terça-feira, 31 de maio de 2011

Patrão por acaso–A desinformação a serviço da falência

Patrão por acaso–A desinformação a serviço da falência

Tenho viajado muito pelo Rio Grande do Sul e visto muitas coisas. Recebi um e-mail que dizia:

 Nossa entidade estava fechada e foi muito mal administrada por muitos anos. Algumas pessoas se reuniram e reabriram o CTG. Tudo ia muito bem. Terceirizaram a copa, pois ninguém queria assumir o compromisso. Estavam fazendo eventos uma vez por mês. Com o tempo foram trocando os membros da administração, mas nunca houve uma prestação de contas, não existe um livro caixa, ata de posse, CNPJ está “caducado”, não temos invernadas, só credores, pois o CTG não tem mais crédito, deve para cada “santo uma vela”. O pior é que o patrão atual não quer sair. Se estivesse ruim ser patrão já não teria saído do cargo? O que fazer?

Bueno, em uma situação como essa que se propaga pelo RS, a melhor cosia a fazer é recorrer ao coordenador regional como um mediador. Um contador é fundamental para o levantamento da documentação e dos registros contábil e fiscal. A mobilização dos associados é muito importante pois, a assembléia geral é o órgão máximo dos CTGs.

Para o bom funcionamento, como deve proceder a entidade:

- Ter a Ata da Assembléia que elegeu a patronagem (é um registro histórico e oficial);

 - Registrar a Ata no cartório de Registros Especiais, só assim ela é oficial;

 - Livro caixa (sem rasuras);

- Transparência nas informações;

 - Entrega da Rais e do Imposto de Renda anualmente;

- Pagamento do ECAD;

- Manter o cadastro atualizado no MTG, cartões tradicionalistas do associados...

 Ata que não é registrada no cartório de registros especiais torna a patronagem “de fato” mas não “ de direito”, ou seja, oficialmente, a patronagem não é gestora da entidade. O fato de não levar a Ata registrada para a Receita Federal, não entregar os Impostos de Renda, o gestor não é alterado deixando o cadastro desatualizado no poder público.

Quando atua com “má intenção”, o gestor transforma a entidade na extensão do jardim da sua casa, em sua fonte de abatimento de despesas. Nestes casos, de tantos que já vimos, ele cria uma blindagem (forma de proteção) para não precisar prestar contas para a sociedade. Não tem um livro caixa, não tem Ata registrada, afasta as pessoas que possam vir a criar problemas para sua administração. É normal que venha a fazer dívidas, criar problemas, pois, vai embora e deixa isso tudo pra quem assumir depois.

Como identificar esse elemento? Pode observar que ele parece aglutinador, convida pessoas novas a participarem para contribuírem com a entidade, que estão dispostas a trabalhar. Quando essas pessoas se dão conta e buscam respostas encontram as mesmas portas que os receberam abertas, fechadas. Muito comum que esteja com toda documentação atrasada e, normalmente, justifica dizendo que a culpa é de gestões anteriores. Cada evento que faz – se gera lucro – O CTG está devendo para pagar a água e a luz – Se o resultado é negativo – Fica em nome do CTG.

 Como proceder em situações como estas:
 - Reúna associados dispostos a ajudar e mobilize as forças positivas da entidade;

- Monte um planejamento estratégico (matéria que falaremos mês que vem);

 - Contate o coordenador regional e apresente uma denúncia formal, por escrito, sem ofensas pessoais, mas com fatos;

 As atitudes com ética, planejamento, estratégia e coragem são fundamentais para evitar que um CTG venha a falir.

domingo, 29 de maio de 2011

Novas prendas do RS

  Prenda Mirim do RS – Raiza Rohrig Martins – CTG Caiboaté – São Gabriel – 18ªRT
  Prenda Mirim do RS – Dayala Marina Streit – CTG Rancho dos Tropeiros – Ibirubá – 9ªRT
  Prenda Mirim do RS – Alexias Trento – CTG Sinuelo da Serra – Serafina Correa – 11ªRT

  Prenda juvenil do RS –Indiana Tedesco Saugo – CTG Rodeio da Amizade – Paraí – 11ªRT
  Prenda juvenil do RS – Janaina Matiello – GAN Anita Garibaldi – Encantado – 24ªRT
  Prenda juvenil do RS – Natana Gengnagel – CTG Aldeia Farroupilha – Farroupilha – 25ªRT

3ª Prenda Adulta do RS –  Maira Simões Rodrigues – CTG Glaucus Saraiva – Porto Alegre – 1ªRT
2ª Prenda Adulta do RS - Muriel Machado Lopes – PL Delfino Carvalho – Cachoeira do Sul – 5ªRT

Joelma com Adriane sob a ótica de Ricardo Lage. Foto http://www.portalmtg.com.br/
 1ª Prenda Adulta do RS – Joelma Pauline Schmohl Meotti – CTG Lalau Miranda – Passo Fundo – 7ªRT

sábado, 28 de maio de 2011

Ciranda de Prendas bem organizada

Fazia tempos que não se via uma harmonia e organização tão grande.  A coordenadora da 7ª RT, Gilda Galeazzi, não poupou esforços e ainda recebeu o apoio do poder público municipal, dito na abertura do evento, nesta sexta a noite.


Eu e o fotográfo do Portal, Ricardo Lage estamos cobrindo o evento e daremos total informações sobre tudo que estamos descobrindo por aqui.


Amanhã estaremos dando o resultado aqui no blog...das 71 candidatas às 9 vagas e toda historia do concurso vocês encontrarão no http://www.portalmtg.com.br

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Aldeia dos Anjos na Europa

Grupo adulto parte mais uma vez rumo ao velho mundo


Hoje, 26/05, as 10h30min da manhã, o grupo adulto do CTG Aldeia dos Anjos partiu para mais uma vez representar o Brasil em um festival internacional de folclore. Durante 42 dias levarão o nome de Gravataí, do Rio Grande do Sul e do Brasil ao continente europeu. Serão apresentações em teatros e festivais de folclore onde dançarão ao lado de grupos de vários outros países.


