sexta-feira, 29 de abril de 2011

Frase do dia

"As pessoas falam mal de você por trás, porque sabem que você estará sempre à frente delas!"
Perfeita

Final de semana agitado

Estou embarcando para Santana do Livramento para uma palestra, sabado pela manhã. Depois irei ao  encontro regional de Patrões em São Gabriel. Nos dois momentos estarei divulgando o Portal MTG e seu funcionamento.


Além das palestras estou programando para os Tchênautas a transmissão via Twitcam do Resultado do Concurso de Prendas em Passo Fundo.



Penso também em colocar os vídeos do Chasque do MTG em sequencia, contado a Revolução Farroupilha. Lembram do Chasqeu nesta foto? Vou transformar os vídeos e colocar no BLOG. Vai ajudar até quem quiser fazer roteiros para peças teatrais.

Adaptei todo o roteiro por livros e filmes...e digo, dá trabalho. Agora, posso ajudar de alguma forma quem precisa, como sempre fiz.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Cursos de danças e paineis de interpretação do MTG


Renovação do cartão tradicionalista de instrutor Iniciante
Dia 21 de maio de 2011 – 9h
CTG Lalau Miranda – Passo Fundo
Valor: 50,00

Curso de Danças Gaúchas de Salão para Instrutores Iniciantes
Dia 21 e 22 de maio de 2011
Dia 21/05 - Sábado das 9h às 18h
Dia 22/05 - Domingo das 9h às 12h
CTG Lalau Miranda – Passo Fundo
Valor: 65,00 com almoço de sábado incluso.


Painel de Interpretação e Harmonia para Danças Gaúchas de Salão
Dia 22 de maio de 2011 – 14h
Direcionado aos concorrentes do ENART
CTG Lalau Miranda – Passo Fundo
Valor: 30,00


Pacote: Curso de Danças Gaúchas de Salão para Instrutores Iniciantes + Painel de Interpretação e Harmonia para Danças Gaúchas de Salão = 80,00 (inclui almoço sábado e domingo)

 

Convocação

Pessoal, a Walper Ruas, produtora do filme: "Os Senhores da Guerra" está buscando cavalarianos para este final de semana gravar na região do Barro Vermelho, em Gravataí.

To indo lá nas gravações para conferir. Pena qu eestarei viajando neste final de semana, pois fui convidado para participar das gravações.

Ah, está bem próximo de colocar aqui no blog, os episódios do chasque do MTG que gravamos pro SBT em 2009/2010.

Dia da Sogra

Umas piadinhas sobre sogra...

1- Só não mando a minha sogra para o inferno, com pena do diabo.

2- O maior castigo para um bígamo? Duas sogras!
3- Sogra! Tô fora, Filha! Tô dentro.
4- A única sogra que presta é a da minha mulher.
5- Feliz foi Adão que não teve Sogra.
6- Se sogra fosse boa, você não tinha só uma.
7- Que nossas sogras não se chamem esperança, pois a esperança é a última que morre!.
8- Enviuvei, e casei com a cunhada para economizar sogra.
9- Digo para todo mundo que minha sogra caiu do ceu. A vassoura quebrou quando voava por sobre minha casa.
10- Sogra devia ter dois dentes, 1 para doer e outro para abrir garrafas.
11- Sogra é como carro a álcool, você ainda vai ter uma.
12- Sogra é como cerveja, só é boa gelada e em cima da mesa.
13- Sogra é igual a macaxeira... As boas estão enterradas.
14- Sogra não é parente. É castigo.
15- Sogra não tem problemas no trânsito, vassoura não engarrafa.

Brincadeiras à parte, nossa homenagem aquela que é nossa segunda mãe. Afinal além de nos dar o maior presente, nosso grande amor, é aquela que dá seu amor á nós e aos nossos filhos. Eu não tenhoo que reclamar. Você tem?

O pão caseiro

Viver a tradição é poder resgatar coisas que se perdem no tempo. Uma delas é o pão caseiro. Você já comeu um pãozinho saindo do forno em casa? Ajudou a sovar a massa? Ah! Bons tempos na campanha! Que pão os tropeiros e carreteiros levavam em suas viagens? Vamos saber mais sobre essa maravilha da culinária gaúcha e mundial.



Em tempos mais antigos se costumava fazer o pão em casa. Um dia antes, se colocava o fermento de molho. No dia seguinte misturava-se o fermento com a quantidade necessária de farinha de trigo. Aos dois ingredientes juntava-se água morna, açúcar, erva doce, graxa e sal, tudo ao gosto do padeiro.

 Sovava-se a massa até ficar macia aparecendo bo¬lhas de ar e dando estalos. Este era sinal de que estava pronta. Cortava-se a massa em pedaços conforme o tamanho do pão que ia ser feito, assim lhe dava a forma desejada.


Desta massa ainda se preparava rosquinhas e biscoitos em formatos diversos. As crianças adoravam fazer bonecos no formato das roscas. Depois, num tabuleiro, o pão descansava coberto por um cobertor para crescer. Quando não existiam os fermentos biológicos de hoje em dia, retirava-se um pedaço dessa massa, já preparada, misturava-se a uma farinha e guardava como fermento para a próxima fornada.


Fazia-se pão de milho e bolos. Os pães eram levados ao forno em formas não ficavam em contato direto com o piso de forno de barro. Este forno de barro era feito sobre um quadro de paredes de pedra no formato de uma casa de joão de barro. Para sustentar os tijolos, da boca do forno, era usada uma armação de ferro, em geral de um pedaço de chapa de roda de carreta. O Forno era aquecido com fogo feito dentro dele. Depois de bem quente, limpava-se o forno, empurrando as brasas e com uma vassoura de guaxuma, varria-se dentro.


