terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Sentinela de Erechim, sete vezes no topo

Lista destaque tradicionalista 2013 - Sentinela da Querencia, de Erechim, é hepta

           Ao alcançar a marca dos 200 pontos da lista destaque, CTG de Erechim se iguala ao CTG Laço Velho, de Bento Gonçalves, que em 2012 esteve em 1º lugar no ranking.

CTG Sentinela da Querencia, de Erechim 7 vezes no topo
CTG Laço Velho, de Bento Gonçalves 7 vezes 
CPF Piá do Sul, de Santa Maria 6 vezes
CTG Prenda Minha de Bagé 5 vezes
CTG Gaudério Serrano, de Bento, 4 vezes

2013 - Os TOP DEZ
CTG Tríplice Aliança - 4ª RT
CTG Sentinelas do Rio Grande – 6ª RT
CTG Felipe Portinho – 7ª RT
CTG Julio de Castilhos – 9ª RT
CTG Rincão da Roça Reúna – 11ªRT
CTG Estância de Sapucaia – 12ª RT
CPF Piá do Sul – 13ª RT
CTG Sentinela da Querencia – 13ª RT
AT Poncho Branco – 13ª RT
CTG Sentinela da Querencia – 19ª RT

          Em tempo - Opinião
          Alguns perguntam o que é este ranking. A resposta é simples: São as entidades que participam ativamente e realizam eventos culturais. Ex: Congresso, classificatória da FECARS e Esportes, Ciranda e Entrevero de peões (regional), Seminário estadual de prendas e peões, Encontro regional de patroes, promoção de eventos culturais ou campeiros e participação geral da entidade na sua região. Difícil ou o mínimo que podemos produzir em termos culturais? para refletir em 2014...

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Propostas que serão votadas no congresso em janeiro

PROPOSIÇÕES DO 61º CONGRESSO EM JANEIRO

CIDADES CANDIDATAS AO ACENDIMENTO DA CHAMA CRIOULA 2014
Acendimento da Chama Crioula - Cruz Alta
Acendimento da Chama Crioula - Rosário do Sul
Acendimento da Chama Crioula - Guaíba

Sugestões de temas para os festejos farroupilhas de 2014
Tema dos Festejos Farroupilhas: O Campeirismo Gaúcho e a sua Importância Social e Cultural
Tema dos Festejos Farroupilhas:Califórnia da Canção Nativa, Caminho para os Festivais no RS
Tema dos Festejos Farroupilhas: Eu Sou do Sul
Tema dos Festejos Farroupilhas: Ao coronel Gavião Joaquim Teixeira Nunes e seus lanceiros negros

Sugestões de temas para o Objetivo anual do MTG
Objetivo anual: "Preservando o passado, construindo o futuro: MTG em defesa do Patrimônio Histórico e Cultural do RS"
Objetivo anual: "A Sustentabilidade Integral das Entidades Tradicionalistas Gaúchas"
Objetivo anual:"Em cada ação, a preservação!"
Objetivo anual: "Cultura, civismo, Tradição e Ética: Os compromissos sociais do tradicionalista"
Objetivo anual: "MTG em busca do uso coerente das tecnologias e valorização do ser humano"

Patrono Espiritual do 61º Congresso Tradicionalista Gaúcho - "Mario Monteiro"
Reconhecimento do Tiro de Laço como esporte
Utilização da Vaca Mecânica
Proposta de Alteração Estatutária
Desvincular Jogos Campeiros Tradicionalistas da FECARS
Mudança da sigla FECARS para FECAERS
Quitação dívidas coordenador candidato à reeleição
Prazo Máximo para candidatura a presidente do MTG
Alterar sistema de eleição Junta Fiscal
Música tema do congresso
Alterar sistema de eleição presidente
Alterar sistema de formação do conselho de ética
Organização de Cfor especializado para avaliadores
Forum de Debates Jovens tradicionalistas
Cidade Candidata a receber o 62º Congresso - Dom Pedrito
Consciência, Moral e Ética Tradicionalista

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

A resposta para tanto calor


Atenção: credenciamento do delegado eleitor

CREDENCIAMENTO DELEGADO ELEITOR – Assembleia Geral Eletiva – MTG -  11/Jan/2014.

O DELEGADO ELEITOR DEVERÁ APRESENTAR, QUANDO DO CREDENCIAMENTO, MANIFESTAÇÃO ESCRITA PARA ESTE FIM DO PATRÃO DA ENTIDADE QUE REPRESENTA, DE ACORDO COM O PARÁGRAFO 1º, DO ARTIGO 110, DO REGULAMENTO GERAL DO MTG.

O MESMO PROCEDIMENTO TERÁ O DELEGADO ELEITOR CREDENCIADO ANTECIPADAMENTE (VIA SISTEMA), QUE DEVERÁ APRESENTAR ESTA MANISFESTAÇÃO ESCRITA, ATÉ O ENCERRAMENTO DO CREDENCIAMENTO, NO FINAL DA 2ª SESSÃO PLENARIA DO 61ª CONGRESSO TRADICIONALISTA GAÚCHO, PARA VALIDAR O SEU CREDENCIAMENTO.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Vem aí a 15ª Cavalgada da Costa Doce

15ª Cavalgada Cultural da Costa Doce, de 16 a 26 de janeiro/2014

          De 16 a 26 de janeiro de 2014 será realizada a  15ª Cavalgada Cultural da Costa Doce, que é considerada por muitos cavaleiros “se não a mais bonita, então uma das cavalgadas mais bonitas do Rio Grande do Sul”.

        Saindo de Guaíba e costeando a Lagoa dos Patos até a cidade de Pelotas, em um percurso de 300km, sendo realizada pela Associação dos Cavaleiros da Costa Doce.  Durante a sua passagem ou pouso envolverá diretamente as comunidades de Guaíba, Barra do Ribeiro, Tapes, Arambaré, Camaquã, São Lourenço do Sul, Turuçu e Pelotas.

          No dia 23 a cavalgada chega São Lourenço do sul, estabelecendo-se na Fazenda do Sobrado, fazenda que pertenceu a D’onana, irmã de Bento Gonçalves. Ali serão realizadas diversas atividades até a noite do dia 24, como: Confraternização entre os cavaleiros, recebimento de mais cavaleiros, apresentações culturais, missa crioula e tertúlia. 

         Dia 25 partem em direção a ilha da Feitoria, e no dia 26 chegam a Pelotas, trecho onde não haverá mais o apoio por terra, sendo acompanhada apenas por barcos. 

        Objetivos:
- Refazer os caminhos centenários ensinados por índios e percorridos, inúmeras vezes, por escravos e tropeiros a caminho das charqueadas, por onde se observam relíquias ecológicas e patrimoniais de valor incalculável e só existentes nesta região.
- Amenizar a dureza da viagem com paradas estratégicas para descanso de cavaleiros e cavalos integração com familiares e tertúlias culturais;
- Chamar a atenção da população para a importância da história e da tradição existente fora dos CTGs, muitas vezes esquecida e até mesmo desprezada, por ser considerada menor e menos glamorosa.
- Realizar eventos paralelos, com o objetivo de divulgar a Cavalgada o ano inteiro, fortalecer o espírito campeiro, agregar os amantes da prática de cavalgadas, integrar os cavaleiros com outros desportistas e despertar a opinião pública.
- Divulgar os atrativos turísticos, históricos e naturais de região da Costa Doce.