 Os compromissos começam neste sábado onde dançarão em Bruxelas (capital da Bélgica), no teatro da Grand Place, o espetáculo Origem Gaúcha, o mesmo que fez o maior sucesso na China.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Criatividade - A solução para os problemas

Podemos definir o processo criativo como um processo de mudança, de desenvolvimento, de evolução na organização da vida subjetiva.


No campo da Psicologia, o conceito de crise é explicado como toda a situação de mudança a nível biológico, psicológico ou social, que exige da pessoa ou do grupo, um esforço suplementar para manter o equilíbrio ou estabilidade emocional. Corresponde a momentos da vida de uma pessoa ou de um grupo em que há perdas ou mudanças dos elementos estabilizadores habituais.  A crise pode ser definida como uma fase de perda. 


A evolução da crise pode ser benéfica(quando proporciona impulso par ao crescimento) ou maléfica (quando acumula s prejuízos e a acomodação). Mas a crise é vista, de igual modo, como uma ocasião de crescimento.E para sair da crise devemos usar  a  criatividade.


É preciso quebrar os paradigmas e não apenas reorganizá-los. Vender um produto velho numa embalagem nova só vai enganar o consumidor no primeiro momento. É preciso mudar e inovar.
É preciso aceitar que o fato de uma coisa estar sempre sendo feita da mesma maneira não quer dizer que esta é a maneira mais correta ou adequada.


A criatividade garante o sucesso de muitas empresas da iniciativa privada. O princípio é o mesmo e vale para o Governo, para sindicatos, entidades, agremiações, etc...


É necessário descobrir maneiras novas de fazer as coisas para garantir resultados cada vez melhores. Caso contrário vamos continuar assistindo o mesmo filme por muitas e muitas vezes. 
Pensando desta forma nossa equipe está arquitetando um planejamento para as provas do Jean no concurso Regional. Chega de mesmice e de "firulas excessivas". Vamos ver no que dá. Temos que arriscar. E ele é dotado de coragem para mudar e fazer a diferença, independente da aceitação das comissões avaliadoras.


Como está vindo uma comissão hiper experiente para Porto Alegre, podemos fazer como disse Alex Balaka e o Émerson no ENART 2010 ... " (...)Rogério fiquei com medo, mas se não arriscássemos não teríamos o resultado que tivemos e a receptividade do público." Então...RS... prepare-se vem novidades por ai!

Palestra em Alvorada

Em 2011, o CTG Sentinelas do Pago comemora os 25 anos de sua fundação. Integrando as comemorações de seu Jubileu de Prata, a entidade promove ao longo do ano diversos eventos que objetivam o seu fortalecimento histórico e cultural e a difusão da filosofia tradicionalista.

No decorrer do mês de junho, em dias e horários alternados, junto à sede da entidade - na Rua Porto Alegre, nº 216, Bairro Cedro em Alvorada -, acontece o “I Sentinelas cultuando a Tradição”, ciclo de palestras composto por diversos temas e palestrantes de variados segmentos, abordando assuntos pertinentes ao Movimento Tradicionalista Gaúcho.

As palestras serão gratuitas e todos os interessados estão convidados a participar. Entre os palestrantes, estão Manoelito Savaris, Vice-Presidente da CBTG; Rogério Bastos, Editor do Portal MTG; Neusa Secchi, Coordenadora Cultural da 1ª RT e Maurício Oliveira, Secretário do Meio Ambiente de Alvorada.

Programação do “I Sentinelas Cultuando a Tradição”:

DIA 01/06/2011, às 20h - Nossas Raízes – Temário da Semana Farroupilha 2011 com MANOELITO CARLOS SAVARIS, Vice-Presidente da CBTG

DIA 08/06/2011, às 20h - Patrão: O gestor cultural – a administração moderna dos CTGs, liderança, gestão de pessoas e marketing de bombachas com ROGÉRIO BASTOS, Editor do Portal MTG

DIA 11/06/2011, às 16h - Chimarrão com NEUSA SECHI, Coordenadora Cultural 1ª RT. Haverá encontro de cuias, traga a sua!
Nairoli Coordenador com Neusa Secchi. A própria essência da cultura da 1ª região.
DIA 14/06/2011, às 20h - Atividades da Secretaria do Meio Ambiente de Alvorada, Educação e Conscientização com MAURÍCIO OLIVEIRA, Secretário do Meio Ambiente de Alvorada.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Ciranda Cultural de Prendas

Este concurso foi inicialmente promovido pela Rádio Gaúcha, jornal Ultima hora e a Varig. A primeira edição foi realizada em Porto Alegre no CTG Sinuelo da Tradição - Departamento do São José, isso mesmo, time de futebol que hoje tem o DTG Gaúchos do São José.

Isso aconteceu por causa da Ronda crioula do ano de 1959, um ano com muitas coisas acontecendo no tradicionalismo gaúcho. Nascia o Conselho Coordenador do MTG e as 12 zonas tradicionalistas.

A escolhida foi Marly Guimarães Zwestch e participaram 31 concorrentes. Depois veio a primeira prenda do Rio Grande do Sul, em 1968, extra-oficialmente. Depois em 1969 O Conselho decidiu realizar o concurso junto com o 14º Congresso Tradicionsliata Gaúcho em São Francisco de Paula.

Mas em jeniro de 1971, em Quaraí, no 16º Congresso, aconteceu o 1º Concurso oficial do MTG e a vencedora foi Maria Ivanoska Alves Nunes, de Santa Vitória do Palmar. Em 1985 o Concurso passou a ser realizado no mês de maio na cidade da 1ª Prenda do RS.

Neste final de semana teremos a Ciranda Cultural de Prendas em Passo Fundo. No Portal MTG vocês encontrarão muitas novidades sobre o concurso que agita o Rio Grande.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Entrevista com Frontelmo Machado

Fizemos uma entrevista com o Frontelmo Machado, que emocionou a todos nós. Diogo, Renan e eu fomos na farmácia deste "cuera", e tivemos uma lição de vida.
As estampas do Rio Grande. Pereto, Frontelmo e Bitello
A experiência do Frontelmo nos mostra que nunca devemos desistir. Pois foi assim que nasceu a FECARS, a Festa Campeira do Rio Grande do Sul.