Colocava-se o pão. Tapava-se a porta do forno. Ao retir, quentinho, era uma grande festa. As mães, em sua grande maioria, não permitiam que as crianças comessem o pão quente, dizendo que fazia mal. Era normal convidar os vizinhos e amigos, em sinal de camaradagem. Hoje o comercio de pão, nos armazéns e mercados, tiraram a magia desse pão caseiro. Mas há quem se lembre de cortar ele novinho, colocar mel, melado, geléias, nata, manteiga, enfim, o que desse mais sabor ao pãozinho feito em casa. Principalmente, quem está viajando vários dias a cavalo.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

O Café de chaleira na historia do RS

O café de chaleira é um costume introduzido pelos mascates de origem turca, que vinham fazer comercio no Rio Grande do Sul no século XIX. Os gaúchos adotaram o costume. Chegavam, faziam fogo e colocavam as chicolateiras ou cambonas com água para esquentar. Desencilhavam os cavalos, tirando das malas de garupa o café, as bolachas e o açúcar e montavam um local parecido com um acampamento.


 Em tempos mais antigos o café era composto, isto é, com açúcar dava uma tintura preta com um forte e agradável cheiro. Em geral, os tropeiros e carreteiros costumavam dividir as obrigações do fogão entre si. Enquanto um fazia o café, outro podia ser o assador, ou fazer o mate, a outro, a responsabilidade de juntar lenha, desta maneira tornava-se fácil e até mesmo divertido o trabalho.



Quem ficava encarregado de fazer café, colocava a água a ferver na chicolateira ou na cambona, depois retirava do fogo e despejava dentro dela duas colheres de café em pó. Mexia com a ponta da faca até dissolver todo, ou com uma colher, depois voltava com a chicolateira/cambona ao fogo. Quando levantava nova fervura, retirava do fogo e colocava um tição aceso dentro do café, provocando uma ebulição. Mantinha o tição dentro do café por segundos. Com as costas da faca, dava algumas pancadinhas por fora, na chicolateira/cambona.


Assim ficava pronto o café. Quando não há tição, por exemplo, em fogo de gravetos, ou em zona que existe lenha e o fogo é feito com corunilha (esterco seco de gado), nestes casos, pondo água fria na fervura do café, ajuda a sentar a borra.

Sentavam nos arreios ou nos pelegos dobrados para tomar o café que era acompanhado por bolachão ou pão caseiro, trazido na mala de garupa. Alguns preferiam ficar acocorados nos "garrões", como é hábito entre nosso homem do campo, herdado dos índios. A sobra do café nas Chicotalteiras/cambonas era posto fora e as vasilhas bem lavadas na sanga.

Cesar e Rogério recebem Joca e Juliana na Fnac

Lançamento do projeto “Entrevero Cultural 2011”. Ampliando a proposta do evento que conquistou público cativo em 2010, o dueto, Cesar Oliveira e Rogério Melo, passa a receber convidados para falar de diversas áreas da Cultura Tradicionalista, abrindo espaço para outras manifestações além da música. Os encontros seguem sendo realizados a cada dois meses, sempre com direito à canja musical que neste primeiro evento ficará por conta de Joca Martins e Juliana Spanevello.



O que? Entrevero Cultural 2011
Dia : 28, quinta-feira, às 19h30 
Onde? No Fórum Fnac (Barra Shopping Sul).

Shana Muller vence o Açorianos de musica

O premio tava muito bem disputado. De um lado a Shana e do outro a Juliana Spanevello. Sem dúvida nenhuma o orgulho da música gaúcha na voz feminina e mais, a representação da Prenda Tradicionalista nos palcos. Shana foi 1ª Prenda Juvenil do Rio Grande do Sul, na decada de 90, pela 4ª Região, e Juliana também representou a sua 13ª região.

Hoje tem Shana Muller na Livraria Saraiva no Shoping Praia de Belas as 19h30min. Como diz o Renato Portaluppi, saiam mais cedo do trabalho.

Premio Regional

Compositor
Érlon Péricles, por Brinco de Princesa (Shana Müller)

Intérprete
Shana Müller, por Brinco de Princesa

Instrumentista
Paulinho Fagundes, por Origens (Ernesto Fagundes)

Disco
Brinco de Princesa (Shana Müller)

Gremio sucumbe no Olimpico pela Libertadores

Com Borges expulso Gremio perde em casa por 2 a zero para Universidade do Chile. Borges está ameaçado no time. Renato havia falado em entrevistas: "saiam mais cedo do trabalho, depois compensa", mas Borges chegou atrasado e não entendeu, pensou que era pra eles sairem mais cedo do trabalho e não os torcedores. Ai aos 34 minutos do 1º tempo...

É regra no time do Grêmio. Se um jogador recebe cartão vermelho, paga multa. Porém, esta não será a única punição a Borges, expulso ainda no primeiro tempo da derrota para o Universidad Católica por 2 a 1, nesta terça-feira, no Olímpico. Renato não gostou nenhum pouquinho das atitudes do centroavante, que em muito lembrou ele nos aureos tempos da decada de 80 (Renato não gosta de concorrencia).

Já o Vélez Sarsfield soube usar a força de sua torcida em Buenos Aires, e abriu boa vantagem nas oitavas de final da Libertadores nesta terça. Os argentinos venceram a equipe equatoriana da LDU por 3 a 0 e ficaram em situação confortável para o jogo de volta, em Quito, na próxima quinta-feira.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Shana Muller na Livraria Saraiva

Nestlé... Faz bem! E muito bem!


Em recente visita à Nestlé, que este ano completa 90 anos, tratamos do patrocínio dos festejos farroupilha de Porto Alegre e as ações que a Nestlé desenvolverá no mes farroupilha. Na oportunidade encontrei amigos como a Aninha, a Dani e o Francisco (fotos abaixo, com Luis Grisólio)



O Leite Moça (1921)
Início da produção do Leite Condensado, utilizado para beber, depois de diluído em água. Alguns registros já apontavam para os primeiros empregos na doçaria brasileira. A moça leiteira no rótulo do Milkmaid, até então importado, era tão expressiva que os consumidores brasileiros foram, pouco a pouco, chamando o produto de “o leite da moça”. A partir de 1930 o leite condensado da Nestlé, fabricado no Brasil, passou a estampar no rótulo "Leite Condensado Marca MOÇA®", expressão que se consolidou no final desta década. 1960 - Consolidação da histórica campanha Você faz Maravilhas com LEITE MOÇA®!, que se estendeu até o começo dos anos 1990.

