quarta-feira, 27 de julho de 2022

Minha gaita conta a história - proposta de tema anual para 2023

Os Peões da gestão Candeeiro, os missioneiros Daniel Forrati e Andrei Caetano, estão trazendo um baita proposta para o debate. Estarei torcendo por ela. 

   "Buenas, gauchada! É com grande alegria que viemos hoje apresentar a nossa proposta para tema anual do Movimento Tradicionalista Gaúcho".

    No dia 30 de Julho de 2022 ocorrerá na cidade de Farroupilha (25ª RT) o 70º Congresso Tradicionalista Gaúcho, evento esse que tradicionalmente escolhe uma temática para nortear os trabalhos do movimento durante o período de um ano. Sendo assim, nossa proposta para viger no ano de 2023 se chama: "Minha Gaita Conta a História".

    É comum ouvir falar que a gaita foi introduzida no Rio Grande do Sul por volta de 1846 com a família do imigrante Pedro Roth Birkenfeld, ou que ainda teve sua vasta disseminação de fato durante e após a guerra do Paraguai, mas mais importante que entender a introdução do instrumento em solo gaúcho é entender que este foi introduzido no “coração” do homem deste estado e, por isso, que assim como o cavalo, gaita por si só também é sinônimo de gaúcho.

    A ideia central do trabalho consiste na conscientização da importância da gaita como instrumento fundamental para a construção da identidade cultural do gaúcho, entender sua história em solo gaúcho, como ela influenciou o jeito de ser do homem campeiro, bem como àqueles que foram expoentes e construtores de sua reputação como instrumento símbolo do estado do Rio Grande do Sul.

    Uma das motivações mais importantes para a construção da proposta deste tema foi a valorização daqueles que quebraram barreiras através da gaita para que a cultura gaúcha chegasse aos pagos mais longínquos. Sendo assim, serão trazidos em evidência três dos principais responsáveis artistas que cumpriram este papel na construção e divulgação da música e da cultura gaúcha, sendo eles: Antônio Soares de Oliveira (Tio Bilia), que comemoraria em 2023 os 60 anos do seu primeiro álbum, intitulado “Baile Gaúcho”, lançado em 1963, Honeyde Bertussi, o qual estaria, se vivo, completando 100 anos de vida em 2023 e, ainda, Pedro Raymundo, esse que nasceu catarinense e morreu como um dos gaúchos mais autênticos, o famoso gaúcho da era do rádio, ficando marcado pelo pioneirismo ao se apresentar devidamente trajado e tendo o seu sucesso “Adeus Mariana” completando 80 anos, em 2023.

Um comentário:

Anônimo disse...

Baita proposta. Valorização da cultura musical nos pagos Riograndenses e esse instrumento incrível que toca almas e corações dos gaúchos de TODAS AS QUERÊNCIAS.