Trabalhei junto com os Guris para fazer a história do Rio Grande. O homem que idealizou a FECARS
Assim que forem entregues as pesquisas para o concurso Regional estaremos divulgando este material. Pois tem que ser divulgado. Isso não pode ser guardado como tantas coisas são guardadas em baús. Aguarde essa emocionante história.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

O Polemico Jair Bolsonaro

Polêmico mas diz a verdade. Veja o Vídeo. Abra os olhos Rio Grande. Belíssimo Discurso.

video

O que é o Gaúcho

Escutando a rádio web Terra Gaúcha e o Matias falando sobre o que é o Gaúcho, resolvi dar a minha contribuição.

O gaúcho é o tipo característico da campanha. É o nome que se dá ao homem do campo na região dos pampas e, por extensão, aos nascidos no Rio Grande do Sul, Uruguai e Argentina (região da Pampa). O termo gaúcho passou a se generalizar a partir de 1800. Até então, os nascidos no nosso Estado (Província) eram chamados continentinos ou rio-grandenses.



O gaúcho surgiu da miscigenação entre o índio, o espanhol e o português, que viviam livres cuidando do gado no pampa gaúcho. Por estar ligado ao campo, tornou-se hábil cavaleiro, manejador do laço e da boleadeira. O gaúcho era livre, sem patrão e sem lei. Antigamente, os gaúchos não eram bem vistos, pois Inúmeros defeitos lhes eram apontados, tais como: ladrões, homens irresponsáveis, malandros, perturbadores da paz.


Em 1820, o francês Augusto Saint-Hilaire assim descreveu o gaúcho: “homem que vivia da carne, morava em ranchos, andava a cavalo e com os hábitos do chimarrão e do fumo. Os gaúchos eram homens de maus costumes, que viviam andando pelas fronteiras. Eram ainda os gaudérios, que andavam sós, sem chefes, sem leis, sem polícia, com idéias vulgares, gostavam de dinheiro para jogar corridas de cancha reta”.


Com o estabelecimento das fazendas de gado e com a modificação da estrutura de trabalho, o gaúcho perdeu seus hábitos nômades. Integrado à sociedade rural como trabalhador especializado, passou a ser o peão das estâncias. O reconhecimento de sua habilidade de campeiro e de sua bravura na guerra fez com que o termo “gaúcho” perdesse a conotação pejorativa.


Depois da revolução da arte e da literatura no Brasil e, por consequencia no Rio Grande do Sul,, o gaúcho passou a ser considerado homem digno, bravo, destemido e patriota.


O gaúcho é definido pela literatura, como um indivíduo machista, altivo, irreverente, guerreiro, legítimo, é o “centauro dos pampas" como escreveu Augusto Meyer.


O gaúcho de hoje é fruto da contribuição do índio, do negro, do português, do espanhol, do alemão, do italiano e tantos outros povos, que para cá vieram construir o Rio Grande com uma vida melhor. Por isso, aos poucos o termo gaúcho passou a identificar os filhos do Rio Grande do Sul, não como etnia, mas como um ser cultural. O adjetivo se estende ao que é referente a esses homens da vida pastoril, como vida gaúcha, dança gaúcha.


O povo gaúcho valoriza muito suas tradições, exalta a coragem e a bravura de seus antepassados, canta seu apego à terra, seu amor à liberdade, motivando assim o surgimento de uma literatura gauchesca. Por este motivo existem gaúchos paulistas, negros, dinamarqueses, americanos...por ser um estado de espírito.


O alimento predileto do gaúcho é o churrasco e o arroz-de-carreteiro. O chimarrão é a bebida preferida, chegando a ser o símbolo da hospitalidade e da amizade.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Ciclo de palestras em Alvorada

CICLO DE PALESTRAS NO CTG SENTINELAS DO PAGO



• DIA 01/06/2011 às 20h. = Nossas Raízes (temário 2011), com MANOELITO CARLOS SAVARIS “vice-presidente da CBTG”

• DIA 08/06/2011 às 20h.= Patrão: O gestor cultural – a administração moderna dos CTGs, liderança, gestão de pessoas, marketing de bombachas... com ROGÉRIO BASTOS

• DIA 11/06/2011 às 16h.= Chimarrão, com NEUSA SECHI  “coord. Cultural 1 RT”e encontro de cuias. “traga a sua!”

• DIA 14/06/2011 às 20h.= Atividades da Secretaria de Meio Ambiente de Alvorada, Educação e Conscientização. Com MAURÍCIO OLIVEIRA “secretário do meio ambiente de Alvorada”

 ENTREGA DOS CERTIFICADOS

Temas dos Festejos farroupilhas

2001 - A República
2002 - A mulher Gaúcha
2003 - Soldado Farrapo: O herói Anônimo
2004 - Os ideais farroupilhas
2005 - Gaúcho: Usos e Costumes
2006 - Assim se fez o Gaúcho
2007 - Assim se movimentou o Gaúcho
2008 - Nossos símbolos: Nosso Orgulho
2009 - Os Farroupilhas e suas façanhas
2010 - Farroupilhas: Ideais, Revolução e Cidadania
2011 - Nossas Raízes

Atividades do final de semana

Neste final de semana, sábado, sou palestrante no Cfor para os avaliadores de danças do ENART, na sede do MTG e no encontro regional de patrões no CTG Campeiros do Sul, em Alvorada. Lá estarei falando sobre o Portal MTG.

Cobertura total no encontro das comissões avaliadoras de danças tradicionais neste final de semana e no dia 05 de junho em Campo Bom. Tudo estará no http://www.portalmtg.com.br

segunda-feira, 16 de maio de 2011

25ª Região em semana cultural

O Departamento Cultural da 25ª RT pensando na manutenção da Cultura Gaúcha e na preservação das nosszs raízes levará até Caxias do Sul, a 1ª Prenda do RS, Adriane Rebechi Rodrigues. Adriane tem 22 anos e está no movimento tradicionalista desde 1993.

