quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Cavalgada do Mar está começando

Estamos saindo para a 29ª Cavalgada do Mar. Este ano com uma preocupação especial, estaremos fazendo um documentário que estará no ar à partir de março para a TV ULBRA. O roteiro já está organizado, os entrevistados contatados. Produção pronta. Malas prontas. Agora é passar no Magistério, trocar os carros para ir para Torres e iniciar os trabalhos. Diariamente estaremos postando fotos da cavalgada que irá de Torres à Dunas Altas, de 01 a 09 de fevereiro.

Montenegro perde o Grupo Tarca


GRUPO TARCA ENCERRA ATIVIDADES, POR DESPEJO DA PREFEITURA.

     Em nota de esclarecimento publicada na edição de hoje do Jornal Ibiá, o Grupo Tarca de Arte Nativa, que há 26 anos atua em Montenegro, anunciou o fim de suas atividades. O antigo Restaurante do Parque Centenário, que servia como sede, agora acomoda o acervo da Biblioteca Municipal Hélio Alves de Oliveira, que passa por reformas. Pegos de surpresa, e sem um novo local, o Grupo encerrou as atividades.

     A então secretária do Tarca, Ereni Rodrigues de Oliveira, falou da tristeza em anunciar o fim do Grupo e em não ter conseguido avisar todos os integrantes. “Não conseguimos falar com todos, muitos vão descobrir hoje, através do Jornal”. Como noticiado em matéria do Ibiá na última quinta-feira, com a ocupação do local, pela Prefeitura, o Tarca estava sem espaço para ensaios. “O descaso com que nos tiraram de lá foi uma humilhação. Encontrar um novo local é difícil, não sei o que vai ser. Já tínhamos até contratado professor”, disse Ereni em conversa pelo telefone na tarde de ontem. Não tendo onde guardar os pertences, o pai de uma integrante cedeu espaço dentro de um depósito onde foi montada uma barraca para acomodar tudo. 
Segundo Ereni, o Grupo não tem como continuar sem uma sede. “Sem o espaço, não temos como fazer eventos e promoções que custeavam muitos gastos”. No encerramento da nota, o Tarca, que estava participando da organização do Rodeio Municipal, disse que não irá mais se envolver nas atividades relacionadas ao evento.


Entenda o caso

     A atual administração do Município procurou o Grupo Tarca no dia 17 de janeiro para olhar a sua sede, o antigo Restaurante do Centenário. No dia seguinte, após ver o local, a Prefeitura avisou que usaria o espaço para acomodar o acervo da Biblioteca Municipal, em uma medida de contenção de gastos. O grupo tinha um contrato com a antiga administração, mas ele ainda não havia sido renovado. 
     No dia 22 de janeiro, os livros começaram a ser levados para o Parque Centenário e o Tarca recebeu um prazo de 7 dias para retirar suas coisas da sede. Como diz a nota do Tarca, “Sem nem mesmo saberem se o grupo tinha onde guardar seus pertences e sem um prazo para que seus integrantes fossem avisados do ‘despejo’”. 

     O Grupo Tarca afirma não ser contra a medida econômica do prefeito, mas está “chateado” pela maneira como a tradicional entidade foi tratada.

Do facebook - Espiritismo consolador


INFLUÊNCIAS ESPIRITUAIS

Creia-se ou não, o intercâmbio espiritual sucede, naturalmente, dentro das leis de afinidade que regem a vida. Onde o homem estagie o pensamento e situe os valores morais, aí ocorrem os mecanismo da sintonia que facultam o intercurso espiritual. Afinal, os Espíritos são os homens mesmos, desvestidos do invólucro material, prosseguindo conforme as próprias conquistas.

Quando atrasados, perseveram nos estados primeiros do seu processo de evolução; malévolos, continuam atados à malquerença; perversos, permanecem comprazendo-se nas aflições que promovem; invejosos, estagiam na paixão desgastante que os intoxica; perseguidores, dão larga às tendências selvagens que cultivam; odientos, ampliam o círculo em que estertoram, contaminando aqueles que lhes tombam nas armadilhas.

Assim também ocorre com os que vivem a beleza e o amor, fomentam o trabalho e as artes, exercitam as virtudes e promovem o progresso, entesourando conquistas relevantes, de que se fazem depositários, irradiando o bem e mimetizando as criaturas que lhes facultam a assistência benéfica.

Não te permitas, desse modo, deslizes morais.  Instaura o período da vigilância pessoal e vitaliza o dever na mente para exercê-lo nos sentimentos junto ao próximo.

Os que partem da Terra, fortemente imantados aos vícios, retornam ávidos, sedentos, ansiosos, tentando continuar o infeliz programa, ora interrompido, utilizando-se de áulicos afins que lhes cedam os órgãos físicos...

Em conseqüência, a caravana das vítimas-inermes, padecendo as rudes obsessões espirituais, é muito grande.  Liberta-te das paixões inferiores, trabalhando as aspirações e plasmando o futuro mediante a ação correta.

Muda os clichês mentais viciosos e renova as paisagens íntimas.  Faze a oração do silêncio, reflexionando sobre os reais valores da vida.  Vincula-te ao amor ao próximo, contribuindo de alguma forma para o bem de alguém, para o bem geral.

Sentindo açuladas as tendências negativas, desperta e reage, não te deixando hipnotizar pelos Espíritos perturbadores.  Sintoniza com Jesus, e Ele, o Amigo Incondicional e Libertador, virá em teu socorro, favorecendo-te com a paz e a alegria.