Nescau (1932)
Lançamento de NESCÁO (Nestlé+cacáo), um achocolatado genuinamente brasileiro. Em 1955, NESCÁO transformou-se em NESCAU®, acompanhando a nova regra ortográfica brasileira.

Historinha (decada de 40)
A menina Valderez Cavalcanti foi salva do naufrágio do vapor Itagiba, nas costas da Bahia, graças a uma caixa de LEITE MOÇA®, que lhe serviu de salva-vidas. Ganhou da NESTLÉ® uma boneca e um conto de réis.


Nescafé (1953)
Início da fabricação do NESCAFÉ® no Brasil e lançamento da marca em grande evento no Salão de Chá do Mappin Stores, tradicional e elegante loja inglesa de departamentos do Centro de São Paulo, situado na Praça Ramos de Azevedo.
1969 - Ano qu e nasci - Colaboração entre os pesquisadores da NESTLÉ® e técnicos da NASA na preparação de alimentos concentrados naturais (morangos, amendoins, coco, chocolates), que compunham o cardápio dos astronautas Armstrong, Collins e Aldrin da Apolo 11 à Lua. Para beber, dispunham de uma bebida açucarada à base de uva e do café solúvel NESCAFÉ®.


Isso e muito mais você encontra no site:

Faleceu Rui Biriva. A musica gaucha está de luto

Natural de Horizontina, de onde se orgulhava muito, o cantor e compositor Rui Biriva, veio a falecer nesta segunda-feira. Biriva estava internado desde 14 de abril para o tratamento de um tumor no intestino grosso.




O “Tchê Loco” tinha 53 anos, cursou Direito no Paraná, sem concluir o curso, deu início a uma carreira bem-sucedida como intérprete em festivais nativistas. O próprio apelido "Biriva" foi ganho depois de o jovem Rui vencer o festival Seara da Canção Gaúcha, em Carazinho, em 1982, com a canção Birivas, de Airton Pimentel.



"Biriva" é uma designação para os tropeiros de gado das comunidades de cima da Serra. Depois de gravar o primeiro LP em 1987, Cantar (Continental), Rui rapidamente tornou-se um dos nomes de destaque da sua geração. Ficou famoso não apenas pelo sucesso popular de canções animadas e festivas como Tchê Loco, Festança, Pé na Estrada, Tonto de Saudade e Castelhana (esta última, parceria com Elton Saldanha), mas pela simpatia e espontaneidade cheia de humor que levava para suas músicas e para suas performances de palco. Apresentava o programa na TV Educativa, Paralelo Sul.


Rui deixa mulher e um filho, além de milhares de fãs. Seu corpo será velado na Cãmara de Vereadores de Porto Alegre na manhã desta terça-feira. À tarde, deve partir para Horizontina.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Frase do dia

Espere o melhor, prepare-se para o pior, receba o que vier.
Provérbio Chinês

domingo, 24 de abril de 2011

24 de abril. Um dia cheio de comemorações

O 24 abril é pra fazer a festa. Este ano, ainda teve a Páscoa. Mas o dia 24  na nossa história marca a data de fundação do 35 CTG e o dia da tradição. Somam-se a este dia o dia do Churrasco e do Chimarrão.

Em 20 de junho de 2003, o Governador Germano Rigotto, sancionou a lei  que institui o chimarrão como a bebida símbolo do Rio Grande do Sul, e no dia 24 de abril de cada ano, será comemorado o dia deste símbolo típico do Estado  bem como o Churrasco como Prato títpico.

A culinária é um dos apanágios das culturas em qualquer tempo e em qualquer parte do globo terrestre. Ao pensarmos em determinado povo, país, ou época, logo nos vem à mente também um tipo de alimento, uma forma especial de preparo, um condimento, quando não uma “cozinha” toda, como é o caso da sempre citada França e suas disputadas iguarias. Ou, para citar outro exemplo, a Itália e suas “pastas”, ou, ainda, ficando no povo descedente daquela península e que povoou e desenvolveu boa parte deste Estado, os colonos italianos e sua polenta.



Pois bem: o Rio Grande do Sul, de tanta e tamanha cultura, tão variada quanto sedimentada pelo mundo todo através dos Centros de Tradições Gaúchas, ainda não tinha um prato típico.


E sabemos todos: falar em Rio Grande pelo Brasil afora, é falar em churrasco. Qualquer um de nós, gaúchos, quando percorrendo outros rincões e parando em algum lugar, se hospedando em alguma família, logo somos convidados a preparar “um autêntico churrasco gaúcho”.


O Projeto do Deputado Giovani Cherini:

O projeto, que institui o churrasco gaúcho – com sal grosso, no espeto, na vala ou na churrasqueira, com fogo sem gás e sem equipamentos eletromecânicos, mas que depende da habilidade humana para ficar no ponto ideal – institui o churrasco gaúcho como o prato ou a comida típica do Rio Grande do Sul.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Uma reflexão sobre avaliação

Estamos entrando em um período do ano, de abril a junho, que é caracterizado pelos concursos regionais e o estadual de prendas e peões. No mínimo dois anos de preparação desses jovens que almejam os títulos máximos de suas categorias. Equipes montadas para ajudar o candidato, professores de dança, canto, instrumental, declamação, história e geografia, campeirismo e, arrisco a dizer, de preparação especial, muitas vezes contratados para suprir necessidades do candidato, que não consegue sozinho.