Hoje como 1ª Prenda do Rio Grande do Sul, traz consigo a importância de sonhar e acreditar em seus sonhos. Porém, o caminho para a realização desse sonho - se tornar uma prenda de faixa - não e fácil. Tem que ter muito estudo e dedicação.

Adriane afirma que tudo isso é recompensado pelas experiências que vive sendo Prenda do Estado. Adriane fará uma palestra sobre sua vivência e as obrigações da Prenda do Estado na Casa do Gaúcho, terça feira, dia 17.

Terça feira – 17/05/2011
Hora: 20 horas
Local: Casa do Gaúcho – 25ª RT
Rua Teixeira de Freitas, 1461.
Sagrada Família – Caxias do Sul
Informações: (54) 32381228 (54) 32381228
Fonte: Eron Voesch
Rádio Maisnova FM Caxias

Gravações dos Senhores da Guerra

Acostumados ao ritmo pacato do interior, os moradores de Passo Verde, distrito da zona rural do município gaúcho de Santa Maria, estão vivendo os bastidores de uma verdadeira superprodução cinematográfica. Lá, o escritor e cineasta Tabajara Ruas está dirigindo as filmagens de Os Senhores da Guerra.

São 42 atores e mais de 100 profissionais das áreas técnicas envolvidos nas filmagens. A previsão é que o número de figurantes passe de mil.
 Os figurantes também foram selecionados em Santa Maria. A população foi convidada a participar da superprodução por meio do site da prefeitura. Os mais de cem cavalos usados nas batalhas são de moradores da cidade.


O elenco de Os Senhores da Guerra é todo gaúcho. Rafael Cardoso interpreta Julio Bozano, advogado nomeado intendente aos 26 anos e que comanda o Exército contra o seu irmão, Carlos Bozano, vivido por André Arteche. Também estão em cena Leonardo Machado, Marcos Breda, Zé Vitor Castiel, Miguel Ramos, Marcos Verza, Sissi Venturini, Sirmar Antunes e Fernanda Moro.
 O livro que inspirou a superprodução tem 600 páginas. Pela riqueza dramática e pelo detalhamento histórico feito por José Antônio Severo, Tabajara Ruas decidiu contar a história em dois filmes: Os Senhores da Guerra - Passo das Carretas e Os Senhores da Guerra - Passo da Cruz.


O épico mostra que as brigas entre maragatos e chimangos têm ligação com a história do Brasil. Isso porque parte dos gaúchos também combateu os tenentes que se revoltaram contra o presidente Arthur Bernardes e deflagraram a Marcha da Coluna Prestes – movimento político-militar de oposição à República Velha, liderado por Luís Carlos Prestes.
 São duas rebeliões diferentes, mas que se apoiavam. Havia o conflito do Rio Grande, com os maragatos contra Borges de Medeiros, e o levante dos tenentes para derrubar Arthur Bernardes. Os tenentes eram aliados dos maragatos", explica Tabajara Ruas.

A idéia dos produtores é lançar o primeiro filme em meados de 2012 e o segundo um mês depois. Dia 17 de maio tem gravações em Gravataí.

Pelos caminhos do Rio Grande

Palestra em Encantado, 14ªRT
Esta semana estive bastante ocupado viajando pelo Rio Grande do Sul. Quarta-feira, dia 11 estive em Encantado, 24ªRT palestrando no encontro regional.
No sábado estive em Camaquã, 16ªRT, palestrando no Cfor, curso de formação tradicionalista. Tinha gente de vários municipio como Dom Feliciano, Pelotas, Camaquã, Canoas, Tapes, entre outros. Palestrei sobre história do Rio Grande do Sul e estrutura administrativa do MTG e os objetivos dos concursos, despertando a curiosidade e a liderança dos alunos. Almocei na fazenda da familia do Gabriel Vencatto, ex-peão do RS... sensacional, quanta hospitalidade.
Por fim, estive em Santa Cruz do Sul, 5ªRT no Encontro Regional de patrões, à convite do meu amigo Vieira. Lá, assim como nas outras visitas e palestras, falei sobre a importancia do Portal MTG, seu modo de funcionamento e as vantagens que traz para os CTGs.


As informações sobre estas visitas você confere no www.portalmtg.com.br

A Abolição da Escravatura


O Rio Grande do Sul, depois da revolução farroupilha, passou a empregar trabalhadores assalariados (1870). Na região Norte, as usinas produtoras de açúcar, que substituíram os primitivos engenhos, já utilizava um número menor de escravos. Nos principais centros urbanos, era grande a necessidade do surgimento de indústrias. Visando não causar prejuízos financeiros aos proprietários rurais, o governo brasileiro, pressionado pela Inglaterra, foi, lentamente, colocando em prática o processo de liberdade dos negros.

Em 1850 foi extinto o tráfico de escravos no Brasil. Vinte e um anos mais tarde foi promulgada a Lei do Ventre-Livre. Esta lei tornava livres os filhos de escravos que nascessem a partir da decretação da lei.

No ano de 1885, foi promulgada a lei Saraiva-Cotegipe (também conhecida como Lei dos Sexagenários) que beneficiava os negros com mais de 65 anos de idade.

Mas foi somente em 13 de maio de 1888, através da Lei Áurea, que a liberdade total e definitiva finalmente foi alcançada pelos negros brasileiros. Esta lei, assinada pela Princesa Isabel (filha de D. Pedro II), abolia de vez a escravidão em nosso país.

Aniversário de Dom João VI

Sexta Feira,13, não pude publicar nada sobre o aniversario de Dom João VI por que o Blogger estava fora do ar. Tinhamos ainda a abolição da escravatura e o mito da sexta feira 13. Mas hoje vamos publicar um pouco dessas histórias.