Joanna de Ângelis 

Fonte: FRANCO: Divaldo P. Alerta . 
Pelo Espírito Joanna de Ângelis. Salvador, BA:

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Saiu o Eco de Fevereiro - Extra ... Extra!

Eco da Tradição de Fevereiro saindo do forno.


Opinião - Henrique de Freitas Lima, diretor de cinema, fala sobr eo imaginário social no RS
CBTG - Tiro de Laço: Cultura, esporte ou lazer?
Entrevistas: Deborah Rosa , Verônica Lorenset Padoin , Aluisie Picolotto, Anderson Fonseca , Maitê Lorenzoni .... Guilherme Oliveira e o som que sai da alma...
Pelo RS - Grupo de surdos ensaia no 35 CTG da Patroa Márcia Borges , 
Fala Tche: Su Biazoli , Robson Cavalheiro , Alex Balaka, Jussara Senna, Robsoon Cavalheiro, Maria Izabel Moura....

Manifestação de Pesar do MTG


Manifestação de Pesar

      Neste momento de tristeza e dor o Movimento Tradicionalista Gaúcho, profundamente consternado, compartilha o pesar pela perda de jovens e tradicionalistas da comunidade gaúcha.

Allana Willers – 9º RT – CTG Clube Farroupilha
Ana Carolini Rodrigues – 8ª RT – CTG Pioneiro do Laço
Ana Paula Rodrigues – 24 RT – Gan. Anita Garibaldi
Andrise Farias Nicoletti – 13 RT – CTG Sincero Lemes
Augusto Malezan de Almeida Gomes – 13 RT – AT Estância do Minuano
Cássio Garcez Biscaino – 10RT – PN Caudilhos Vianense
Felipe Vieira – 7 RT – GR Tebanos do Igaí
Jose Manuel Rosa da Cruz – 13 RT – DT Querencia das Dores
Leonardo Lemos Karsburg – 13 RT – DTG Noel Guarany
Leonardo Vendrusculo - 18ª RT - CTG Crioulos do Caverá
Luiz Felipe Balest Piovesan – 9ª RT -  CTG Tropeiro Velho
Maicon Douglas Moreira Iensen – 13 RT – CTG Querencia do Pinhal
Matheus Pacheco Brondani – 18 RT -  PL Jalmengo Azevedo
Natasha Urquiza - 4ª RT - CTG Patrulha do Oeste
Vinicius Pinton Greff – 13 RT – CPF Piá do sul
           
                        Porto Alegre, 28 de janeiro de 2013.


Erival Bertolini
Presidente do MTG

Comitê de indumentária


domingo, 27 de janeiro de 2013

Semana da Paz em Canoas


Nota de pesar - Tragédia de Santa Maria

MTG do RS


Em deslocamento para Santa Maria, o Presidente do MTG, Erival Bertolini, que nasceu em Espumoso, mas que fez da cidade coração do Rio Grande, sua querência, mal conseguiu falar ao telefone, tamanha a emoção, para solicitar uma nota oficial do movimento tradicionalista.

Bertolini, ainda chocado com a notícia, solicitou a publicação:

O Movimento Tradicionalista Gaúcho, do Rio grande do Sul, se solidariza com familiares e amigos das vítimas. Manifestamos nossos sentimentos de tristeza e rezamos pela paz dessas famílias e do povo de Santa Maria, que precisará de muita solidariedade para superar essa tragédia.”

Erival Bertolini
Presidente do MTG/RS


Federação Tradicionalista Gaúcha do Planalto Central

É com muito pesar que a Federação Tradicionalista Gaúcha do Planalto Central, por meio dos seus dirigentes, vem neste momento de perda e sofrimento, transmitir aos familiares e amigos profundo sentimento pelos falecimentos ocorridos na Boate Kiss, em Santa Maria, na madrugada deste domingo, dia 27 de janeiro de 2013.

Antonio Amaro da Silveira Neto
Presidente


CBTG

A Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha, representando todas as entidades tradicionalistas filiadas do Brasil, manifesta publicamente seu pesar e sua tristeza pela tragédia ocorrida na cidade de Santa Maria neste dia 27 de janeiro de 2013.
         Consternados pela perda de tantas vidas, nos irmanamos a todos os que rezam pela alma dos que se foram e para que os familiares consigam superar este momento de profunda dor.
         Esperamos que o ocorrido sirva a todos nós como exemplo para que nunca descuidemos de aspectos fundamentais para a segurança das pessoas que comparecem aos nossos eventos tradicionalistas.

Manoelito Carlos Savaris
Presidente 


Nota do MTG do Mato Grosso do Sul


Campo Grande, 27 de janeiro de 2013.

 O Movimento Tradicionalista Gaúcho do Mato Grosso do Sul (MTG-MS), em nome de toda a comunidade gaúcha do Estado lamenta profundamente o falecimento das vítimas do acidente ocorrido em uma casa noturna nesta madrugada na cidade de Santa Maria/RS.

A tragédia aconteceu na Boate Kiss e segundo informações um incêndio causou a morte de quase 230 pessoas. “Neste momento muito triste manifestamos nossa solidariedade aos familiares pela dolorosa perda”, lamentou Natal José Marchioro, Presidente em Exercício do MTG/MS.

O Conselheiro de Ética da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha (CBTG), João Ermelino de Mello, comentou que está consternado com a perda desses jovens. “Externamos nosso pesar, prestamos solidariedade e pedimos a ajuda dos amigos e tradicionalistas residentes em Santa Maria para doação de sangue àqueles que estão internados”, disse João Ermelino de Mello.

