quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Editorial do Blog - FEPART 2013

          Deixei pra descansar um pouco antes de escrever sobre a viagem à Capanema, durante o FEPART 2013, festival paranaense de arte e tradição, para poder refletir um pouco sobre a importância da tradição gaúcha, espalhada pelo Brasil, numa analise mais sociológica, como fez Barbosa Lessa em sua tese "o sentido e o valor do tradicionalismo".
 
         
Entre as características de um grupo social, mesmo os que se formam por afinidade cultural, são:

Organização — todo grupo, para funcionar bem, precisa de uma certa ordem interna;

Objetividade e exterioridade — os grupos sociais são superiores e exteriores ao indivíduo, isto é, quando uma pessoa entra no grupo, eleja existe; quando sai, ele continua a existir;

Conteúdo intencional ou objetivo comum — os membros de um grupo unem-se em torno de certos princípios ou valores, para atingir um objetivo de todo o grupo; a importância dos valores pode ser percebida pelo fato de que os grupos geralmente se dividem quando ocorre um conflito de valores

Consciência grupal ou sentimento de pertencimento — são as maneiras de pensar, sentir e agir próprias do grupo; existe um sentimento mais ou menos forte de compartilhar uma série de ideias, de pensamentos, de modos de agir; um exemplo disso é o jogador de futebol que, quando fala da vitória de seu time, diz "Nós ganhamos!"

Continuidade — as interações passageiras não chegam a formar grupos sociais organizados; para isso, é necessário que as interações tenham certa duração; como exemplo, temos a família, a escola, a Igreja, etc.; mas há grupos de duração efémera, que aparecem e desaparecem com facilidade, como os mutirões para a construção de casas.
               A identificação de grupos sociais, vinculados à tradição gaúcha em todo Brasil, fez-nos transmitir, via internet, o festival pelo site Gauchão & cia. Foi uma bela doação. Streming, internet, equipamentos e pessoas para fazer ir ao ar o FEPART em 2012 e 2013. Em respeito aos amigos tradicionalistas de todo o Brasil caprichamos, trabalhamos muito para fazer, como fizemos em 2009 no ENART, de mandar com pioneirismo, o festival para o mundo.
               O trabalho do Daniel Serafim, do Matheus e do Lucas Wurlitzer Daniel, aliados ao Douglas de Capanema, ao Douglas Ferreira e sua equipe permitiu que colocássemos no ar o FEPART. As centenas de mensagens que recebemos confere com a descrição da necessidade de pertencimento dos grupos sociais. Os instrutores do Rio Grande do Sul e os musicais presentes no festival fazia com que matássemos a saudade do sul. Más Bah, Os Provincianos, Jadir Oliveira Filho, Jeferson Pacheco ... Alexandre Ourique, Emerson Ribeiro, Jefferson Camillo, este, somente sentado nas arquibancadas, pois seu trabalho já estava pronto na força "B", mas mesmo assim aceitou nos dar uma entrevista.
                Fizemos a nossa parte.Estamos felizes em termos realizado o sonho de tanta gente que era assistir de casa e sentir-se no Rio Grande. Fizemos isso.

2 comentários:

Christian Guenther disse...

O Camillo não estava só na arquibancada não... fez um baita trabalho!!!

Christian Guenther disse...

Dom Camillo não estava só na platéia... elevou de último em 2012 para 1º do CTG Tertúlia do Paraná no Adulto B... Baita trabalho!!! Valorizem também