Mas para mensurar esta preparação é necessário um elemento fundamental neste processo: O avaliador. Ele que vai interpretar e emitir um juízo de valores quantitativo e qualitativo do candidato. Para isso deve estar preparado, pois quem avalia também é avaliado. Não é possível que seja esquecido o trabalho que esses jovens desenvolveram ao longo de sua experiência na entidade e na sua região.


Ao longo desses 20 anos tive a oportunidade de vislumbrar os mais diferentes tipos de concursos e avaliações. A regra mudando durante o jogo. Provas descritivas que davam dupla interpretação das respostas. Avaliadores despreparados que nunca, sequer, tinham uma vivencia no meio tradicionalista. Sem falar naqueles que, receberam um destaque por não ter outro, ocupando espaços em mesas de avaliação.



Isso foi terminando ao longo dos anos quando o MTG estabeleceu um concurso único para o estado e regiões. Passou a preparar os avaliadores como multiplicadores de um só regulamento. O que era totalmente subjetivo, passou a ser, em partes, técnico. Ainda falta, em nível de estado, o que algumas regiões já fazem: O concurso integrado, ou seja, todas as entidades daquele município fazem um concurso interno (da sua entidade) com todas juntas, com a mesma regra, mesmos avaliadores e a mesma prova.


Desta forma o candidato, mesmo que único na entidade, concorre, vê as provas dos outros que serão futuros concorrentes na região e, ainda, estimula a preparação por parecer, somente parecer, que está concorrendo com outros e não mais sozinho.


Quer ver o artigo completo? Exclusivo no http://www.portalmtg.com.br/

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Cfor da 26ªRT - ainda tem vagas para Pelotas

Quem estiver interessado em participar do Curso de Formação Tradicionalista (CFOR), módulo básico) em Pelotas, no próximo dia 30 de abril, apresse-se que ainda tem vagas.

Destinado a quem exerce ou pretende exercer funções de liderança no MTG, o evento acontecerá na sede do Colégio Municipal Pelotense, abordando temas como história do Rio Grande do Sul e do Tradicionalismo Gaúcho, objetivos e estrutura administrativa do MTG, a Tese “O Sentido e o Valor do tradicionalismo” e o “Sentido e o Alcance Social do Tradicionalismo”, carta de princípios, gestão de pessoas, liderança, relacionamento interpessoal e gerenciamento de conflitos. O Cfor iniciará às 9h.



As inscrições são no valor de R$ 35 e podem ser pagas através de depósito em nome do Movimento Tradicionalista Gaúcho (Banrisul. Ag: 0100, conta corrente: 06.066982.0-3).

As vagas são limitadas e não serão feitas reservas. A comprovação será feita mediante o envio do comprovante de depósito para o e-mail cursos@mtg.org.br ou por fax para o número (51) 3223.5194. Patrões, capatazes, sota capatazes e agregado das guaiacas tem 50% de desconto

Numeros do Portal MTG


Recebemos o levantamento do Portal MTG e estará no Eco da Tradição deste mês:
200.000 páginas visitadas em 5 meses
 40.000 Ips registrados
  1500 tradicionalistas cadastrados
e meu BLOG chegou a 55.500 acessos

As Materias do Portal MTG. Não perca

Pessoal fizemos materias ótimas..maneirissimas par ao www.portalmtg.com.br e estarão disponíveis nos próximos dias:

- Entrevista com Emerson Ribeiro, instrutor campeão do estado pelo CTG Rancho da Saudade

- Dois editoriasi sobre concursos (Uma reflexão sobre a avaliação e Com o foco no Concurso / Dicas de preparação para as fases do estadual)

- Relembrando VI - A FUNDAÇÃO DA PROVÍNCIA DE SÃO PEDRO, por Manoelito Savaris

- O referencial faz a diferença - por Odila Savaris

- O show de estréia de Juliana  Spanevello no Teatro Tulio Piva em Porto Alegre;


Pela frente ainda teremos como entrevistados:
Jaqueson Espíndola, Ronaldo Estevo, Alexandre Ourique, Gelso Miola, Marcelo Vasconcelos..
- Avaliadores dos concursos de prendas e peões...  tudo isso e muito mais no http://www.portalmtg.com.br 

terça-feira, 19 de abril de 2011

Afinal, o que é ser peão e prenda?

Há muito tenho tentado encontrar justificativas para entender o por quê tantas Prendas e Peões do Rio Grande do Sul, simplesmente, passam por suas gestões. É, passam. Muitos nem são lembrados. Em menos de um ano, mesmo quem está em contato constante com o Movimento Tradicionalista, não lembra quem foram os representantes da juventude gaúcha do ano anterior. Se tentarmos formular uma lista de quem, realmente, valeu a pena nos últimos anos, fica complicado. E, olha, foram muitos, se considerarmos que, a cada ano, são nove novas prendas e seis novos peões. Mas, afinal, será que existe alguma explicação para esta realidade?



Na última sexta-feira, lá em Monte Belo do Sul, durante o Entrevero Cultural de Peões, troquei ideias com algumas pessoas. Questionei várias e tentei entender os por quês. Afinal, sempre me pergunto: será que nosso regulamento está favorecendo esse tipo de situação? Será que somos nós os errados, por talvez não orientarmos da forma correta os jovens (não que eu não seja mais jovem)? Será que a juventude de hoje vive com outros princípios? Será que o problema está na base, ou seja, nas nossas entidades tradicionalistas? É, são as muitas perguntas!


Entretanto, em conversa com o ex-presidente do MTG e atual vice-presidente da CBTG e diretor do Departamento de Pesquisa do Movimento, Sr. Manoelito Savaris, cheguei a conclusão que muitos são os motivos. Não podemos nos limitar a apenas um aspecto. Porém, agora, entendo que o maior problema é a falta de consciência em relação ao verdadeiro papel da Prenda e do Peão Estadual. Muitos jovens fazem de tudo para conquistar os títulos máximos. Mas, quando chegam lá, não sabem para que eles servem, o por quê eles existem. Infelizmente.