Tragédia em Santa Maria


A boate Kiss, na Rua dos Andradas, em Santa Maria, foi palco de uma tragédia na madrugada de sábado para domingo. Um incêndio, que teria começado por volta das 2h deste domingo, causou a morte de mais de 230 pessoas. O fogo teria iniciado quando uma pessoa soltou um sinalizador dentro da boate.

O Presidente do MTG se manifestou sobre o acontecido:


"O Movimento Tradicionalista Gaúcho  se solidariza com as famílias dos jovens que vieram a falecer na tragédia que ocorreu na Boate “Kiss”, em Santa Maria, e solicita às entidades tradicionalistas, da cidade, que se coloquem a disposição para ajudar as autoridades e os familiares para os atos fúnebres. Em um momento difícil como este, pede aos tradicionalistas que doem sangue para ajudar aqueles que ainda estão internados. "


sábado, 26 de janeiro de 2013

Saíram os locais das Inter-regionais do ENART


MTG em reunião de coordenadores, no dia de hoje, 26/01, decidiu os locais da 78ª Convenção Tradicionalista e das inter-regionais do ENART 2013. 

Além disso foi distribuído para os coordenadores a programação da 25ª FECARS , dos 22º Jogos Tradicionais, do 14º seminário de cultura campeira e do 26º seminário de prendas e peões. Foi visitado o Parque do Trabalhador em Campo Bom, local da Festa Campeira.

Inter-regionais do ENART 2013

1ª Inter de 25 e 25/08 em Uruguaiana (a confirmar ainda pela 4ªRT)
2ª Inter de 31/08 a01/09 em Esteio (à confirmar pela coordenadoria da 12ªRT)
3ª Inter de 28 e 29/09 – em Caxias do Sul
4ª Inter-regional do ENART dias 12 e 13/10 em São Jerônimo

26 a 28 de julho – 78ª Convenção Tradicionalista em Porto Alegre.

ENART final será em Santa Cruz do Sul de 15 a 17 de novembro...agende ai.


Esteve em visita ao Parque do Trabalhador, em Campo Bom, 30ª RT,  comitiva do MTG, liderada pelo Presidente Erival Bertolini a qual efetuou uma visita as dependências do Parque, sendo acompanhada pelo Vice-Prefeito de Campo Bom e Presidente da Comissão Executiva da 25ª FECARS, a qual ocorrera entre os dias 14 a 17, de Março, de 2013,  Marcos Alfredo Riegel, e pelo Coordenador Regional,  Carlos Alberto Moser.

Sr Elias Leal - Diretor Campeiro Adjunto do RGS
Sr Nilton Carlos Brum - Diretor Campeiro do RGS
Sr Fernando Suris Bilhalva - Patrão do CTG Campo Verde - Campo Bom
Sra Ieda Lauxen - Secretaria de Industria e Comercio e Turismo de Campo Bom
Sr Erival Bertolini - Presidente MTG/RS
Sr Marcos Alfredo Riegel - Vice Prefeito Eleito de Campo Bom 
Sr Dirceu Knewitz - Colaborador da 30a RT
Sr Andre Da Silva - Colaborador da 30a RT
Sr Juliano Dreyer - Diretor Artistico da 30a RT
Sr Jose Gelso Miola - Vice-Presidente de Eventos do MTG
Sr Carlos Alberto Moser - Coordenador da 30a RT do MTG

Vem ai a 25ª FECARS

 A Festa Campeira do Rio Grande do Sul, em sua 25ª edição, acontecerá em Campo Bom, no Parque do Trabalhador, de 14 a 17 de março de 2013. Paralelo, estará sendo realizado, no sábado, o 26º Seminário Estadual de Prendas e Peões e, no domingo, o 14º Seminário da Cultura Campeira.

Haverá nesta festa campeira uma sessão especial de cinema, com o filme “Contos gauchescos”, contando com a presença de Henrique de Freitas Lima, Diretor do filme para um debate ao final. O anúncio foi feito durante o Congresso, em Santa Maria, para instrumentalizar prendas e peões sobre o tema dos festejos farroupilhas deste ano.

Informações da Festa Campeira
Presidente: Marcos Alfredo Riegel 51 - 3598-8600
Vice-Presidente: Fernando Bilhalva 51 - 9989-3767
Secretário:  Gilnei dos Santos Brizola 51 - 8128-0840
Tesoureiro: Nestor Ludwig 51 - 8455-0118
Coordenador: Carlos Moser 51 – 9261-3820

26º SEMINÁRIO ESTADUAL DE PRENDAS E PEÕES
TEMA: LITERATURA RIO-GRANDENSE
DIA 16 de março 
PROGRAMAÇÃO:
09 horas - Credenciamento
10 horas - Palestra: LITERATURA RIO-GRANDENSE
14 horas - GINCANA CULTURAL - Coordenação: Prendas estaduais
16 horas - Orientações sobre 44º Ciranda Cultural de Prendas 
18 horas - Documentário; Causos de Simões Lopes Neto
19h30 -  Entrega de Certificados

14º SEMINÁRIO DE CULTURA CAMPEIRA
TEMA: PELAGENS DE CAVALOS
DIA 17 de março 
PROGRAMAÇÂO:
08h30-Credenciamento
09h-Palestra: Identificação de pelagens de cavalos
Palestrante: Sérgio de Andrade
10h-Oficinas/Provas de Galpão
Oficineiros: Lairton dos Santos, Peões e Guris Estaduais
11h45-Orientações sobre o 25º Entrevero Cultural de Peões
12h30-Entrega de Certificados

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

#FATO


Que saudades, do CTG Querencia, da E.E.Concórdia


No brilho de nossos olhos, o amor pela querência.