Mais informações e vídeos: www.cavaleirosdacostadoce.com.br
Lindas fotos, vídeos e informações aqui: http://www.facebook.com/cavaleiros.dacostadoce
Grande abraço a todos!
Jeândro Garcia (comunicação online) / (51) 9943-4742 / jeandro@uol.com.br
Carlos de Souza Gonçalves – Coordenador / (53) 9103-3410

Um natal em familia

          Na praia, este ano, ao lado de meus pais e mano, com o olhar bem focado do meu filho, Jean, comemoramos mais um natal. Saúde é o mais importante. Apesar desta época sempre me remeter as família de um grande amigo, o Ijuí, que perdeu sua mãe bem num final de ano. Aqui fica meu carinho a tão estimado amigo.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Fique atento, está chegando o Congresso

 Inscrições para os delegados podem ser feitas via internet, utilizando o sistema MTG NET.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Depto. Jovem do MTG promove fórum de debates


Liziane Jardim homenageada

Presidente da Câmara de Aceguá recebe homenagem da Uvergs

             A presidente da Câmara de Vereadores de Aceguá, minha amiga Liziane Jardim (PMDB) foi homenageada pela União dos Vereadores do Rio Grande do Sul (Uvergs) em reconhecimento ao desempenho na Presidência do Poder Legislativo Municipal no exercício de 2013. Tem futuro essa menina.
desembargador Marco Aurélio Costa Moreira de Oliveira entrega diploma para Liziane

EPC premia vencedores de concursos


O tempo e o vento, em janeiro

O Tempo e o Vento: minissérie em 3 capítulos estreia no dia 1° de janeiro
Romance que passou pelo cinema ganha nova montagem para a televisão (http://redeglobo.globo.com)

          A minissérie, que estreia no dia 1º de janeiro, na Globo, ganha uma nova versão, um pouco diferenciada da que estreou no cinema em setembro. Conta a história de amor entre Bibiana (Marjorie Estiano) e Capitão Rodrigo (Thiago Lacerda), em meio aos conflitos de duas famílias opostas, os Terra Cambará e os Amaral, que viveram em confronto por mais de 150 anos. As histórias do pampa e das guerras que encheram o povo gaúcho de cicatrizes e memórias são narradas por Bibiana, a centenária Terra Cambará que relembra a trajetória de sua família, desde sua avó Ana Terra (Cleo Pires) até o final de sua vida.
        Santa Fé é a cidade fictícia onde se passa a história central. Construída no Parque do Gaúcho, em Bagé, no Rio Grande do Sul, a cidade cenográfica ocupa 10 mil metros quadrados, conta com 17 edificações, envolveu mais de 200 trabalhadores durante mais de seis meses, e permanece na região como herança da população local.
       Na obra, uma das mais importantes da literatura Gaúcha, Santa Fé foi fundada e erguida pelo imponente Ricardo Amaral (José de Abreu), que é quem acolhe Ana Terra. É em Santa Fé que ela reconstrói sua vida ao lado do filho ainda criança, Pedro (Eduardo Correa), após perder a família e suas terras em um ataque dos castelhanos. Dedicada e agradecida pelo acolhimento, Ana Terra não poderia imaginar que seus sucessores se tornariam os principais rivais da família Amaral.
        O início desse combate se dá anos depois com a chegada do charmoso e divertido Capitão Rodrigo Cambará (Thiago Lacerda). Corajoso, o guerreiro de muitas batalhas, encantado pela filha de Pedro Terra (Cacá Amaral) e neta de Ana Terra, Bibiana (Marjorie Estiano), enfrenta bravamente os empecilhos de um romance que atravessa o tempo e prova que o amor é capaz de resistir às guerras.
        Muitas emoções te esperam na estreia da mini-série em tes capítulos: O tempo e o vento.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Editorial do Blog - Efêmeros cargos...

       Em nossas vidas, não somos seres puramente racionais, pelo contrário, somos movidos pela emoção. Isso, em torno dos cargos e de seus benefícios mundanos. E sabemos: Entidade ou empresa forte, sala com cadeira exclusiva, caneta na mão, cafezinho ou mate novo, poder de decisão, o trabalho de pessoas nas mãos, isso amolece o racional de muita gente. Eu diria que, ter o poder de decidir, ter a caneta na mão, torna as pessoas mais bonitas e poderosas, mesmo que não sejam.


        Gerir a tua marca pessoal e teu cargo, deve sempre pensar num ditado popular: “o cachorro não abana o rabo para você, mas para o prato que você tem nas mãos”. Nesse caso, pode ser apenas o teu cargo. Quando ele se vai, se vão os “amigos”, aqueles que riam e faziam festa contigo, depois que o cargo se for, eles vão junto.

        É sempre bom ter em mente, que nossa reputação, não cresce com o número de pessoas que nos assediam, ou mesmo, as que baixam a cabeça com os gritos e decisões. O nosso valor pessoal está nas reações, nos sentimentos e nas transformações que provocamos nas pessoas com quem lidamos, sejam elas: amigos, colaboradores, concorrentes... E no rastro que deixamos nas nossas relações num mundo que é cada vez mais individualista, mas que procuramos deixá-lo baseado em relacionamentos e reciprocidade, fica a dica: Não se prenda a cargos, eles são muito pequenos, efêmeros e duram muito pouco. Lembre do ditado: “Não pise nas pessoas quando estiveres subindo, tu podes voltar a encontrá-las... quando estiveres descendo.”

Natal Gaúcho e solidário em Xangri-la

GTC 20 DE SETEMBRO - XANGRI-LÁ / RS - 23ª RT
I NATAL GAÚCHO SOLIDÁRIO

               Convidamos você e sua família par ao natal gaúcho solidário, evento que acontecerá no dia 21/12/2013 na sede do GTC 20 DE SETEMBRO.
PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO:
Otávio Gomes Sanna - Piazito do GTC 20 de Setembro
Jamilli Souza da Rosa - 1ª Prenda Pré-Mirim do GTC 20 de Setembro
Leandro Borges Serafim - Guri Farroupilha do GTC 20 de Setembro
Yasmin Simone Macedo Cardoso - 1ª Prenda Mirim do GTC 20 de Setembro
Kianny Caroline Rosa dos Santos - 1ª Prenda Juvenil do GTC 20 de Setembro
Ingrid Mirella Arrué da Costa - 2ª Prenda Juvenil do GTC 20 de Setembro
Lívia dos Santos Borges - 1ª Bonequinha da 23ª RT
Aline Marquez Clementina - 3ª Prenda Mirim da 23ª RT
Amanda Marquez Clementina  - 3ª Prenda Juvenil da 23ª RT