Depois de estar no Concurso Estadual de Peões, listei cinco aspectos que considero importantes de serem analisados pelos representantes, neste caso, tanto estaduais, quanto regionais e de entidade. Talvez, muitos devem estar pensando: mas quem é essa louca para dizer o que é importante e o que não é? Quem foi ela? O que ela fez demais? É, talvez eu não tenha feito coisas mirabolantes durante as minhas duas gestões enquanto Prenda Estadual, mas procurei ser digna aos cargos que ostentei. Se errei? Claro que errei. Tanto é que, se pudesse voltar no tempo, faria muita coisa diferente. No entanto, considero que isso natural, afinal, agora tenho mais experiência. De qualquer forma, orgulho-me do que fiz. Talvez, pelo que plantei como 2ª Prenda Juvenil e 1ª Prenda do Estado, hoje, trabalho diretamente com o MTG.

Então, aí vão as minhas considerações:

1º) Não esqueça jamais de onde você veio, digo CTG e região. Lembre-se sempre que foram eles que lhe apoiaram ao longo da caminhada. Claro, às vezes, a relação pode não ser tão próxima, porém, sempre é possível fazer o mínimo. E, quando digo mínimo, é continuar participando das atividades promovidas por eles e os tratando em pé de igualdade. Ser Prenda e Peão Estadual ou Regional, não significa ser mais do que ninguém.


Além disso, serão eles que darão a referência quando outra entidade ou outra região procurar mais informações sobre você. Por exemplo: se eles não lhe indicam para dar uma palestra ou conversar com outros jovens, será que não tem algo errado? Bom, eu acho que tem.


2º) Parece óbvio, todos sabem que as Prendas e Peões são os representantes da juventude gaúcha. No entanto, isto não pode ficar apenas no discurso. A representação deve valer para todas as atividades, todas as situações, todas as ocasiões. Por isso, volte um pouco no tempo e lembre-se do período em que você era peão ou prenda da entidade. Como você gostaria de ser tratado pelos representantes do Estado e da Região? Como você os via? É, exatamente, assim que eles lhe verão.


Sempre costumo dizer, que é possível, e como, se divertir ao longo da gestão. Mas, nos momentos solentes, durantes os eventos, a maturidade deve prevalecer. Ser prenda e peão é ser líder. É isto que todos esperam dos representantes estaduais... liderança. Aí, entra o terceiro item.


3º) Está enganado quem pensa que ser líder significa ser mais do que os outros. Pelo contrário, um bom líder, sabe valorizar o talento de cada integrante da sua equipe. Portanto, ouça sempre os seus colegas. Eles têm conhecimento para contribuir. Isto é imprescindível para o trabalho dar certo. Toda gestão é feita pelo trabalho de equipe.


4º) Mantenha uma relação de confiança com a diretoria do MTG, com as coordenadorias e patronagens. Às vezes, achamos que eles não dão espaço suficiente aos jovens. No entanto, é preciso ter consciência que a conquista do espaço depende de cada um. Então, mostre que você é, opine e dialogue. Na Convenção e no Congresso, vá ao microfone e fale o que você pensa. Participe!


5º) Quando disse, participe... é participar mesmo! Ação!!! Prenda e Peão não foram feitos para carregar maletinha e tirar fotos. O principal é fazer acontecer. Ter projetos, propostas bem estruturadas. Elas podem ser apresentadas diretamente para as patronagens e diretorias, ou nos eventos oficiais. Não importa. O importante é movimentar. Aí também entra o contato com os representantes regionais e das entidades. Permaneçam próximos, não se fechem em grupinhos. E, dentro do possível, aceitem convites para os eventos, viajem, deem palestras.

Deixei apenas cinco dicas. Poderia ter listado tantas outras, mas acredito que estas incluem o mínimo que pode ser feito durante uma gestão.



Bom, agora, resta desejar aos novos Peões do Rio Grande do Sul um excelente ano de trabalho!

Texto da Jornalista Mariana Mallmann
Fotos de Ricardo Lage  - Portal MTG

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Portal MTG entrevista Douglas Uilliam

Fiz uma baita entrevista com o Peão Farroupilha do Rio Grande do Sul para o Portal MTG. Aproveite e confira as respostas de Douglas Uilliam de Quadros da Silva, do CTG Sentinela da Serra, de Garibaldi .

Ainda estaremos trazendo para o Portal muito mais entrevistas: Jaqueson Espíndola, Emerson Ribeiro, Ronaldo Estevo, Lourenço Nunes, Guri Farroupilha do RS.


Já estão postadas as entrevistas do Toni Pereira, do Cuca e do Rodrigo Sartori.

domingo, 17 de abril de 2011

E a 11ª é Bi de Peão Farroupilha

Como em 2010, Peão vem da 11ª Região Tradicionalista


É novamente da Serra Gaúcha o novo Peão Farroupilha do Rio Grande do Sul. Douglas William de Quadros da Silva, do CTG Sentinela da Serra, Garibaldi, 11ª Região Tradicionalista foi o grande vencedor do 23º Entrevero Cultural de Peões e Guris Farroupilha. Na categoria Guri, de 12 a 16 anos, o vencedor é Lourenço de Oliveira Nunes, do Piquete de Laçadores Timbaúva, 15ª Região Tradicionalista. Confira a relação de todos os vencedores abaixo.

Durante dois dias, 29 concorrentes disputaram provas artísticas, campeiras e de conhecimentos gerais, com a finalidade de eleger os representantes da cultura, das habilidades e dos valores do peão gaúcho. Entre outras habilidades, são avaliadas Danças Tradicionais e de Salão, declamação, trova, e mesmo composição de poesias, além de desenvoltura e expressão.

Já as provas campeiras, que mais somam aos candidatos, valem 30


Pontos. Nestas, os participantes realizam sorteio entre as seguintes modalidades: assar, charquear, cevar o mate, emalar poncho (1º sorteio) e ferrar, trançar, tosquiar, laçar, pealar, apartar, tosar e prova de rédeas (2º sorteio).