João Maria José Francisco Xavier de Paula Luís António Domingos Rafael nasceu em Lisboa, a 13 de Maio de 1767, recebendo a condecoração de D. João VI, e faleceu no Palácio da Bemposta, a 10 de Março de 1826. Filho de D. Maria I e de D. Pedro III, casou em 1785 com D. Carlota Joaquina, filha de Carlos IV e de Maria Luísa de Parma de Espanha.

Foi aclamado rei em 1816. O seu reinado decorre numa época de profundas mutações à escala mundial e à escala nacional: Revolução Francesa e a conseqüente guerra européia, Bloqueio Continental, campanha do Rossilhão, guerra com a Espanha e as invasões francesas. A fuga da corte para o Brasil, onde permaneceu durante 14 anos, revolução liberal e a independência do Brasil determinando a derrocada de um mundo e o nascimento de outro, mudança que D. João VI não quis ou não soube compreender.
 Vindo par ao Brasil, deixou muito grande a dependência em relação à Inglaterra, com a imposição da abertura dos Portos brasileiros ao comércio internacional e com o tratado anglo-luso de 1810, desastroso para a economia. Além disso, a presença da corte no Brasil impulsionou a independência que se veio a verificar em 1822.

Fonte: Portal da história

domingo, 15 de maio de 2011

De virada é mais gostoso

Ganhar o título dentro do olimpico, de virada, é bem mais gostoso. Na sexta meus amigos gremistas tocavam flauta. Que seriam campeões Gaúchos. Hoje recebo mensagens dizendo que o Inter é "prenda" por que gosta de gauchão. Afinal, o "ruralito", tão apreciado, 36 vezes, pelo Grêmio vale ou não? Ver o Renato engolir em casa suas palavras e chorar na entrevista, Não tem preço.

40º Título Gaúcho. Mais um grenal vencido. São 387 Grenais, sendo 145 vitorias coloradas, 120 empates, 122 vitorias do grêmio. Os empates tão quase empatando com o grêmio.



 Parabéns para minha mãe, de aniversário hoje.
Este é o nosso presente pra ti madrecita.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

De Santa Cruz para o Brasil

Rompi as fronteiras do Rio Grande. Fui buscar ilustres gaúchos que fazem sucesso fora das linhas do nosso estado. Gente que ama as tradições gaúchas e reparte esse amor com seus semelhantes em outros estados da federação.


Pois, fui conversar com Toni Alex Rodrigues, 32 anos, formado em Educação Física pela Faculdade Assis Gurgacz, de Cascavel, PR, natural de Santa Cruz do Sul, onde começou sua carreira. Casado com Lisiane Soares Alves Rodrigues há 8 anos e pai do Gustavo Alves Rodrigues (7) e do Ruan Pablo Rodrigues, com menos de um mês de vida.


Veja minha prosa com o Campeão Nacional, do último FENART, que aconteceu em janeiro, em Triunfo (RS). Saber desse sentimento de gauchismo que invade os outros estados da federação, levado pelos gaúchos que saem daqui com sonhos e paixões e, ao chegarem no seu destino, mudam os destinos dos que lá encontram. Toda entrevista que fiz par ao Portal MTG, vocês podem ver no:


http://www.portalmtg.com.br/noticia/de-santa-cruz-para-o-brasil

quarta-feira, 11 de maio de 2011

A Batalha do Passo das Carretas

Tabajara Ruas - Direitos da Foto: Walper Ruas
Dando continuidade ás filmagens do longa metragem Os Senhores da Guerra, de Tabajara Ruas, foram feitas as tomadas, ontem, em Santa Maria, da Batalha do Passo das Carretas. As cenas foram gravadas no Passo do Verde.
Foto: Ronald Mendes - Materia do BLOG do meu amigo Léo Ribeiro de Souza
O filme conta a história dos irmãos Júlio e Carlos Bozano, que lutaram em lados diferentes em 1923 e 1924 e será contada em dois filmes que estão sendo gravados ao mesmo tempo.

Palestra em Encantado

Hoje estarei palestrando no II Encontro regional da cultura em Encantado, 24ªRegião, à convite do Diretor Artistico da RT, o Tiago Soldá.

Com o slogan extra-oficial: "Tradicionalismo: mais alegria, menos stress!" o evento pretende ser o momento de resgate do bom senso e da educação no meio tradicionalista. Em outras palavras diminuir as relações acirradas na região. Desarmar os espíritos.

Então, hoje a tarde estarei desembarcando em Encantado, terra que me acolheu em 2007, quando fomos para a Europa por 30 dias, com o GAN Anita Garibaldi, meus irmãos.

Resposta de José Antonio Severo

Prezado Rogério:

Não vejo por que o gaúcho Juvêncio Alves Nunes foi tratado com desdém ou mal-querença naquela passagem. Ele tinha todos os motivos para ficar irritado com a requisição de seu animal de trabalho, que lhe deixaria sem tração para rebocar a pipa de água.

Que se tratava de um cavalar de desempenho medíocre para uma guerra, pareceu-me razoável, aceitando a versão da fonte que relatou o fato, pois não se costuma destacar corcéis fogosos para puxar uma pipa. Em todo o caso, se a história causou irritação ao destacado historiador José Francisco Teixeira, a quem dei um exemplar do livro há mais de 10 anos, peço-lhe desculpas.

Quanto à balsa, também diziam minhas fontes que ali havia uma para a travessia do rio. Sua utilizaçào militar pareceu-me plausível.

Obrigado e um abraço 

José Antônio Severo
Autor do Romance:
"Os Senhores da Guerra"

Até onde um romance pode ir?

O romance moderno é tipicamente um gênero narrativo, assim como a novela. Não existe uma clareza quanto à diferença entre romance e novela, mas é costumeiro dizer que na novela há urna concentração de ações individualizadas enquanto que no romance há um paralelo de várias ações. Na abertura dos romances deveria obrigatoriamente de constar frases como esta dita por Thiago Santiago, autor de novelas: "Todos os personagens desta obra são ficcionais. Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência. Mesmo que haja muitas coincidências".