PROGRAMAÇÃO:
21 de dezembro de 2013 (Sábado)
19:00 – Recepção e Credenciamento
19:30 – Abertura
20:00 – Espetáculo Teatral “Natal Gaúcho”
Participação das Invernadas do GTC 20 de Setembro: Pré-Mirim, Mirim e Juvenil
21:00 – Participação Especial:
“Apresentação dos Alunos das Oficinas Culturais de Música, Canto e Flauta – SME e Casa de Cultura Érico Veríssimo – Capão da Canoa”
21:30 – Chegada do Papai Noel
22:00 – Encerramento

INFORMAÇÕES:
LOCAL DO EVENTO: GTC 20 de Setembro
ENDEREÇO: Rua Olmiro Lima, 163, Guará, Xangri-Lá / RS
TELEFONE PARA CONTATO: Ana Karenina Marquez Clementina: 9241-5138
Diretora Cultural do GTC 20 de Setembro
CREDENCIAMENTO:
1 k de alimento não perecível.
Apresentar cartão tradicionalista ou protocolo.
21 DE DEZEMBRO DE 2013
ENTRADA: 1 k de alimento não perecível
Todos os alimentos arrecadados serão em prol da Associação Centro de Recuperação
Nossa Senhora Aparecida

Você sabia que...

... segundo a bíblia, o Natal é verdadeiramente o nascimento de Jesus Cristo, que veio ao mundo para seguir um plano traçado por Deus, onde o Cristo desse sua vida, para que a humanidade fosse justificada pelos pecados?

...a figura do Papai Noel é baseada em Nicolau? Jovem de família rica, “São Nicolau” nasceu no século III, em Patras, na Grécia. Com a morte dos pais, doou os bens e optou pela vida religiosa. Aos 19 anos, foi bispo de Mira (hoje Turquia), na Ásia Menor, no século IV.

... diz a lenda que, para auxiliar três moças, que não tinham dotes para o casamento e poderiam assim ficar desamparadas, Nicolau jogou um saco de moedas pela chaminé da casa, as quais caíram dentro de sapatos e meias que estavam no fogão?

... em meados do século 13, a comemoração do dia de São Nicolau, passou da primavera para o dia 6 de dezembro, e sua figura foi relacionada com as crianças, a quem deixava presentes vestido de bispo e montado em burro?

... na época da Contra-reforma, a Igreja católica propôs que, São Nicolau, passasse a entregar os presentes no dia 25 de dezembro, tal como agia o Menino Jesus, segundo a tradição destes tempos, que continua em alguns pontos da América Latina?

... a origem dos presentes tem versões religiosas e pagãs? A religiosa diz que o costume se baseia no gesto dos reis magos, que presentearam Jesus com incenso, ouro e mirra.

... em 1223, São Francisco de Assis construiu o primeiro modelo de presépio, reconstituindo o ambiente onde Jesus nasceu? Depois o costume se difundiu entre os cristãos, das casas nobres europeias às classes mais pobres.

... em 1809, o escritor Washington Irving popularizou a história de São Nicolau nos Estados Unidos, descrevendo Santa Clauss como um duende gorducho que aparecia nas noites de Natal e distribuía presentes montado num cavalo voador? Em 1931 o velhinho ganhou a roupa vermelha e branca, graças a uma propaganda da Coca-Cola. 

... por mais que tenha virado lugar-comum dizer que a propaganda é a alma do negocio, isso é a mais pura verdade? As técnicas da propaganda são variadas, mas hoje em dia, é comum associar o produto vendido à estilos de vida e à pessoas famosas.

... no dia 04 de dezembro de 1936, na cidade de Buenos Aires, aconteceu um encontro de publicitários e comunicadores? Assim, foi criado o Dia Panamericano da Propaganda.
.
... a partir da década de 70, o dia ganhou abrangência internacional e passou a ser conhecido como Dia Mundial da Propaganda?

... o termo propaganda, vem do latim “Propagare”, quer dizer multiplicar, espalhar ideias? Em outras palavras, propaganda é uma forma específica de apresentar uma informação ou pensamento.

... introduzida pelo Papa Clemente VII, em 1597, quando fundou a Congregação de Propaganda com o fito de propagar a fé católica pelo mundo, a propaganda, tem como objetivo expressar e espalhar princípios e teorias?

... 18 de dezembro é o Dia do Museólogo no Brasil?

... a profissão foi regulamentada em 1984, o dia nacional foi instituído 20 anos depois como reconhecimento pelo papel fundamental do museólogo para o fortalecimento da cultura brasileira?

... é o profissional que estuda os museus a partir das relações entre o ser humano, a cultura e a natureza, o museólogo é essencial para a proteção, documentação, conservação, pesquisa e difusão do patrimônio museológico?

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Márcia toma posse e entra para a historia

 
           Tomou posse na noite de segunda-feira, dia 16 de dezembro, para seu segundo mandato frente ao Pioneiro, 35CTG, Márcia Borges. Junto com ela, a nova patronagem, e a renovação do Conselho.
           Márcia recebeu o prestigio da camara de vereadores de Porto Alegre e da Assembléia Legislativa do estado do Rio Grande do Sul. Além disso, outras autoridades civis e tradicionalistas se fizeram presentes, como o Presidente do MTG, Paulo Roberto Cavalheiro de Souza e o Presidente da CBTG, Erival Bertolini. Representando a coordenadoria regional, o vice-coordenador Nairolli Calegaro e, o coordenador Marcus Vinicius Falcão.
                  Márcia lembrou das dificuldades encontradas quando assumiu o CTG e volta por cima que conseguiu dar ao lado de sua patronagem. Ela entra para a história como a primeira mulher a assumir o pioneiro e ser reeleita.


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Editorial do BLOG: Irmãos, unidos pela tradição

            O ano era 1991, eu começava a dar aula no CTG Coxilha Aberta, Bairro Costa e Silva, em, Porto Alegre. Era um grupo misto com mirins, juvenis e adultos juntos. Depois de alguns ensaios o grupo começou a crescer e em pouco tempo já tínhamos três invernadas. Eduardo ainda lembra (camisa amarela) que ensaiava a meses em outro CTG e não aprendia para se apresentar. Em um mês no Coxilha já dançava na adulta. Lá fez grandes amizades e nos levou a fazer amizades com outros CTGs. Lindas as histórias de amizade que o tradicionalismo faz.
             Agora, no rodeio do Campeiros do Sul, em Alvorada, nos encontramos e junto estava meu filho, que seguiu os mesmos passos. Agora amplia-se o circulo de amigos. Esta é a lógica do tradicionalismo se alguém ainda não tinha entendido.

Estancia da Poesia Crioula convida


O 1º Congresso do MTG

            O 1º Congresso Tradicionalista Gaúcho, que aconteceu em Santa Maria, no ano de 1954, não foi um simples encontro dos 38 CTGs existentes na época, foi muito mais, pois reuniu mentes brilhantes como Manoelito de Ornellas, Luiz Carlos Barbosa Lessa, Luis Alberto Ibarra, Getulio Marcantonio, Lauro Rodrigues, Hugo Ramirez, Ruy Ramos, Paixão Cortes e muitos outros. Neste congresso de 1954 foram apresentadas teses que transcendem o tradicionalismo, como a de Barbosa Lessa: “O sentido e o valor do tradicionalismo”, ou “a importância da reforma agrária”, de Ruy Ramos, ou mesmo, “Os valores morais do Gaúcho”, de Oswaldo Lessa da Rosa.