Agora, os peões iniciam uma série de atividades como representantes do MTG, participando de palestras, oficinas e eventos oficiais do tradicionalismo.

Categoria Peão

Peão Farroupilha – Douglas William de Quadros da Silva – CTG Sentinela da Serra – Garibaldi – 11ª Região Tradicionalista (RT)


Destaque Campeiro – Rodrigo de Oliveira Schneider – CTG Querência de Arroio do Meio – Arroio do Meio – 24ª RT


Destaque Artístico - Cultural – Luiz Antônio Pereira Machado Junior – CTG Sentinela do Sul – Pelotas – 25ª RT

Categoria Guri

Guri Farroupilha – Lourenço de Oliveira Nunes – PL Timbauva – Portão – 15ª RT


Destaque Campeiro – Lucas Peres Amaral da Rosa – CCTG Lila Alves – Pinheiro Machado – 21ª RT


Destaque Artístico – Cultural – Nathan Santos Rolim – CTG Hermagoras Rolim – Inhacorá – 20ª RT
Por: Felipe Basso

Começam as gravações dos senhores da guerra

Neste domingo, dia 17 de abril, começam as filmagens do longa-metragem “OS SENHORES DA GUERRA Parte I - Passo das Carretas”. As primeiras cenas serão no Salão Negrinho do Pastoreio, no Palácio Piratini, onde o governador Borges de Medeiros (interpretado por Hique Gomez) receberá a visita do prefeito Julio Bozano. A partir de segunda, as gravações continuam no distrito do Barro Vermelho em Gravataí, Barra do Ribeiro, Porto Alegre, Marcelino Ramos e Santa Maria, palco dos principais acontecimentos da trama e mobilizarão mais de 150 pessoas, entre equipe, elenco e figurantes.



Dirigido por Tabajara Ruas e baseado no livro homônimo de José Antônio Severo, OS SENHORES DA GUERRA narra a história verídica dos irmãos Júlio e Carlos Bozano, jovens da elite gaúcha no início do século XX, ricos, bonitos e cultos. Embora unidos por profunda amizade, os dois acabam se enfrentando em lados opostos na sangrenta guerra civil de 1924, no Rio Grande do Sul. Júlio é prefeito de Santa Maria e recebe a missão de impedir o avanço das tropas do líder revolucionário general Zeca Netto, de quem Carlos é o secretário particular.


OS SENHORES DA GUERRA é uma grandiosa e inédita produção cinematográfica dividida em dois longas-metragens: Parte I “Passo das Carretas” e Parte II “Passo da Cruz”. Foram 3 meses de ensaios, aulas de equitação, esgrima, dança, simulação de cenas de ação, testes de maquiagem, figurino e efeitos especiais. As filmagens se estenderão por 6 semanas, e além de Gravataí também terá gravações em Barra do Ribeiro, Porto Alegre, Marcelino Ramos e Santa Maria, palco dos principais acontecimentos da trama.


EQUIPE e ELENCO

Com direção de Tabajara Ruas, que assina o roteiro com José Antônio Severo, produção executiva de Ligia Walper, OS SENHORES DA GUERRA tem a premiada equipe de NETTO PERDE SUA ALMA, NETTO E O DOMADOR DE CAVALOS e BRIZOLA TEMPOS DE LUTA na realização. Glauco Urbim e Elias da Rosa respondem pela produção, Ivo Czamanski e Pablo Escajedo dirigem a fotografia, Edu e Raiza Antunes são diretores de arte. A direção musical é de Pirisca Grecco.


No elenco, Rafael Cardoso (Julio Bozano) e André Arteche (Carlos Bozano). Recentemente os dois estiveram em papéis de destaque na novela Tititi, da Rede Globo. Rafael fez o papel de Jorgito, filho da personagem de Christiane Torloni, e André interpretou o cabeleireiro Julinho.
O filme conta também com a participação de mais 40 atores da cena gaúcha, que está se consolidando como um grande celeiro da dramaturgia nacional. Entre eles: Leonardo Machado, Marcos Breda, Marcos Verza, Felipe Kannenberg e Sissi Venturin.


Os principais patrocinadores são EMBRAER, Bradesco, Ambev e Itaú. A produção conta com os apoios do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, do 4º RPMon - Regimento Bento Gonçalves, das Prefeituras de Gravataí e Santa Maria, da Corsan, e do Grêmio Náutico União .

sábado, 16 de abril de 2011

Jantar reune os "filhos de Bagé"

Na noite de 14 de abril, na churrascaria Roda de Carreta do 35 CTG, reuiram-se os filhos de Bagé para uma confraternização que antecipava as comemorações dos 200 anos da Rainha da Fronteira.

Bagé completa 200 anos de história e, sua história, confunde-se com a do Rio Grande do Sul. Terra dos Netos (Antonio de Sousa Neto), da esquina Bianchetti, do Cimirro, da Catedral, de subir e descer a "sete" à noite. Das reuniões na praça esporte da juventude. Dos Bailes no Caixeiral, Comercial e Recreativo. Dos CTGs 93, Prenda Minha, Sentinela da Fronteira, Campo Aberto, Tarciso Taborda, Pampa e Minuano, Tropeiro Velho...

Muita emoção em poder relembrar momentos como estes. Espero qeu meus amigos estejam presentes nos 200 anos em junho. Mas esta festa marcou para nós.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

O Tempo e o Vento com gravações em Pelotas

O que antes era apenas especulação acaba de ser confirmado. Pelotas servirá de locação para o filme O Tempo e o Vento. A garantia de que, pelo menos, algumas cenas serão gravadas na cidade foi feita pelo diretor Jayme Monjardim, que se reuniu com o secretário de Turismo, Eduardo Macluf, no início da tarde desta quinta-feira (14).