Faz-se necessário uma proteção de lei que faça o descerramento desta cortina chamada romance por traz da qual se escondem autores nem sempre bem intencionados. É deste contexto que brotam indagações como, por exemplo: Quais seriam os limites de um romance? Camuflada como romance, uma história pode invadir privacidades? Por ser romance pode distorcer os fatos colocando "personagens" reais de forma pejorativa na narrativa?


Levanto essa questão para me referir ao romance "SENHORES DA GUERRA", de José António Severo, que tem como cenário e época os últimos dias da revolução de 1923, no Rio Grande do Sul.


Quero me deter no capítulo 29 intitulado Passo das Carretas, pois sou o autor de uma das obras consultadas, livro que traz o título de Combate no Passo das Carretas que prima pelo ineditismo do assunto levantado e com o qual eu mesmo presenteei o autor. Sem entrar em maiores discussões sobre o "romanceamento" do fato histórico, que talvez crie aonde nunca houve, para dar um colorido diferente a um. Cenário triste e pesado. Assim surgem na história essa tal balsa, inexistente no fato e outras coisas mais.

Mas por aí devem ficar as fronteiras do romance, ou seja, o seu limite, avançar mais que isso significa dizer para os filhos e netos de personagens citados, que os seus antepassados faltaram com a verdade ao lhe transmitirem oralmente a narrativa do combate do passo. E mais que isso, que tiveram um comportamento inadequado para a época. E as gerações vindouras, acreditariam na límpida verdade que recebem ou nela romanceada?


Esse romance teve o poder de arrancar das matarias para virar personagem de nome próprio real, uma pessoa digna, trabalhadora, naquele momento capataz de uma grande estância, para expô-la ao ridículo ao "romancear' de forma pejorativa fato ocorrido quando as forças combatentes lhe levaram um animai.


Todos nós sabemos os romances sempre existiram e naturalmente devem continuar existindo, mas não lhes cabe o papel de arranhar realidades pisoteando inclusive o bom e velho respeito que se deve ter ao citar pessoas reais e é claro de familiares reais, E os pseudônimos? Porque o autor não se utiliza deles? Se for para escrever o que quer, rebatizar, deveria ser a regra.


Volto a insistir: Até onde um romance pode ir?

José Francisco Teixeira
 Autor do livro: "Combate do Passo das Carretas"

terça-feira, 10 de maio de 2011

Frase do dia


“Os que te odeiam são admiradores secretos incapazes de compreender porque tantos te amam.”

Cursos que vem por ai

Dia 14/05 Camaquã - Sábado agora
Dia 21/05 MTG
Dia 04/06 Humaitá
Dia 11/06 MTG
Dia 18/06 Montenegro
Dia 16/07 Passo Fundo e avançado no MTG
Dia 05/11 Pelotas (a confirmar)
Dia 03/12 São Gabriel (a confirmar)

Cfor - Curso de formação tradicionalista, importante para os membros de patronagens, departamentos dos CTGs, agora, cada vez mais perto do interior gaúcho.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Danças Tradicionais – Enart 2011

Serão realizados quatro encontros referente as Danças Tradicionais direcionados aos grupos concorrentes de cada Inter regional do ENART, veja abaixo a data dos dois primeiros.
1º Encontro de Estudos da Dança - 2011

Dia 05 de junho - Domingo - Campo Bom

Início às 9h
CTG Mbororé
Rua Professora Liane da Rosa, s/nº
Bairro Celeste - Campo Bom

2º Encontro de Estudos da Dança - 2011
Dia 12 de junho - Domingo – Pelotas
Início às 9h
CTG Thomaz Luiz Osório
Av. Duque de Caxias, 1319
Bairro Fragata - Pelotas

As grandes novidades que vem por ai

Este final de semana estive em Santa Maria no encontro geral do MTG. Departamentos campeiro, Artistico e Cultural.

Rodrigo Sartori, Toni, Cuca, Nilton Brum, Odila Savaris... Foram reuniões produtivas que estaremos publicando no Portal MTG (http://www.portalmtg.com.br)

Dia 11/05 estarei palestrando no GAN Anita Garibaldi, em Encantado, no II Encontro Artistico Regional. O evento tem três grandes objetivos:

- Conhecimento do parque pelas entidades e marcação de locais de acampamento
 - Explanação da programação do rodeio e funcionamento dos palcos e secretaria

 - Integração entre as entidades da 24ªRT

 Para isso, o evento vai contar com duas partes:


1ª Hora: Palestra sobre a programação do evento, organização dos palcos e funcionamento da Secretaria
 2ª Hora: Palestra do Sr. Rogério Bastos, de Porto Alegre, falando sobre os novos rumos do tradicionalismo, a integração das entidades e a retomada da união entre as mesmas.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

A necessidade do imaterial

O secretário municipal de cultura, Sergius Gonzaga publicou no jornal Zero Hora, edição de 6 de maio de 2011, o artigo intitulado "A necessidade do imaterial". A seguir, o texto do artigo:

"Primeiro foi a Feira do Livro. Depois, a Ospa e a Festa de Navegantes. A prefeitura de Porto Alegre, através de sua Secretaria Municipal da Cultura, tem se valido da Lei de Patrimônio Imaterial (promulgada e aplicada em 2004) para registrar oficialmente saberes, costumes, formas de expressão e celebrações enraizadas na tradição local e que traduzam, em sua diversidade e permanência, aspectos identitários de seus habitantes. Agora, chegou a vez das manifestações culturais nativistas, cujo processo de análise já foi iniciado pelos técnicos da SMC e que deverá estar concluído até o início dos festejos farroupilhas.

A questão da preservação do patrimônio nasceu da percepção coletiva de que uma cidade (ou uma região ou um país) sem memória é uma cidade sem rosto e sem alma. Porto Alegre demorou para incorporar a idéia de conservação do passado, destruída que foi, como outras cidades brasileiras,pela especulação febril dos anos 60 e 70 e pela indiferença dos modernistas, que viam no dominante estilo eclético das primeiras décadas do século 20 um pastiche da arquitetura européia.