               Foi no primeiro congresso que Getulio Marcantonio apresentou a moção para a criação da carta de princípios, sete anos dela ser ajustada definitivamente. E nesse tempo, Glaucus Saraiva nem fazia parte do grupo que iria elaborar o documento máximo do Movimento Tradicionalista. Também foi nele que Fernando Brockstedt, da União Gaúcha, de Pelotas apresentou a ideia de uma federação para unir os CTGs do estado.

Manoelito de Ornellas, em seu discurso de abertura do 1º Congresso, o qual foi presidente, dizia: 


Vamos dar aos nossos centros finalidades mais amplas no campo moral e do espírito? Torne-mo-los escolas práticas de civismo e moral, pelo premio dos aplausos às virtudes reveladas e pelo ensinamento constante de quanto possa dar a nossa gente um nível mais alto de espírito e uma mais solida estrutura de caráter. Cada centro poderá ser um núcleo de irradiação cultural, no ensino da historia, da caracterização do nosso folclore, no estudo da literatura e na prática do teatro.”

Fazer o bem, sem olhar a quem...

        Mais uma ano e, mais uma vez, os Fandangueiros da Tradição, grupo de amigos que trabalha a tradição gaúcha nos CTGs, em especial a dança gaucha de salão, e o CTG Sinuelo da Amizade,  estavam fazendo um trabalho solidário. 
 
        Desta feita foi na Pastoral da criança de Gravataí, onde arrecadaram presentes, alimentos e dinheiro e levaram para quem precisava. Vejam nas fotos as pessoas maravilhosas que pensam, não somente no seu natal, mas no natal que quem necessita. Parabéns gurizada dos Fandangueiros e do CTG Sinuelo, que reabriu, reapareceu no mapa da região e está fazendo um trabalho acima da média.
              E na minha querida fronteira da paz, o Rui e a Andrea continuam trabalhando para ajudar quem precisa. Desta vez estiveram no Asilo Sebastião Peres, em santana Do Livramento (foto abaixo).

sábado, 14 de dezembro de 2013

Acredite se quiser....

O Gaúcho que laçou um avião

        Numa tarde de janeiro de 1952, o jornalista Cláudio Candiota, então diretor de A Razão, de Santa Maria, encontrava-se em sua sala quando foi procurado pelo comandante do aeroclube da cidade, Fernando Pereiron. O visitante trazia uma notícia de impacto, mas não para ser divulgada. Pelo contrário, queria escondê-la. Temia causar prejuízo à imagem do estabelecimento sob sua responsabilidade.
         Quando soube do que se tratava, a reação de Candiota foi em sentido oposto: “Deixa comigo. Vou tornar este aeroclube famoso em todo o mundo. É a primeira vez que acontece uma coisa como essa”, disse de imediato. Como também era correspondente no Rio Grande do Sul de O Cruzeiro, o jornalista telefonou para a direção da revista, no Rio, que mandou, já no dia seguinte, para Santa Maria, o seu melhor fotógrafo, o gaúcho Ed Keffel. Uma semana depois aparecia, com exclusividade, a reportagem em cinco páginas, amplamente ilustrada.
        Um peão de estância tinha simplesmente laçado um avião em pleno vôo. E como houve dano na hélice do aparelho, o piloto estava ameaçado de demissão, por ter agido de forma imprudente e provocativa, e por não ter comunicado o fato às autoridades aeronáuticas.

Voos rasantes

        O autor da façanha de “laçar um avião pelo focinho” foi o peão Euclides Guterres, 24 anos, solteiro, descrito na época como vivaz , fazedor e contador de proezas. Tudo começou quando o jovem piloto Irineu Noal, 20 anos, pegou o “Paulistinha” Manuel Ribas e decolou rumo à fazenda de Cacildo Pena Xavier, em Tronqueiras, nas proximidades da base aérea de Camobi, e passou a tirar repetidos rasantes sobre as coxilhas.
        No alto de uma delas, Euclides cuidava de uma novilha com bicheira e não gostou do que viu. Achando que aquilo era alguma provocação, não teve dúvidas: armou o laço de 13 braças e quatro tentos e atirou em direção ao bico do teco-teco, acertando o alvo. Por estar preso na cincha do arreio sobre o cavalo, o laço, com o impacto, arrebentou na presilha e seguiu pendurado no avião. O piloto, assustado, tratou de pousar. Ainda na cabeceira da pista, longe do hangar, retirou o laço e o escondeu no meio das macegas.
          "Eu não fiz por maldade. Foi pura brincadeira. Para falar a verdade, não acreditava que pudesse pegar o aviãozinho pelas guampas num tiro de laço.", disse o peão Euclides Guterres.
"Nada nos pode parecer mais estranho do que a notícia de que um homem tenha laçado um avião. A vontade que a gente sente é mesmo de duvidar. Mas, a verdade é que a extraordinária façanha aconteceu no pampa gaúcho, em Tronqueiras, na rica fazenda de Arroio do Só, no município de Santa Maria."
           Abertura da reportagem publicada por O Cruzeiro, em 23 de fevereiro de 1952, assinada por Cláudio Candiota 1952

É hoje, o especial Teixeirinha em Alvorada


sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Pelagens dos cavalos segundo Cyro Dutra Ferreira

•ALAZÃO: vermelho - claro alaranjado.
•AZULEGO: azulado, com uma ou outra mancha branca.
•BAIO: cor de café-com-leite fraco.
•BAIO CABOS - NEGROS: com pernas, crina e cola pretas.
•BAIO ENCERADO: café com leite forte e manchas arredondadas e levemente mais escuras.
•BAIO CEBRUNO: café com leite forte e argolas pretas nas quatro patas.
•BAIO RUANO: café com leite bem desmaiado e crina e cola, brancas.
•BRANCO: totalmente branco.
•BRAGADO: totalmente coberto de manchas brancas, vermelhas ou pretas embaralhas e indefinidas, dando a aparência de um buque de flores.
 COLORADO: vermelho. COLORADO PINHÃO: vermelho carregado, quase encarnado.
•DOURADILHO: vermelho bem claro, que brilha quando exposto ao sol.
•GATEADO: café com leite forte ou marrom fraco.
•GATEADO ROSILHO: com pintinhas brancas.
•LUBUNO: cinza.
•MALACARA: geralmente cavalos vermelhos que tiverem, à frente da cabeça, uma mancha vertical, dos olhos até o focinho (outros pêlos que tiverem a mesma mancha normalmente não são tratados como Malacara).
•MOURO: pequenas pintas brancas sobre o fundo preto.
•OVEIRO: manchas grandes, brancas, vermelhas ou pretas, arredondadas.
•PAMPA: o cavalo que tiver toda a cabeça branca.
•PANGARÉ: café com leite, com barriga e focinho brancos.
•PICAÇO: todo preto com qualquer mancha branca e em qualquer lugar.
•PRETO: totalmente preto.
•ROSILHO: pintas brancas sobre o fundo vermelho.
•ROSILHO PRATEADO: rozilho, com a anca quase branca.
•ROSADO: é como na Serra denominam o Bragado.
•RUANO: vermelho claro e crinas e cola brancas.
•TOBIANO: faixas largas e bem definidas, brancas e vermelhas ou brancas e pretas, em geral dispostas verticalmente.
•TOBIANO ROSÍLHO: quando as faixas forem rosilhas.
•TOBIANO MOURO: quando as faixas forem do pêlo mouro.
•TORDILHO: fundo branco com pintas levemente mais escuras, de um branco sujo.
•TORDILHO NEGRO: fundo branco com pintas de um preto desmaiado.
•TORDILHO VINAGRE: fundo branco sob pintas marrons.
•TOSTADO: cor de castanha madura.
•TOSTADO RUANO: cor de castanha madura com crinas e cola brancas.
•ZAINO: Marron escuro.
•ZAINO CRUZADO: Marron escuro e duas patas brancas, desencontradas
•ZAINO NEGRO: quase preto
•ZAINO PINHÃO: puxado a cor de pinhão maduro
•ZAINO TAPADO: Que não tem qualquer pinta branca
Animais que possuem de 1 a 4 canelas brancas, independente da pelagem são chamados de “calçados”