Frase criada por Fraga Cirne, virou o lema, do grupo de surdos do CTG Querencia da Escola Concórdia da capital

Em novembro de 1983, alguns alunos da Escola Concórdia assistiram a apresentação de um grupo de danças folclóricas do Rio Grande do Sul. Foi suficiente para despertar neles a vontade de aprender a dançar, mesmo sabendo que não poderiam ouvir o som da gaita. Em 1984, já como membros do CTG Querência, os alunos começaram a desfazer o mito que os surdos não poderiam dançar por não ter um sentido tão importante para quem executa esta arte.
Para realizar a obra que muitos consideravam impossível, o CTG convidou a professora Leda Salvi. "Fui colaborar, ensinando algumas danças fáceis para que jovens fizessem uma apresentação, no entanto, acabei me apaixonando por eles", confessa a professora Leda.
Dança dos facões já é dificil pra quem ouve e tem reflexos... imagina para o surdo, que tem até um certo desequilíbrio no corpo devido a surdez
Leda, e seu envolvimento com o grupo, viajou pelo Brasil com os jovens surdos mostrando que os tradicionalistas do nosso estado, ouvintes ou surdos, podiam mostrar a nossa arte de preservação da cultura. O trabalho, a crença e a perseverança da professora Leda fez surgir no Estado um grupo inédito. As dificuldades não foram poucas. Levou mais de um ano para que eles pudessem aprender algumas danças. Ela desenvolveu uma metodologia própria. Ela passou a contar os compassos, proporcionando a sincronia entre a gaita e os dançarinos. O posteiro do grupo fazia a contagem para que todos iniciassem juntos. Neste sistema, a professora Leda inverteu o ditado, que passou a ser, para os surdos: “Se toca, conforme a dança” e, não, “se dança conforme a música”.
Em 2000, no gigantinho, os estancieiros abriram o ENART da 1ª RT. Vantuir (E) foi patrão por mais de 8 anos do CTG

Muitas vezes, as pessoas não acreditavam que os jovens realmente não ouviam, tamanha harmonia existente. Em um destes episódios, a professora resolveu acabar com qualquer dúvida. No meio da apresentação do grupo Leda fez o chamado "para gaita!". O grupo continuou dançando até o fim como se nada tivesse acontecido, emocionando o público, com lágrimas, aplausos e acenos. Ao final das apresentações, cantavam “céu, sol, sul, terra e cor”, do cantor Leonardo, momento em que todos eram tomados pela emoção.
O CTG Querência, da Escola Especial Concórdia foi, sem dúvida, uma entidade que se destacou, já que todos os integrantes eram deficientes auditivos. O CTG, que tinha o acompanhamento dos pais e amigos dos jovens,  durou até que o reitor da ULBRA, mantenedora da escola na época, resolveu desativar o departamento.
Quando chegou ao fim o departamento, na escola, a professora vagou com seus alunos por outras entidades. O CTG Glaucus Saraiva abraçou a causa e apoiou a existência do grupo. Mas o vínculo da escola era muito importante. Depois de um certo tempo, o grupo se desfez.
Os tempos passaram, uns casaram, outros formam pra faculdade, outros se tornaram pais, e a saudade foi batendo, dos amigos, dos tempos que viajavam e dançavam pelo Brasil. Foi aí que um grupo de surdos procurou a professora Leda, que reside no litoral, para reativar o “folclore” como eles chamavam. E o 35 CTG, através da patroa, Márcia Borges, abriu as portas do pioneiro para os membros do CTG Querencia, entidade especial, que quando é vista, toca os corações, até mesmo dos índios mais xucros do Rio Grande.

Encontro Jovem na 18ª RT


MARQUE PRESENÇA E NÃO DEIXE DE IR NO ENCONTRO JOVEM DA 18ªRT


terça-feira, 22 de janeiro de 2013

De lendas e fogões


Henrique de Freitas Lima é cineasta e 
consultor em cultura, esportes e terceiro setor