Pouco a pouco, no entanto, criou-se uma consciência de que os monumentos e edificações do passado, mais do que o registro das tendências e aspirações de uma época e de que seu próprio valor estético, representavam o testemunho em "pedra e cal" de um momento histórico cuja continuidade ajudava a explicar o nosso modo de ver, de ser e de construir referenciais de mundo.


Em função disso, salvou-se uma parte significativa do Centro e uma legislação protecionista foi criada e regulamentada.
Dentro desta perspectiva, o registro do patrimônio imaterial é também uma forma de as comunidades resgatarem aspectos do imaginário coletivo que servem para delimitar a complexa e variada constituição desta "alma citadina", frequentemente soterrada pelas contínuas ondas de modernização vividas pelo país nas últimas décadas.

A escolha da cultura nativista em suas diversas afirmações - hábitos, indumentária, festas, culinária,musicalidade, vocabulário, valores éticos, identificação com o passado histórico, ideário associativo (CTGs,piquetes etc.) e consciência de pertencimento a um território mais espiritual do que físico - resulta do fato de que um considerável número de porto-alegrenses tem encontrado neste corpo de ideias, sentimentos e práticas sociais a sua mais funda identidade.

Nos anos 80, muitos intelectuais viram no nativismo gaúcho (então em forte desenvolvimento) uma restauração conservadora da ideologia oligárquica. Na verdade,não percebíamos que esse movimento multiforme era não apenas uma resposta ao centralismo autoritário e à cultura homogeneizadora dos meios audiovisuais de comunicação, mas também o estabelecimento de um laço afetivo com a vida campesina, irremediavelmente condenada ao desaparecimento pela marcha da sociedade industrial urbana.

Portanto, inscrever esta cultura como patrimônio imaterial da cidade é mais do que uma tarefa da prefeitura.  É um reconhecimento, um elogio e um dever."

Texto de Sérgius Gonzaga
Enviado por Paulo Guimarães
e por Hilton Luiz Araldi

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Frase da semana

"As pessoas falam mal de você por trás, porque sabem que você estará sempre à frente delas!"


Respostas das questões de conhecimentos

Vamos respondendo aqui os testes de conhecimentos feitos apra você, Tchênauta, testar a memória e também aquilo que aprendeu durante os anos de vivencia dentro do tradicionalismo.

Com relação aos índios pampeanos podemos afirmar que:

Letra "C", todas as alternatias estão corretas, ou seja, nos legaram vários termos como: china, poncho, guaiaca, vincha, etc...  Praticavam a poligamia e quando a mulher envelhecia trocavam por uma mais jovem;   Acreditavam que a pessoa tem um espírito guia que se revela após o jejum e os homens vestiam chiripá e falavam a língua quíchua.

Teste II - Os índios Tupis Guaranis habitavam o leste do rio Uruguai. Deles podemos dizer que:

Letra "B" - eram artesões e fabricavam cerâmicas pintadas e escovadas.


Teste II - A “nação” dos índios Pampeanos era dividida entre os Charruas, Minuanos e Guenoas, que habitavam principalmente:

Letra "A" - a Zona da Campanha (pampeanos -PAMPA).


Teste III - Ao se separar do Brasil, a República Rio-grandense manteve como religião oficial a .............

Letra "B" - Católica.


Teste III - O cultivo de arroz foi a primeira lavoura moderna a se desenvolver no Estado. A área mais antiga de cultivo é na Depressão Central. Hoje os maiores produtores são os municípios de:

Letra "A" - Uruguaiana – Santa Vitória do Palmar – Itaqui – Alegrete e Arroio Grande

Esperamos que nosssos Tchênautas tenham gostado da brincadeira. Daqui uns dias estaremos colocando mais questões para jogos de conhecimentos. Aplique no seu CTG. Faça Gincanas de conhecimentos. Desafie. Crie metas. Movimente a sua entidade.
"Conhecimento não é aquilo qu ese sabe. Mas aquilo que se faz com o que se sabe. Ensine."

Vem polemica por ai

Quando escreveu o livro "Os Senhores da Guerra", romanceado, José Antonio Severo viajou pelo Rio Grande do Sul buscando informações sobre a Revolução Federalista. Em Santana da Boa Vista falou com José Francisco Teixeira, hoje Conselheiro do MTG na região e ganhou um livro, o "Combate do passo das carretas", de autoria de Teixeira, que dá nome a Parte I do filme de Tabajara Ruas.

Teixeira (D) ao lado do Presidente do MTG, Erival Bertolini
No encontro de patrões de São Gabriel encontrei o Teixeira que me entregou uma carta. Nela continha um desabafo sobre os critérios do romancista sobre o uso de nomes de pessoas reais em obra ficticia. Sentiu a memória de seus parentes e amigos ofendindas. Ciente da posição do sr. Teixeira, Severo respondeu.

Estaremos publicando este material com exclusividade no Portal MTG.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Mais uma viagem. Mais um encontro regional

A noite de terça foi super agitada. Deixei de lado os trabahos do curso e da pós para me dedicar ao encontro regional que aconteceria em Montenegro, 15ª RT. A vice-presidencia de Cultura do MTG intermediou o acerto com a coordenadoria regional. Prontamente o Coordenador, Sr. Pedro Angeli, nos acolheu em seu encontro regional.


Fui as 18h para Montenegro, 70km de ida. Voltei de lá e fiz 100km. Pergunte como? De noite, errei o trevo e sai pra frente. O Conselheiro do MTG em sua fala lembrou da importancia dos cuidados com indumentária e deu os parabéns ao jovem Lourenço Nunes, Guri Farroupilha do RS. Aliás, foi ele meu fotografo enquanto eu palestrava para os patrões. Foi muito bom meus amigos da 15ªRT.