Hoje é 13, sexta-feira prenda minha, é dia de louvação


       Mais uma vez é sexta feira 13... E lá vem os maus presságios, as superstições, os medos. Mas de onde surgiu essa ideia de que este dia, especificamente, é um dia de azar? Essa superstição foi relatada, em diversas culturas, muito antes de Cristo.

         Há muito tempo, certos dias ou épocas do ano são compreendidas como impregnadas de algum tipo de infortúnio ou má sorte. Atualmente, o encontro do dia 13 com a sexta-feira é repleto de crendices e lendas. Como se não bastasse, o cinema norte-americano tratou de imortalizar com filmes de bruxas, demônios, lobisomens e o mais famoso, Jason Voorhees, um serial killer que ataca neste dia.
     
         Existem histórias contadas da mitologia nórdica (vikings). Em uma delas, conta-se que houve um banquete e 12 deuses foram convidados. Loki, filho de Odin, e um espírito do mal e da discórdia, apareceu sem ser chamado e armou uma briga que terminou com a morte de Balder. Há também quem acredite que convidar 13 pessoas para um jantar é uma desgraça, simplesmente porque os conjuntos de mesa são constituídos, regra geral, por 12 copos, 12 talheres e 12 pratos.

          Outra explicação sobre esse dia podemos lembrar da consolidação do poder monárquico na França, quando o rei Felipe IV, ao sentir-se ameaçado pelo poder e influência da Igreja tentou se filiar à ordem dos Cavaleiros Templários, que, por sua vez, recusou a entrada do monarca na corporação. Enfurecido, segundo relatos, teria ordenado a perseguição dos templários na sexta-feira, 13 de outubro de 1307.

         Em outra versão, a deusa do amor e da beleza era Friga (que deu origem a frigadag, sexta-feira). Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, Friga foi transformada em bruxa. Como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio, os 13 ficavam rogando pragas aos humanos. Da Escandinava a superstição espalhou-se pela Europa.

         Uma das mais conhecidas justificativas dessa maldição, conta que Jesus Cristo foi perseguido nesta data. Antes de ser crucificado em uma sexta-feira, o filho de Deus celebrou uma ceia que, ao todo, contava com treze participantes. Na Santa Ceia sentaram-se à mesa treze pessoas, sendo que duas delas, Jesus e Judas Iscariotes, morreram em seguida, por mortes trágicas, Jesus por crucificação e Judas provavelmente por suicídio. Note-se também que, no Tarô, a carta de número 13 representa a Morte.

Programação do 61º Congresso Tradicionalista



quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Chamadas bizarra dos marqueteiros

Frango Bovino? Pode?
Flay Hauser: Deve ser alemão 
Roupas de inferno infantil.. deve ser para os diabinhos que se tem em casa...
Aves frescas com exceção do coelho, mas por que?
Panetone PLUMÃO? deve ser comer para respirar melhor.
Colchão Inflamável? Armadilha par afumantes?
Carne Friboy, será de um novo super herói?
Creme dental que acaba com a caspa? Oba!
Fonte: Macacovelho.com.br

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Prefeito salva a vida de roadie do Tchê Guri

           No exato momento que o Papai Noel chegava na praça para alegrar as crianças, uma tragédia foi evitada.
           No palco do Natal Étnico, enquanto o apresentador fazia o suspense para a chagada do Papai Noel, o roadie da Banda Tchê Guri Anderson Vinícius era vítima de um choque elétrico. Ele ficou preso nas barras de ferro pelas duas mãos. Na primeira fila, estavam sentadas as autoridades e, pela fresta da cortina e caixas de som, a vice-prefeita Teodora Lütkemeyer avistou o corpo do homem estremecendo e imediatamente chamou a atenção do prefeito, o médico Antônio Vicente Piva.
          O Dr. Piva correu escada acima e gritou para que fosse desliga a chave geral. Quando chegou perto o corpo do rapaz havia se soltado dos contatos e jazia desacordado. Em pleno palco reanimou a vítima que estava sem sinais vitais. A ação durou entre um e dois minutos. O Dr. Piva aplicou as técnicas de reanimação com insistência e força, restituindo a vida do rapaz de 32 anos. Reanimado, ele recusou-se a ser levado pela ambulância e disse que se sentia bem. Lembrava apenas do puxão muito forte que o deixou grudado nos cabos, da dor e de ter perdido os sentidos.
         O público da praça, cerca de 4 mil pessoas, muitas delas crianças, emudeceu diante do que estava vendo. O momento de tensão, até ser anunciado que o rapaz estava bem, foi seguido de aplausos para o Dr. Piva.
         O apresentador, Daniel, que narrou o episódio para o público, anunciou o fim do suspense:
        - O Dr. Piva, o prefeito, salvou a vida do rapaz. Estamos diante de um herói!
        Não fosse médico o prefeito, e não estivesse ele diante do palco, o episódio teria outro final.
        A constatação também foi do próprio Anderson Vinícius que se manifestou no seu perfil no Facebook.
       - É um milagre de Deus eu estar vivo. Não fosse o prefeito da cidade onde nos fomos tocar essa noite, eu não estaria mais aqui.