          É possível que o primeiro ato do homem ao dominar o fogo tenha sido convidar seus semelhantes para partilhar o fascínio que todo humano sente por este fenômeno ouvindo uma boa história. Na era da convivência mediada pelos instrumentos virtuais, pouco mudou: os bons narradores seguem sendo tão imprescindíveis como sempre o foram. A essência de uma nação, os valores que a fazem única no concerto da humanidade, se encontram mais em suas narrativas do que nos tratados acadêmicos. 
Para quem se fez nos amplos horizontes do pampa, que em tudo conduzem à introspecção, a expressão da narrativa nas artes só veio com a tardia adesão ao Brasil e a superação do isolamento que marcou seus primeiros tempos. Como recém chegados ao mundo “civilizado”, os habitantes desta terra de ninguém ao Sul ora portuguesa, ora espanhola, tiveram primeiro de absorver todo tipo de cultura européia para tardiamente olhar para si e refletir em arte sua própria essência.  Como elemento a não ser desprezado, considerar que as novas elites urbanas precisavam se afirmar pela negação aos pioneiros rurais, tratados como “bárbaros”, ou, se quiserem, “grossos”.
Se não foi o primeiro a tratar do tema, até então atacado por doutores que disso nada sabiam,  coube ao pelotense João Simões Lopes Neto, hoje reverenciado na academia, dar a fundadora contribuição para que o universo dramático do campo brasileiro pudesse desfrutar de narradores comparáveis aos platinos. Do Cancioneiro Guasca, de 1910, em que compilou milhares de quadras poéticas e outros textos do imaginário popular, passando pelos Contos Gauchescos, de 1912, em que a essência do homem campeiro ganhou universalidade sem perder a identidade, até as admiráveis Lendas do Sul, de 1913, de cujas páginas a Salamanca do Jarau e o Negrinho do Pastoreio emergiram para virar ícones da nossa cultura, coube a ele transmutar em literatura da melhor qualidade o que já vicejava na beira dos fogões. Grandes nomes o seguiram e lhe renderam homenagem, como o Érico Veríssimo de "O Tempo e O Vento".
Não é por acaso que a obra de Érico despertou o interesse do cinema, a mais completa das artes por absorver as demais como elementos narrativos. A começar pelas adaptações de estúdio dos anos 50, como O Sobrado, de Walter Durst, passando pelo Capitão Rodrigo de Anselmo Duarte e a versão da TV Globo para O Tempo e o Vento dirigida por Paulo José, grande sucesso de vendas internacionais, o escritor de Cruz Alta sempre esteve na pauta pela força de suas histórias. O ano que começa nos reservará a última tentativa de dar a Érico uma adaptação à altura de sua obra maior, O Tempo e o Vento, conduzida por Jayme Monjardim, um paulista apaixonado pelo Rio Grande a ponto de adquirir uma das nossas mais antigas sedes de estância para se dedicar à paixão que toma todo paisano endinheirado destes pagos: criar cavalos crioulos e ganhar o Freio de Ouro.
Coube a nós, que vimos tentando há muito contribuir para que uma dramaturgia ambientada no pampa tenha lugar nas telas em filmes como Tempo Sem Glória (1984), Lua de Outubro (1997) e Concerto Campestre (2004), adaptar os Contos Gauchescos para o cinema e TV. A versão para a tela grande estreou em 2012, ano do centenário de publicação da obra, e seguirá à disposição em 2013, preparando a chegada do projeto ao grande público pela TV.
  Este  recorrido se justifica para externar a nossa alegria pela decisão do MTG de escolher como tema dos festejos farroupilhas deste ano o imaginário social do gaúcho, tal como se expressa nas criações do espírito, tendo a arte como a maior delas. Tarefa tão difícil como fascinante, esta decisão espelha uma verdade eterna: quem melhor expressa a identidade de um povo são as obras que ficam no imaginário coletivo, a servirem de guia para as novas gerações.

sábado, 19 de janeiro de 2013

Ciclo do Fandango



O significado da palavra fandango vem do latim "findiciare" que significa "Tocar Lira", instrumento utilizado pelos povoadores da Península Ibérica. A manifestação do fandango, segundo alguns pesquisadores, teve sua origem na Espanha, herança árabe deixada pelos mouros. Os portugueses adotaram-no dos espanhóis no tempo da dominação filipina, sendo muito popular no século XVIII e constituía-se de música e dança.

O fandango era muito apreciado em todas as camadas sociais, desde a nobreza ao povo. Em Portugal, chegou a ser considerado como a verdadeira dança nacional, despertando um entusiasmo delirante. Paixão a que não era imune à própria corte, que ia ver a dança nos teatros da capital.

Na alta sociedade portuguesa, o fandango substituiu completamente o minueto, que gozava de grande aceitação, mas, progressivamente, caiu no esquecimento em favor daquele, não sem que antes houvesse vingado formas híbridas, tais como o "minueto afandangado". O fandango assumia características voluptuosas em que se destacavam os meneios femininos e o jeito galanteador do homem.

Este caráter foi amenizando com o tempo, o que não impede de o considerarmos, ainda hoje, uma dança de galanteio e sedução, mesmo quando a sua evolução a conduziu a puras demonstrações de agilidade e exibicionismo. Foi esta forma coreográfica de mero exibicionismo que acabou por ficar mais conhecida em Portugal.
Também no domínio musical, as diferenças são, por vezes, sensíveis, havendo um aspecto importante a salientar: muito embora o fandango seja mais conhecido na sua forma meramente instrumental, ocorre frequentemente também sob a forma cantada. Também Joseph Baretti refere, em meados do século XVIII, que o fandango é dançado ao som apenas de uma guitarra (provavelmente viola), ou da guitarra acompanhada pela voz.

No Rio Grande do Sul, o fandango chegou, primeiramente, com os tropeiros, na região serrana e, no litoral, com os açorianos e o lagunista, como informa Alceu Maynard Araújo.
Da conjunção do fandango vicentista, dança masculina estridentemente sapateada, com as cantigas trazidas por açorianos e luso-brasileiros, povoadores do sul, surgiu o primitivo fandango gaúcho, que é um conjunto de cantilenas interpretadas à viola, intercalado por uma parte coreográfica pantomímica, em que só os homens sapateiam.

Em um segundo estágio, surge o fandango-baile, agora com a presença feminina, dando a esta dança um toque de graciosidade e sedução. Muitas vezes os próprios dançarinos, espontaneamente, participavam cantando.