Materia completa você encontrará no http://www.portalmtg.com.br

terça-feira, 3 de maio de 2011

Entrevistas inéditas no Portal MTG

Acompanhe as entrevistas inéditas do Portal MTG para os Tchênautas.


http://www.portalmtg.com.br/noticia/entrevista-com-junior-bueno-mtgpr  o Paranaense Junior Bueno

http://www.portalmtg.com.br/noticia/o-psicologo-das-dancas-tradicionais Um Psicologo das danças tradicinais, a historia de Marcelo Vasconcelos

http://www.portalmtg.com.br/noticia/o-1-campeao-estadual-da-forca-b Entrevista com Jaqueson Espíndola

http://www.portalmtg.com.br/noticia/entrevista-com-emerson-ribeiro Entrevista com o Emerson do Rancho da Saudade

http://www.portalmtg.com.br/noticia/uma-reflexao-sobre-a-avaliacao Avaliação

Convites recebidos esta semana

Obrigado pelos convites meus amigos...

Saudações Rogério...


Gostaríamos de convidá-lo para o aniversário de nossa Entidade. (...) estamos enviando a você o convite de forma pessoal.

Queremos aproveitar para agradecer sempre a grande atenção e incentivo a nossa entidade e a divulgação de nossa riquíssima cultura através do portal mtg, do seu blog e redes sociais.

Mas uma vez obrigado, e contando com sua presença.


Patronagem do CTG - Tropeiros da Amizade
Sapucaia do Sul/RS
12ª Região Tradicionalista
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Olá Rogério, tudo bem?
 

Dia 11/05 eu gostaria de fazer um evento de "pré-estréia" do Rodeio Regional, ali em Encantado, no local do rodeio. Ele teria basicamente dois objetivos:

1) Deixar bem claro para as entidades a programação do evento, modalidades, comissões, etc;


2) Permitir que as entidades marquem local para acampamento;

E eu queria adicionar um terceiro item: o que achas de colocarmos uma palestra de 45 a 60 minutos sobre o atual ponto do nosso tradicionalismo, e o verdadeiro espírito de integração de um Rodeio Regional como o nosso. O que achas? Acho que seria um "recheio" importante neste evento, até para plantar a semente de amizade entre as entidades e que se pregue o respeito no dia do evento.

Desta forma, na primeira hora, eu apresentaria a programação do evento, palcos, etceteras e tais, e na segunda hora, tu teria esse espaço, e posso te ajudar inclusive, para falarmos desses objetivos do tradicionalismo que andam se perdendo.

Aguardo teu retorno, primeiramente, avisando se teria essa disponibilidade, para em um segundo momento, eu verificar a estrutura com o GAN Anita Garibaldi.


Forte abraço!
Tiago G. Soldá
Gerente Geral
Paiol Recanto Tradicionalista

Humildade...a mais nobre de todas as virtudes

Ah... Se as pessoas se dessem conta que humildade e arrogância são inimigos mortais. A arrogância começa a partir de coisas externas, mas acaba bem dentro da alma, penetrando e destruindo tudo. É terrível tentar conter o ego de uma pessoa que não consegue pedir “desculpas” mesmo sabendo que errou.



Uma pessoa com ego não tem poder para entender o coração dos outros e acabam se distanciando dos amigos e ficando isolados. Pior: Muitas vezes não se dão conta que as pessoas estão excluindo elas.

Exemplo de humildade e de grandeza. Virgilino Bastos e Tio Flor
Uma pessoa com humildade é plena, seu único desejo é doar. Ajudar. Contribuir. Congregar. A pessoa humilde se torna um grande líder, por que liderar é servir. E para servir... Tem que ser humilde. Humildade permite aceitar o que o outro está dizendo.

Se você aceita hoje o que os outros estão dizendo, eles aceitarão amanhã o que você disser. As pessoas se aproximam de você com amor. Humildade faz surgir o seu estado divino e te aproxima mais de Deus.


James Hunter, Daniel Godri e tantos outros gurus da administração e liderança dizem: “Jesus Cristo que foi o maior líder de todos os tempos foi o mais humilde de todos”.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Teste seus conhecimentos III


Ao se separar do Brasil, a República Rio-grandense manteve como religião oficial a .............
A - ( ) Protestante.
B - ( ) Católica.
C - ( ) Maçonaria.
D - ( ) Luterana.

O cultivo de arroz foi a primeira lavoura moderna a se desenvolver no Estado. A área mais antiga de cultivo é na Depressão Central. Hoje os maiores produtores são os municípios de:


( ) Uruguaiana – Santa Vitória do Palmar – Itaqui – Alegrete e Arroio Grande.
( ) Itaqui – São Jerônimo – Passo Fundo e Alegrete.
( ) Uruguaiana – Santa Vitória do Palmar – Passo Fundo e Camaquã.
( ) Arroio Grande – Santa Maria e Itaqui.


Você pode responder por comentário. Vamos testando os seus conhecimentos.

Teste seus conhecimentos II


Os índios Tupis Guaranis habitavam o leste do rio Uruguai. Deles podemos dizer que:
A - ( ) eram bons no uso da boleadeira.
B - ( ) eram artesões e fabricavam cerâmicas pintadas e escovadas.
C - ( ) pouco se sabe sobre sua religiosidade.
D - ( ) praticavam a coleta do pinhão e do mel.

A “nação” dos índios Pampeanos era dividida entre os Charruas, Minuanos e Guenoas, que habitavam principalmente:
A - ( ) a Zona da Campanha.
B - ( ) a Encosta da Serra.
C - ( ) o Planalto Meridional.
D - ( ) a Planície Litorânea.

Teste seus conhecimentos e responda como comentário. Não precisa se identificar.

Teste seus conhecimentos

Com relação aos índios pampeanos podemos afirmar que:


A - Nos legaram vários termos como: china, poncho, guaiaca, vincha, etc...
B - Praticavam a poligamia e quando a mulher envelhecia trocavam por uma mais jovem.
C - Acreditavam que a pessoa tem um espírito guia que se revela após o jejum.
D - Os homens vestiam chiripá e falavam a língua quíchua.

Das afirmações acima, estão corretas:
A - ( ) Somente a alternativa A.
B - ( ) Somente as alternativas A, B e C.
C - ( ) Todas as alternativas.
D - ( ) Somente a alternativa D.

Coloque como depoimento a resposta e teste seus conhecimentos.