             Anderson Vinícius, que trabalha como roadie da Banda Tchê Guri, relata então como aconteceu. O roadie é uma espécie de salva-vidas do músico. É aquele cara que passa quase despercebido, sempre pelos cantos, mas que para uma boa performance de palco é indispensável sua ajuda. É o último elemento da banda, sempre cobrindo a retaguarda do músico nas situações adversas em shows, e sempre realizando o trabalho mais árduo.
            Ele estava arrumando as coisas no palco quando pegou nos ferros do som, sentiu o choque que o grudou e não soltou mais. “Olhei para o lado e tinha outro ferro igual, eu consegui pegar no outro ferro para tentar puxar o braço que tava tomando choque e infelizmente fechou um terra e fiquei grudado nos dois ferros, com uma descarga de choque muito grande. Fiquei sentindo muita dor. Meu corpo perdeu todos os sentidos de tanta dor, começou tudo escurecer, desmaiei e ai me soltou. Quando caí, todos vieram correndo ver,colocaram a mão no meu pescoço e uma pessoa chegou a dizer que eu estava morto. Mas como Deus existe, o prefeito da cidade era médico e chegou rapidamente, me dando soco no peito, já que eu estava sem pulso e sem respirar. Todos achavam que eu realmente tinha morrido,quando ele começou fazer massagem no meu peito e dar socos para tentar me reanimar. Foi então que acordei. Foi tão forte que chegou a estourar bolhas nas minhas mãos. Detalhe: o choque que eu tomei era terra, e não solta. Só Deus me soltou. Perdi os sentidos e fiquei sem pulso, daí não passa corrente. Ou seja: meu coração parou por alguns minutos.  …. Eu estava de aniversário, então, não fiz 32 anos, eu nasci de novo. Estou sem palavras para agradecer a todos do Tchê Guri, o que fizeram por mim, ao prefeito por ser um médico competentíssimo e saber o que fazer na hora certa. Obrigado Senhor por ter me devolvido a vida".
Texto e foto: Helaine Ganoatto Zart
A FOLHA - de Não me toque
www.afolhadosul.com.br

Que voltagem máxima um ser humano suporta?   SUPERINTERESSANTE

            Durante um choque, o que importa não é a voltagem – diferença de potencial elétrico entre um ponto e outro – e sim a amperagem, que é a intensidade da corrente elétrica. Por uma lâmpada de 100 watts passa, por exemplo, uma corrente de cerca de 900 miliampères (mA). Ao receber o choque, a pessoa funciona como uma ponte que transporta a corrente elétrica já que o corpo humano, formado em grande parte por água e sal, é um bom condutor de eletricidade. “O organismo é capaz de sentir uma corrente a partir de 1 miliampère”, explica o médico do trabalho Sérgio Alcântara Madeira, da Eletropaulo-Eletricidade de São Paulo.
            A partir daí até 9 miliampères ocorrerá um processo ligeiramente doloroso. De 9 a 20 miliampères, além da dor, a pessoa perde parte do controle muscular e não consegue largar o condutor. Acima disso, os problemas passam a ser mais graves, podendo causar a morte. Uma corrente de 75 miliampères produz a contração dos músculos do pulmão, provocando deficiência do sistema respiratório. Acima de 75 miliampères a descarga elétrica começa a interferir no coração, que também trabalha com mecanismo elétrico, provocando uma arritmia cardíaca. Mas esses números podem variar. As queimaduras acontecem porque o corpo funciona como a resistência do chuveiro, que transforma energia elétrica em calor. Pessoas com as mãos calejadas e secas são muito menos afetadas por um choque que uma com mãos finas e úmidas.

Valores aproximados da corrente e os danos que causam:
1 mA a 10 mA – apenas formigamento
10 mA a 20 mA – dor e forte formigamento
20 mA a 100 mA – convulsões e parada respiratória
100 mA a 200 mA – fibrilação
Acima de 200 mA – queimadura e parada cardíaca

Programe-se para o Bivaque e o acampamento da canção


11 de dezembro - Dia do Tango

                O dia 11 de dezembro, é o dia de homenagearmos o TANGO. A data lembra o nascimento dos criadores de duas vertentes desta dança: Carlos Gardel (11 de dezembro de 1890) e Júlio de Caro, diretor de orquestra (11 de dezembro de 1899).
Mauricio Dias, de Osorio, interpretando um tango.
                Carlos Gardel foi o maior propagador do tango no mundo. Faleceu aos 45 anos em acidente aéreo, junto com toda sua orquestra, mas deixou preparado o caminho para as novas gerações.
               A origem do nome TANGO é atribuída à expressão “tamgu”, da Nigéria, que significa “bailar ao som do tambor”. Em Buenos Aires, acreditava-se que os negros designavam seu instrumento de "tangor" porque tinham dificuldade para pronunciar "tambor". Logo no inicio, o tango era interpretado ao som da flauta, violão ou violino. A partir do início do seculo XX, foram chegando os imigrantes alemães e com eles, os acordeons. Começou aí, uma mistura de habaneras com polcas e ritmos já existentes, nascendo, segundo alguns historiadores, o TANGO. Hoje, sua interpretação é executada quase sempre por bandoneons.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Os maiores cuteleiros estarão no DC Shopping


V Feira da Faca Artesanal Gaúcha, em Porto Alegre (RS)

         Nos dias 14 e 15 de dezembro de 2013 acontece em Porto Alegre (RS) a V Feira da Faca Artesanal Gaúcha. Mais de 35 expositores estarão presentes. O evento, que é uma promoção da Associação Gaúcha de Cutelaria, tem como patrono desta edição José Antônio Pinheiro Machado, o Anonymus Gourmet. A Feira acontecerá no Átrio Restaurante Vitrine Gaúcha, no DC Shopping. A entrada é gratuita. A visitação no sábado será 10h às 18h e no domingo das 10h às 16h.

      O convite da Associação Gaúcha de Cutelaria está no link 
https://www.facebook.com/events/611899348868463/?ref=22

Como foi para organizar o 1º congresso?

            É inegável a importância dos congressos tradicionalistas para a criação de um "sistema" organizado do tradicionalismo gaúcho. Se a criação do "35" CTG foi a grande largada para o Movimento Tradicionalista Gaúcho, gerando o aparecimento dos CTGs em todos os rincões, o primeiro Congresso foi o passo inicial para a formação de uma federação destes CTGs. Sem os congressos tradicionalistas não haveria condições de serem estabelecidos e mantidos padrões homogêneos, princípios comuns e a fundamental troca de experiências e interação entre as entidades que surgiram, muitas vezes, sem saber exatamente o que fazer. Podemos dizer que os congressos foram e, continuam sendo, a argamassa que possibilitou a edificação do MTG. 
         Na cidade de Pelotas, Fernando Brockstedt, Ubirajara Timm e Oswaldo Lessa da Rosa convocaram uma Assembleia Tradicionalista, que foi realizada em dezembro de 1952, com a presença de representantes de sete Centros de Tradições Gaúchas. Neste encontro ficou   aprovada a ideia de realizar um Congresso Tradicionalista e criar uma federação de entidades tradicionalistas do Rio Grande do Sul.
             Fernando Brockstedt trabalhou na elaboração do anteprojeto do estatuto dessa federação e distribuiu cópias aos CTGs que participaram da assembleia em março de 1953. Era o primeiro passo para o Io Congresso, bem como da criação do MTG, que se concretizaria somente 14 anos depois.
            Simultaneamente espalhou-se através da imprensa para todo o Estado, a realização do pretendido congresso. Em Erechím, o professor Hugo Ramírez havia fundado o CTG Galpão Campeiro, em Bagé, Jaime Tavares causava entusiasmo com o CTG 93. 
             Rapidamente outras entidades eram fundadas: Cachoeira do Sul, Piratini, Soledade, São Lourenço do Sul, Farroupilha, Rio Grande (reerguimento do Mate Amargo entidade fundada em 1934), Pinheiro Machado, Porto Alegre (Estância da Amizade), Quaraí, Cacequi, Júlio de Castilhos, Rio Pardo, Esteio, São Gabriel, Canela, São Francisco de Assis, entre outros.
          O jornalista Sady Scalante, da União Gaúcha, nesta ocasião, transferiu-se de Pelotas para Porto Alegre e passou a liderar os preparativos. Foi agendada para novembro de 1953, em Rio Pardo, uma segunda Assembleia Tradicionalista, que se realizou no CTG Fogão Gaúcho Riopardense.
         