Curso de fotografia- Electro Photo

 Conhecemos Gabriel Schmidt em 2010, quando viajamos pelo Rio Grande do Sul pela agencia Live, registrando coisas da tradição gaúcha pelo estado para a empresa de telefonia OI. Ali aprendemos muito, só em conversas informais. Já nessas conversas conseguamos fazer fotos diferenciadas.
 Agora fizemos um curso de 12 horas com o Gabriel, que tem a empresa Electro Photo, que é um profissional reconhecido na área. Foi muito bom, ainda, recordar das viagens e das tantas histórias.
 Mas saímos com uma outra visão sobre o "click". Luz, ambiente, técnicas e um pouco da experiência deste grande profissional. Na tarde de sábado saímos para fotografar no parque Marinha do Brasil.
http://www.electrophoto.com.br/   -  By Gabriel Schmidt

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

A região das oito mulheres

Tania Mara Boer (jurídico), Paula Oliva (artistico), Andréa Martins (cultural), Zaida Motta(cultural), Patricia karkow(cultural), Catia Cavalheiro(cultural), Angela Brião(cultural) e Marta Silveira(secretaria). 

A 18ª Região tomou posse e já começou a trabalhar. um time formado com um "ataque" de oito mulheres inteligentes e influentes no meio em que vivem. Rui Rodrigues montou um time entrosado que tem um só objetivo: Fazer uma boa administração na sua região. E começou bem.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Seminário de prendas e peões em Rio Grande


A 1ª Prenda da 6ª Região Tradicionalista Rosangela Bacher Nunes, o Peão Farroupilha da 6ª Região Tradicionalista Roger Bacher Nunes juntamente com a Coordenadoria Regional convidam para o 21º Seminário Regional de Prendas e 15º Seminário Regional de Peões.
Dia 26 de janeiro de 2013 
Horário: 13h e 30min
Local: Centro de Tradições Gaúchas Farroupilha - FURG, Campus Carreiros em frente ao Pavilhão 04.
Raquel Pinheiro será palestrante no evento em Rio Grande
Palestras com Raquel Pinheiro, 1ª Prenda do Rio Grande do Sul e Lucas Pettine, Peão Destaque Campeiro do RS 2009/2010.

Encontro de Pajadores em Guaiba


segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Curso de fotografia


Inscrições Abertas! Curso Básico de Fotografia
12 horas aula - 17,18 e 19 de janeiro

Eu já me inscrevi e você... o que está esperando?

CURSO DE FOTOGRAFIA – Módulo Básico
Carga horária: 12 horas
Datas e Horários: dias 17 e 18/01/2013 das 19h às 22h
19/01/2013 das 9h às 12h, com pausa para almoço e saída de campo na parte da tarde.

Objetivos
O curso procura responder as seguintes questões:
Como funciona o equipamento fotográfico?
Quais os principais aspectos da linguagem fotográfica?
Como aproveitar ao máximo os recursos do equipamento digital?

Conteúdo
Evolução do Equipamento: do Analógico ao Digital
Linguagem Fotográfica e Composição:
- Enquadramento
- Momento Decisivo
- Luz
Equipamento e Manuseio:
- Principais Controles: Foco, Obturador e Diafragma
- Ótica: Características das Objetivas Fotográficas
- Postura
- Simbologia
Características da Imagem Digital: Pixel, Resolução e Tipos de Arquivo

Pré-Requisito
O aluno deve ter acesso à uma câmera digital, podendo esta ser compacta ou DSLR.

Continua a 14ª Cavalgada da Costa Doce


A 14ª Cavalgada da Costa Doce está na metade de sua jornada, hoje (segunda-feira) ruma de Arambaré a Camaquã. Ela partiu dia 10/01 de Guaíba, após o almoço com autoridades municipais e o Presidente do MTG Erival Bertolini, que estava acompanhado de sua esposa.

O trajeto até Tapes foi de tempo bom, e inúmeras paisagens de emocionar qualquer cavaleiro. Passando por grandes dunas, verdes campos, arroios e claro a Lagoa dos Patos. Repousando em fazendas e parques municipais, sempre recebidos com aquela grande hospitalidade gaúcha.
As fotos deste trajeto já estão publicadas no Facebook 

http://www.facebook.com/cavaleiros.dacostadoce/photos_albums , e também no site www.cavaleirosdacostadoce.com.br . 
Fonte: Jeandro Garcia
Fotos de Sandro Fuculo.

Lalau Miranda convida para Reculuta


Vem ai a 34ª Campereada do Alegrete



sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Gravação do Programa Volmir Martins em Caçapava

Gravação do programa Volmir Martins na segunda capital farroupilha, Caçapava do Sul, também conhecida por Clareira da mata em Tupy guarani. Grupo Sul em canto, composto de jovens talentos femininos da cidade. Os Andejos, Pedrinho Porto e Luana Raquel Wojciechwski, primeira  prenda Mirim do Rio Grande do Sul, que deu uma aula sobre sua cidade.


Luana nos levou para visitar o forte  Dom Pedro II



quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Nota de falecimento - Ubirajara Rafo Constant


Faleceu nesta quarta-feira,dia 09 de janeiro, na cidade de Uruguaiana, onde nasceu, o poeta, escritor e radialista Ubirajara Rafo Constant. Ele tinha 74 anos e foi vítima de insuficiência respiratória. Constant era autor da poesia épica "Retorno Bravo".

– "Retorno Bravo" é uma das poesias mais lindas do Rio Grande do Sul – afirma o cantor regionalista Luiz Carlos Borges. Ele também descreve Ubirajara como "um grande amigo de Festivais da Barranca, de Califórnias. Uma figura humana maravilhosa e um cara muito inteligente".

