tentar buscar uma explicação para aquilo que não podemos mudar só trará mais sofrimento, adiando o fim do luto, que jamais deve ser infinito. Pedimos ao Pai maior que conforte o coração dos familiares e amigos. Nossa solidariedade à esposa Sirlene e aos filhos do casal. Força para todos vocês, e lembrem-se que quem é amado e recordado nunca morre realmente, apenas parte mais cedo.

         "Ele foi responsável pela União de muitos da nova geração de instrutores. Ano passado ele fez o curso pra ter cartão de instrutor de danças tradicionais, e o cara era de um coração tao bom, que conseguiu unir os novos instrutores, de todo RS, numa amizade muito forte" - disse o amigo, Lucas Maciel, em mensagem.