Luiz Alberto Ibarra(E), Walter Miller Barlém(C) e Guilherme Schultz Filho (D) - Fonte: MTG 40 anos
          Nesta assembleia surgiram as primeiras dificuldades, especialmente no transporte e hospedagem dos participantes. Emílio Rodrigues, do Ponche Verde CTG, disse que Santa Maria assumiria o evento. Ficou então decidido que seria em Santa Maria, no Ponche Verde CTG, com o apoio do CTG Mate Amargo de Rio Grande, CTG Sepé Tiaraju de São Lourenço do Sul e CTG Lalau Miranda de Passo Fundo. Como organizador, a União Gaúcha de Pelotas.

          Barbosa Lessa reuniu-se em dezembro de 1953 com Sady Scalante, Emílio Rodrigues e Fernando Brockstedt, ponderando que o "35" CTG, como pioneiro e por localizar-se na capital, não poderia ficar de fora da organização. Assim, procuraram um dos intelectuais mais conceituados do momento, Manoelito de Ornellas. Do encontro resultou a formação de uma comissão organizadora de cinco membros: Manoelito de Ornellas e Walter Spalding ("35" CTG), Sady Scalante e Luiz Alberto Ibarra (União Gaúcha de Pelotas) e Emílio Rodrigues (Ponche Verde CTG). De imediato marcaram a data do Congresso para o período de 2 a 4 de julho de 1954.

Pensamento do dia....


Natal Gaúcho em Rio Grande

CCN REALIZA 5ª EDIÇÃO DO NATAL GAÚCHO

Nesse dia 13 de dezembro de 2013, a 1ª Prenda Mirim Do CCN Sentinela do Rio Grande Laura Nunes Campos, juntamente com a entidade, realizaram o 5º Natal Gaúcho
O evento esta marcado para começar  as 20hs, em sua Sede na Rua Edson de Souza Mendonça,169 – Bairro Parque São Pedro contara com a presença do PAPAI NOEL para brincadeiras , festa e atividades.
O mesmo  estará direcionado para as crianças e adolescentes da Casa Raio de Luz, que foram apadrinhados pela família Sentinela  onde receberão todo o carinho que os tradicionalistas dessa entidade tem para com os mesmos, com as brincadeiras presentes e interação
O 5º Natal Gaúcho é aberto a toda a comunidade que queira acompanhar e participar  dessas ações  e assim conhecer também atividades  paralelas/ tradicionalistas  que o Sentinela também desenvolve.

Maiores informações poderão ser adquiridas com os membros da patronagem e também com a 1ª Prenda Mirim Laura Campos pelo fones 53 99971271 e 99292680  

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Nota de esclarecimento da Gauderiada

            Esclarecimento recebido pela comissão organizadora da Gauderiada

           A comissão organizadora da 32ª Gauderiada da Canção, informa que as inscrições serão aceitas conforme o regulamento, tendo como data limite o dia de hoje, 9 de dezembro. Portanto, os músicos e compositores que ainda quiserem encaminhar seus trabalhos, podem acessar o site oficial do evento: www.gauderiadadacancaogaucha.com.br para procederem com a inscrição.
Clarissa Moura
bahstidores@yahoo.com.br

Tropa de EliTchê rendeu no findi

         Fim de semana marcado por muitos rodeios pelo RS. Teotonia, Passo Fundo, São Marcos, Espumoso, Alvorada e São Gabriel. Nossa gurizada, espalhada pelo estado fez jus ao título de membro da Tropa de EliTchê.  
       Luana Raquel Wojciechowski conquistou 1º Lugar no solista vocal feminino juvenil e na declamação no rodeio de Espumoso e campeã,  também, no solista vocal no rodeio Internacional de Passo Fundo.
           Jean Carlo Bastos sagrou-se Guri Farroupilha do Rodeio do Campeiros do Sul, 1º lugar interprete solista vocal até 15 anos e declamação, idem. E a novidade, que me surpreendeu, foi que resolveu contar causo de galpão, relembrando o que meu avô contava sobre lobisomem, lá fora, em Bagé, na chácara. Valeu o causo, 2º Lugar no rodeio.

Confusão nas datas de inscrições da Gauderiada

por: Clarissa Moura
bahstidores@yahoo.com.br

                No site oficial da Gauderiada, constam duas datas limites para inscrições no festival. No regulamento oficial a data de término é o dia 09 de dezembro e no banner em destaque no site a data é o dia 07 de dezembro. Muitos músicos e compositores que estavam se baseando na data do regulamento oficial, se prejudicaram, e não conseguiram enviar as composições em tempo de serem triadas, pois a triagem da Gauderiada Mirim já encerrou e da Gauderiada da Canção, iniciou na tarde de hoje.

                No dia 26 de novembro de 2013, tomamos conhecimento através do facebook que haviam iniciado as inscrições para a 32ª Gauderiada da Canção Gaúcha e 25ª Gauderiada Mirim. De imediato, acessamos o site do evento para pesquisarmos mais informações bem como baixar o regulamento completo.

                Desde o ano passado, o festival vem desenvolvendo um sistema online de inscrições, um formulário na própria página, onde neste formulário fica depositado o regulamento. Deste formulário, onde constava o REGULAMENTO OFICIAL, tanto da categoria geral como da mirim, extraímos as informações sobre data limite de inscrições, o dia 9 de dezembro (conforme ilustração abaixo).

                Nossa surpresa na tarde de hoje, foi quando vimos a divulgação da relação das classificadas da Gauderiada Mirim. A partir daí começamos receber contatos de compositores questionando o que havíamos divulgado. Foi quando observamos a falha que ocorreu por parte da comissão organizadora. No regulamento oficial (o qual divulgamos) constava a data do dia 09, e no banner do site a data do dia 7 de dezembro como data limite de termino das inscrições.

               Em contato com o senhor Paulo Fernandes, na noite de hoje, para mais esclarecimentos, ele nos disse que a data válida seria a do dia 7 e que a triagem já está acontecendo. Após relatarmos o ocorrida, a comissão organizadora ficou de verificar qual medida será tomada. Em função disso, estamos no aguardo de definições sobre essa divergência de datas.