As gravações da obra baseada na trilogia de Erico Veríssimo estão programas para iniciar em março do ano que vem. Conforme Macluf, Pelotas foi escolhida pelo cenário das fazendas, charqueadas e conjunto de prédios históricos. Agora falta apenas a definição de onde será construída a cidade cenográfica - no caso, a Santa Fé idealizada pelo escritor gaúcho. Monjardim mantém contato direto com o governo do Estado para que a escolha do município sede seja feita em conjunto.


O Tempo e o Vento chegará aos cinemas na metade de 2012 e à televisão, em forma de minissérie, no final do ano que vem. Na pele do Capitão Rodrigo, Thiago Lacerda e as duas fases da personagem Ana Terra serão divididas entre Glória Pires e a filha Cleo Pires. Fernanda Montenegro viverá Bibiana. Completam o elenco nomes como José Mayer, Tarcísio Meira, Mateus Solano e José Vitor Castiel.
 
Joice Bacelo
Diario Popular - Pelotas

O momento requer invocar: Voltaire

"Deus me defende dos amigos, que dos inimigos me defendo eu"

Voltaire ou François-Marie Arouet, seu verdadeiro nome, foi um ensaísta, poeta, filósofoe historiador francês. Lutando contra o estado absolutista foi um grande defensor da liberdade de expressão. Baseava-se em sua convicção de que o poder devia ser exercido de maneira racional e benéfica.


Frases de Voltaire:

"Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las."
 "É difícil libertar os tolos das amarras que eles veneram"

É inimaginável pessoas que buscam a lei, a justiça, a elevação do espírito em busca do conhecimento não perceber o quão importante é a liberdade de expressão, o livre arbítrio e o poder da critica.

Assim como critico dou o direito de criticarem. Mas cada vez mais convicto que: Quer conhecer uma pessoa? Dê poder a ela.
"O verdadeiro caminho para o grande lider está na liderança servidora" (James Hunter).

Os Festivais pelo Rio Grande

AGENDA DOS FESTIVAIS
ABRIL:
15 à 17 : 8ª Galponeira de Bagé - Bagé - 200 anos


MAIO:
13 a 15:Coxilha Negra – Butiá
13 a 15: 5ª Capela da Canção Nativa - Amaral Ferrador - Inscrições até 11/04
14: 6ª Manoca do Canto Gaúcho - Etapa Local - Santa Cruz do Sul
20 a 22: 12º Um Canto Para Martin Fierro - Santana do Livramento
27 e 28: 21ª Tafona da Canção - Osório - Inscrições até 30/04
27 a 29: 26º Carijo da Canção Gaúcha - Palmeira das Missões - Inscrições até 11/04
27 a 29: 20º Ronco do Bugio -São Francisco de Paula - Inscrições até 13/04


JUNHO:
02 a 05: 27º Reponte da Canção - São Lourenço do Sul
03 e 04: 1ª Tropilha da Música Gaúcha - São Borja - Inscrições até 09/05
20 e 21: 19ª Sapecada da Canção Nativa - Lages/SC

JULHO:
28 a 31: 31ª Coxilha Nativista - Cruz Alta


AGOSTO:
05 a 07: 21ª Guyanuba da Canção Nativa - Sapucaia do Sul
19 a 21: 25ª Moenda da Canção - Santo Antônio da Patrulha
20 e 21:6ª Manoca do Canto Gaúcho - Santa Cruz do Sul

SETEMBRO:
03: Uma Luz Para a Poesia - 1ª Edição - Rio Pardo
24: Sesmaria da Poesia Gaúcha - 16ª Quadra - Osório


29 a 1º/10: 1º Grito do Urutau da Música Crioula - Rio Pardo
30 a 02/10: 17ª Seara da Canção Nativa – Carazinho

OUTUBRO:
14 a 16:19ª Tertúlia Nativista - Santa Maria
28 a 30:19ª Escaramuça da Canção Gaudéria – Triunfo

NOVEMBRO:
11 a 13: 26º Ponche Verde da Canção Gaúcha - Dom Pedrito
19 e 20: 1ª Restinga do Canto Gaúcho -Restinga- Porto Alegre
25 a 27: Um Canto de Luz - 1ª Edição – Ijuí

DEZEMBRO:
01 a 03: 25º Musicanto Sul Americano de Nativismo - Santa Rosa
16 a 18:6º Manancial Missioneiro - Bossoroca

Fonte: Radio Web Terra Gaucha

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Rodrigo Sartori fala para o Portal MTG

Um momento muito esperado pelos tchênautas. Conhecer o Subdiretor de danças do MTG, responsável pelo ENART e pelas comissões que avaliarão em 2011 o festival.


Entrevistei Rodrigo Righes Sartori, 37 anos, formado no Curso Superior de Oficiais da Brigada Militar, Bacharel em Direito e Pós Graduação em Políticas e Gestão em Segurança Pública e, atualmente, Conselheiro do MTG.

Muitas especulações, muitas dúvidas, muitas preocupações. Mas agora, uma certeza. Rodrigo Sartori diz de onde veio, por que veio e o planejamento para 2011. Vamos conhecer a trajetória, as características e a vida de Rodrigo Sartori, Conselheiro e subdiretor de danças do MTG. Não percam, estará no http://www.portalmtg.com.br/ onde os CTGs se encontram

Odila Savaris, no Portal MTG

O Movimento Tradicionalista Gaúcho, para implantar a nova filosofia de simplificação dos processos, na área da cultura, buscou para compor a sua diretoria Odila Paese Savaris, formada em Pedagogia, com pós graduação em gestão de pessoas e competências e especialização em docência universitária.

Já no primeiro grande evento, os seminários da FECARS, colocou em prática a nova metodologia que foi aplaudido pelos participantes. Sem filas, certificados entregues ao final do evento, sem burocracia, simpatia no atendimento, enfim, pelo resultado a aprovação foi geral.
Então, fui dar uma proseada  com a Dona Odila, como é conhecida, para o Portal MTG. Veja como foi a charla no http://www.portalmtg.com.br/ .