Como compositor, Ubirajara escreveu letras premiadas nas Califórnias da Canção, como Ave Maria Pampeana e Mocito.

O corpo de Ubirajara será velado até as 15h de quinta-feira (10/01), na Biblioteca Prado Veppo, quando ocorre o enterro, no Cemitério Municipal Senhora Santana. O compositor deixa os filhos Felipe e Rafael, frutos de seu casamento com Maria Teresa Moreira.

Fonte: Clic RBS
Zero Hora.com

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Vem ai o Rodeio de Guaporé


 "O CTG Última Tropeada convida a todos para o 19° Rodeio Crioulo Estadual de Guaporé, nos dias 18, 19 e 20 de Janeiro de 2013. Abaixo informações do evento:

As inscrições estão abertas e se encerram no dia 18 de Janeiro de 2013 ás 12:00 horas. Ordem de apresentação é inversa da Inscrição. 

A Ficha de Inscrição do evento está disponível para download no blog e na página: www.ctgultimatropeada.blogspot.com e www.facebook.com/ultimatropeada. Após preenchida deve ser enviada para o e-mail: ctgultimatropeada@gmail.com "


A bóia da peonada


Lá pelas décadas de 20/30/40 (sec. XX), nas estâncias em que não havia criação de ovelhas, a carne fresca era escassa. Mesmo para a família do patrão, a não ser que sacrificassem galinhas. Naquela época, não tinha a facilidade de hoje: o recurso de um refrigerador.

A alimentação da peonada era pouco variada; pela manhã sempre tinham um café com leite, servido em copos grandes, alouçados com bolacha. Ao meio dia, comiam o feijão com bastante charque, misturado com farinha de mandioca. Raras vezes lhes serviam arroz. Naquele tempo, arroz e açúcar eram artigos de preço. Além do feijão, tinham a canjica, que era do milho colhido na chácara e socado no estabelecimento. A canjica vinha temperada com o charque, duas vezes por semana. A peonada não gostava de canjica, alegavam ser uma comida fraca, de pouco sustento. 

Quando se carneava uma vaca, isto a cada 28 dias, a peonada, por três dias, comia fervido. No dia da carniça, pela manhã cedo churrasqueavam os matambres. E nas manhãs seguintes assavam as costelas, que faziam as vezes do café. Em época de planta, contavam com o reforço da mandioca e batata-doce. Verdura nunca lhes era servido, mesmo havendo uma boa horta na estância. Os peões não apreciavam verdura, diziam ser alimento para gente fraca, gente do povo (cidade), pois naquilo não tinham o que mastigar. Pela manhã, ao tirar leite, cada peão guardava para si um litro, o qual era "comido" depois do almoço, em prato fundo com bolacha triturada, reservada da ração do café, ou com farinha de mandioca, tudo sem açúcar. Doce nunca era dado aos peões. Por isso, lá de vez em quando, compravam no bolicho rapadura de palha.

A janta era o mesmo que o meio-dia. Às vezes tinham feijão mexido ou pirão de farinha de mandioca, feito com caldo do fervido, o que era muito apreciado. No geral, a peonada gozava boa saúde  sempre estavam bem dispostos para o trabalho e mantinham o bom humor.

Fonte: Raul Annes Gonçalves

Maneco Pereira - O homem que laçava com o pé


Manoel Bento Pereira, ou Maneco Pereira, foi o maior laçador que o Rio Grande do Sul conheceu em todos os tempos. Ele nasceu no dia 18 de junho de 1848, no município de Rio Pardo. Ainda criança, foi com a família para a "Estância do Curral de Pedras", no município de Rosário do Sul, onde seu pai trabalhou de capataz.

Aos 15 anos, "Maneco Pereira" já era o sota-capataz da estância, cargo que antigamente era dado ao peão que mais se destacasse nas lides de campo. Com a morte do pai assumiu a função de capataz.

É quase incrível o que contam das suas façanhas praticadas em tempos idos. Tão espetaculares foram esses feitos realizados numa época em que o laço e as boleadeiras faziam exímios manejadores, que a própria critica, implacável e fria, soube exaltá-lo com destaque na era dos grandes campeiros, entre os mais respeitados que existiram.

"Maneco Pereira" foi um laçador que tanto pealava e laçava com as mãos como com os pés, e não fazia isso por acaso, bastava advir ocasião. Com o laço nas mãos só não fazia chover. Era como um artista fazendo demonstrações da sua arte, num palco de diversões.

No dia 11 de fevereiro de 1926 morria "Maneco Pereira", tendo sido sepultado no dia seguinte no Cemitério do Joanico, situado no Batovi. No mesmo local descansam sua esposa, quase todos os filhos e muitos netos e parentes. 11/02 ficou sendo considerado o dia do campeiro.

(Fonte: Livro "Maneco Pereira o homem que laçava com o pé", de autoria do historiador Osório Santana Figueiredo)




segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

sábado, 5 de janeiro de 2013

Bertolini reeleito e Porto Alegre sediará congresso em 2014


A capital do estado receberá os tradicionalistas do Rio Grande do Sul em janeiro de 2014, ano da copa do mundo. Deverá ser um acampamento temático, para que se forme um grande debate sobre o futuro do Movimento Tradicionalista Gaúcho. 315 congressistas elegeram Porto Alegre, uma das sedes da copa, para sediar o maior conclave do MTG.