Os que tiverem dúvidas, podem acessar o site oficial

http://bahstidores.blogspot.com.br/2013/12/divergencia-de-datas-de-termino-das.html 

Extra! Extra! Saiu o Eco de Dezembro

Fundação Cultural Gaúcha lança sua loja virtual;
Editais: Convocação para o Congresso de Porto Alegre
FEPART: Entrevista com a Hexacampeã do Paraná
ENART: Entrevista com campeã solista vocal feminina
FEGAES: Luana homenageada no jubileu de Prata
35 CTG: Márcia é reeleita patroa
1ªRT ganha a cuia de ouro do ENART
CBTG: Bertolini é o novo presidente da CBTG
Turismo no Sul: Itapuã é o paraíso
Mate do Patrão: Pagamento de anuidades
Noticias: Morre o "Nego Betão", da musica do Jorge Guedes
Paginas centrais: Show de fotos do ENART
Contracapa: A história dos Charruas, campeões do ENART
Atenção: Anuidades com 20% de desconto em dezembro, antecipe-se

Vem aí o 61º congresso tradicionalista

Proposições tem a data limite de hoje para serem enviadas para o MTG

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Sarau Radio Sul Net

               Na noite de 05 de dezembro de 2013, quinta feira, estivemos no Boteco Tchê, para ouvir a boa musica de Leoncio Severo, comandante da Radio Sul Net. Lá encontramos amigos músicos, radialistas, produtores, entre outros. Beta Teixeira, filha do saudoso Vitor Matheus Teixeira, dividiu a mesa conosco, Monica Boeira, ex-colegas de Radio Rural am 1120. Petiscos deliciosos no boteco. Vale a pena eventos como este.

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Um bom mestre de cerimonias

(Texto retirado do blog do Léo Ribeiro de Souza, perfeito, e que eu e o Elomir vivemos falando nos CTGs. Já vi isso, que vocês irão ler, acontecer em eventos oficiais, onde convidaram o mestre de cerimonias, o radialista da cidade. que tem uma voz de "trovão", mas não conhece o "metiê". leia as linhas que o Léo escreveu...)

           Muitas pessoas não podem ver um microfone que se metem de pato a ganso para alguns minutos de fama. O pior, é quando muitos se alvoram de apresentadores de algum evento fugindo ao cerimonial e fazendo, por conta própria, seu próprio script (série de instruções escritas para serem seguidas). Tornando o improviso a sua marca.

          O mal de tudo isto é quando os próprios "organizadores" do evento atribuem a pessoas despreparadas esta incumbência tão importante que pode botar a perder todo um trabalho planejado. Toco no assunto porque, seguidamente, me deparo com estas situações em vários espetáculos, reuniões, enfim, apresentações diversas. 

          Ainda este ano estive em um evento que tinha conotação pomposa, lúdica, telúrica, só que colocaram como mestre de cerimônias um comunicador de rádio que não soube separar seu "autêntico" veículo de comunicação diária daquele ambiente em que agora se encontrava e tentou transformar a seleta plateia em um programa de auditório, dos bens ralés. 

          Abriu o microfone a todo o volume e assustou a todos quando começou gritando: - BOM DIA... Como ninguém entendeu muito bem o que estava se passando, poucos responderam. Ele insistiu: - ESTÁ MUITO FRACO... QUERO OUVIR BEM ALTO! BOM DIA.... Detalhe: Eram 20 horas.

          Fez piadas antigas e manjadas em relação a outros Estados, como se o gaúcho fosse o senhor do mundo... Mas o pior estava por vir, quando resolveu "quebrar" o protocolo pois "adorava surpresas" e, realmente, "surpreendentemente" começou a homenagear seus amigos e colegas de rádio, fugindo totalmente do foco do evento. Um fiasco!  

          Não me perguntem como terminou o encontro pois levantei e fui embora. 

          E assim ocorre em vários episódios. Mesmo em festivais musicais, apresentações de CTGs, programas de televisão, onde existe uma certa liberalidade, o apresentador ou mestre de cerimônias tem que ser conhecedor do riscado, comedido e não tentar atrair a atenção do público para si. O principal, o teor do evento deve ser preservado.

          Mal comparando, tem que ser como o juiz de futebol que passa desapercebido durante a partida. E olhem que temos muita gente boa por aí.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Editorial do Blog - FEPART 2013

          Deixei pra descansar um pouco antes de escrever sobre a viagem à Capanema, durante o FEPART 2013, festival paranaense de arte e tradição, para poder refletir um pouco sobre a importância da tradição gaúcha, espalhada pelo Brasil, numa analise mais sociológica, como fez Barbosa Lessa em sua tese "o sentido e o valor do tradicionalismo".
 
         
Entre as características de um grupo social, mesmo os que se formam por afinidade cultural, são:

Organização — todo grupo, para funcionar bem, precisa de uma certa ordem interna;

Objetividade e exterioridade — os grupos sociais são superiores e exteriores ao indivíduo, isto é, quando uma pessoa entra no grupo, eleja existe; quando sai, ele continua a existir;

Conteúdo intencional ou objetivo comum — os membros de um grupo unem-se em torno de certos princípios ou valores, para atingir um objetivo de todo o grupo; a importância dos valores pode ser percebida pelo fato de que os grupos geralmente se dividem quando ocorre um conflito de valores

Consciência grupal ou sentimento de pertencimento — são as maneiras de pensar, sentir e agir próprias do grupo; existe um sentimento mais ou menos forte de compartilhar uma série de ideias, de pensamentos, de modos de agir; um exemplo disso é o jogador de futebol que, quando fala da vitória de seu time, diz "Nós ganhamos!"

Continuidade — as interações passageiras não chegam a formar grupos sociais organizados; para isso, é necessário que as interações tenham certa duração; como exemplo, temos a família, a escola, a Igreja, etc.; mas há grupos de duração efémera, que aparecem e desaparecem com facilidade, como os mutirões para a construção de casas.
               A identificação de grupos sociais, vinculados à tradição gaúcha em todo Brasil, fez-nos transmitir, via internet, o festival pelo site Gauchão & cia. Foi uma bela doação. Streming, internet, equipamentos e pessoas para fazer ir ao ar o FEPART em 2012 e 2013. Em respeito aos amigos tradicionalistas de todo o Brasil caprichamos, trabalhamos muito para fazer, como fizemos em 2009 no ENART, de mandar com pioneirismo, o festival para o mundo.
               O trabalho do Daniel Serafim, do Matheus e do Lucas Wurlitzer Daniel, aliados ao Douglas de Capanema, ao Douglas Ferreira e sua equipe permitiu que colocássemos no ar o FEPART. As centenas de mensagens que recebemos confere com a descrição da necessidade de pertencimento dos grupos sociais. Os instrutores do Rio Grande do Sul e os musicais presentes no festival fazia com que matássemos a saudade do sul. Más Bah, Os Provincianos, Jadir Oliveira Filho, Jeferson Pacheco ... Alexandre Ourique, Emerson Ribeiro, Jefferson Camillo, este, somente sentado nas arquibancadas, pois seu trabalho já estava pronto na força "B", mas mesmo assim aceitou nos dar uma entrevista.
                Fizemos a nossa parte.Estamos felizes em termos realizado o sonho de tanta gente que era assistir de casa e sentir-se no Rio Grande. Fizemos isso.