    Depois de um ano considerado de muito sucesso em sua gestão, Erival Bertolini, alcança seu objetivo e é eleito para seu terceiro mandato. Foram 307 votantes, sendo 259 votos à favor e 46 contra.


O Congresso de Santa Maria garantiu ainda, o acendimento da Chama Crioula do estado em 2013. Será na cidade de General Camara, no distrito de Santo Amaro do Sul, com 270 votos favoráveis. 

Cruz Alta trouxe comitiva com o Prefeito Municipal para se pre candidatar à Chama Crioula 2015
 

Foi formada a turma “João-de-barro”, assim denominada pelos participantes do grupo do Cfor (curso de formação tradicionalista) avançado. A oradora do grupo foi a 1ª prenda do Rio Grande do Sul, Raquel Pinheiro, e a paraninfa foi Odila Paese Savaris.

Imagens do Congresso

Prefeito Cezar Schirmer prestigiou o evento

RBSTV foi homenageada pelo MTG, na presença ilustre do diretor de jornalismo Cezar Freitas

Ilustres visitantes

Momento da chegada da Chama

Equipes de Trabalho do congresso 

Congressistas e visitantes

Chama veio escoltada de Pelotas por cavalarianos

Abertura do Congresso

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Escolhido o tema dos festejos farroupilhas de 2013


Após a chegada da Chama crioula, vinda de Pelotas, sede do 59º Congresso, em 2012, o plenário votou a música tema  do evento.” Grito de Alerta”, de Salvador Ferrando Lamberty e Valdomiro Maicá foi escolhida por unanimidade.

O MTG tem um novo tema anual. Foi escolhida a proposta “O MTG em defesa da saúde e bem estar do tradicionalista”, de autoria da 1ª prenda da 13ª RT Taynara Moraes e Aline Rigão de Vargas, do departamento cultural desta região.

E o tema dos festejos farroupilhas aprovado pelos CTGs do estado, para 2013, foi “O Rio Grande do Sul no imaginário social”, de autoria de Rogério Bastos. A proposta enfatiza uma leitura da origem do gaúcho dentro do imaginário social, onde se encontram mitos e lendas, os contos, as histórias, e podem ser representadas através da dança, do teatro, dos desfiles e de mostras folclóricas. 

Santa Maria recebe o Rio Grande Tradicionalista

       Começou o 60º Congresso Tradicionalista Gaúcho, em Santa Maria. As equipes de credenciamento iniciaram os trabalhos as 7h30min para que, ao chegarem as regiões, com suas comitivas, esteja tudo funcionando bem.


        As entidades que se credenciarem para o Congresso receberão, de brinde, avental, livro “Ser Patrão” de Paulo Roberto de Fraga Cirne e Irmãos Bertussi, de Charles e Tania Tonet.

        A programação oficial iniciará as 15h com a instalação da mesa diretora  e as 16h a chegada da chama crioula vinda da 26ª RT, local do ultimo congresso. As 16h45min será a 1ª sessão plenária e, as 20h, a sessão solene de abertura do Congresso.  Os temas que serão tratados podem ser encontrados no blog: http://mtg-rs.blogspot.com

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

29ª Cavalgada do Mar - 01 a 09/02


Do blog do Leo Ribeiro
e do Blog identidade campeira

      A Cavalgada do Mar ocorre no Litoral Norte Gaúcho e percorre os municípios de Torres, Arroio do Sal, Capão da Canoa, Xangri-lá, Imbé, Tramandaí, Cidreira e Palmares do Sul. A cada ano o trajeto é feito num sentido: de Torres a Palmares do Sul ou vice-versa. As paradas são feitas em Torres, Arroio do Sal, Capão da Canoa, Imbé, Tramandaí, Cidreira e Palmares do Sul. 
PERCURSO DA 29ª EDIÇÃO:

01 DE FEVEREIRO - SEXTA FEIRA - Concentração, credenciamento e inscrições no Parque do Balonismo em Torres/RS.
02/02 - SÁBADO - Abertura da Cavalgada e Saída para Arroio do Sal.
03/02 - DOMINGO - Saída para Capão da Canoa - Praia do Barco CTG João Sobrinho.
04/02 - SEGUNDA FEIRA- Saída para Imbé, Festa das Autoridades.
05/02 - TERÇA FEIRA - Permanência em Imbé, Festa Campeira, Palestras e Oficinas.
06/02 - QUARTA FEIRA -Saída para Tramandaí - Terminal turístico.
07/02 - QUINTA FEIRA - Saída para Cidreira - Estadio Municipal.
08/02 - SEXTA FEIRA - Saída Pinhal - CTG.
09/02 - SÁBADO - Saída Dunas Altas e Encerramento da Cavalgada do Mar.

As inscrições serão realizadas na "concentração" da Cavalgada, em Torres/RS, e nos demais acampamentos para aqueles que ingressarem na Cavalgada ao longo do percurso.

Para inscrição, cada cavalo deverá ser apresentado por seu responsável (maior de idade) portando o exame de Anemia Infeciosa Equina, Atestado de vacinação contra Influenza ou Atestado de Sanidade para Influenza, e documento com foto (do responsável).

Os cavalos serão previamente examinados e identificados. Os certificados de participação na Cavalgada serão emitidos a partir das inscrições.

Informações sobre os procedimentos de inscrição e admissão:

Dr. Alexandre Monteverde
Email: alexandre@equimeclinic.com.br
Fone: 51 9918 1325

Dr. Henrique Noronha
Email: henrique@equineclinic.com.br
Fone: 51 9971 1957