A Honestidade, por Jarbas Lima

A pessoa honesta tem direito de buscar a felicidade. Merece fazê-lo. Persegui-la, sem que isto implique a necessidade de passar por cima da própria honestidade, como se esta fosse causa impeditiva de alcançá-la. Honestidade e felicidade ou coexistem ou não existem.

Desonestidade e felicidade são conceitos que se repelem, realidades que se excluem, caminhos que não se encontram. Pessoas honestas são padrões para boas pessoas. Desenvolvem talentos reconhecíveis facilmente. Ao contrário dos desonestos que se protegem na sombra, fogem da luz.

Os bons respiram a solidariedade, comovem-se com o sofrimento do próximo, não conhecem a solidão. Tem ligações sólidas. Honestidade é bondade, é certeza. Honestidade é desenvolvimento de virtudes. A aura da pessoa honesta é o caráter. É confiável. Quer que a vida seja boa para todos. A honestidade é o objetivo do justo. É o norte da felicidade.
A bondade é a identidade dos honestos. O honesto sabe e aceita que toda a rosa tem espinhos. Respeita a lei, orgulha-se dos bons costumes. Os honestos compreendem que a vida não é obra apenas do prazer, mas do trabalho, do sofrimento, da resignação e da esperança. Pessoas honestas sonham com um mundo feliz. E para todos. As pessoas honestas adotam o discurso do valor, da justiça, da cidadania. O honesto responde à convocação do dever. Tem atitude. É movido pela razão prática. Aceita sua realidade social. Luta sem ódios por seus sonhos e esperanças.

O honesto é probo. Operário ou presidente. O honesto não precisa jurar. Sua vida é o compromisso. Tem caráter. O honesto mede seus direitos pelos seus deveres. É correto sem precisar de elogios. Sua felicidade é ser justo. O honesto não teme a suspeita de ser considerado imbecil. Para ele, sem honestidade nada mais teria sentido. Não tem vergonha de ser honesto.

A sociedade é um organismo vivo. Tem vontade própria. O indivíduo é parte do todo. Quando desonesto contamina a sociedade. O voto concretiza a cidadania, exerce a democracia, diz a vontade geral. Como a democracia direta é impossível, impõe-se a representação. Votar é escolher um igual. Com os mesmos valores. Com os mesmos princípios. Votar é sentir orgulho do representante. É ter satisfação em identificá-lo. É propalar suas ações. Por isso, honesto vota em honesto. Estas são reflexões necessárias em ano eleitoral.

Fotografo Gaúcho no Minas Tchê

Antenor Tatsch Júnior, fotografo oficial da cavalgada do mar, estará em Minas Gerais representando o Rio Grande do Sul numa mostra regional da cultura do Sul. www.minastche.com.br é o endereço do evento


Parabéns Júnior pelo trabalho e pelo teu "olhar farroupilha"

terça-feira, 12 de abril de 2011

Posição correta das bandeiras

Em qual desses casos as bandeiras estão colocadas corretamente? Em ambos casos temos um número impar, ou seja, tres bandeiras, independente de seus valores, mas sempre presentes a do Brasil e a do Rio Grande. Colocação bandeiras de acordo DF 70.274 de 9 /03/72


Art 31. A Bandeira Nacional em todas as apresentações no território nacional, ocupa lugar de honra, compreendido como uma posição:



I - Central ou a mais próxima do centro e à direita deste, quando com outras bandeiras pavilhões ou estandartes, em linha de mastros, panóplias, escudos ou peças semelhantes;



II - Destacada à frente de outras bandeiras, quando conduzida em formaturas ou desfiles;



III - À direita de tribunais, púlpitos, mesas de reunião ou de trabalho.

Parágrafo único: Considera-se direita de um dispositivo de bandeira a direita de uma pessoa colocada junto a ele e voltada para a rua, para aplatéia ou de modo geral, para o público que observa o dispositivo.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Marca de Campo dia 21 de maio no Gildo

Quando: 21/05

O que? JANTAR BAILE

Quanto? R$15,00

Quem anima? Grupo Marca de Campo

Onde? CTG GILDO DE FREITAS Inv Adulta (Os Bolicheiros)

Convite de Leandro Barbosa 9258-7002 e Elisa Motta 9324-7533


Estacionamento Privativo...Esperamos por vocês

Os Senhores da Guerra - em Produção


OS SENHORES DA GUERRA é uma grandiosa produção cinematográfica dividida em dois longas-metragens: Parte I "Passo das Carretas" e Parte II "Passo da Cruz". Baseada no livro homônimo de José Antônio Severo, narra a história verídica de dois irmãos, Júlio e Carlos Bozano, jovens da elite gaúcha no início do século XX, ricos bonitos e cultos.

Unidos por profunda amizade, acabam se enfrentando em lados opostos na sangrenta guerra civil de 1924, no Rio Grande do Sul. Júlio é prefeito de Santa Maria e recebe a missão de impedir o avanço das tropas do líder revolucionário general Zeca Netto, de quem Carlos é secretário particular.


Na foto (a partir da esq.), Leonardo, Marcos, André e Tabajara

Tabajara Ruas reuniu antes das filmagens, o elenco de “Os Senhores da Guerra” para uma primeira leitura e a apresentação dos atores. Reuniu os protagonistas André Arteche e Rafael Cardoso, que fizeram parte da novela Ti-ti-ti da Globo.

Os atores puderam conhecer detalhes da época, da trama e dos personagens que eles interpretarão nas filmagens que ocorrerão em Santa Maria, Gravataí, Marciliano Ramos, Barra do Ribeiro e outros lugares do RS.

Ainda participaram da leitura os atores Leonardo Machado, Marcos Breda e Zé Vitor Castiel. Os atores de “Os Senhores da Guerra” tiveram aulas de montaria em parceria com a Brigada Militar. Tudo para preparar o elenco para as cenas de batalha que estão sendo gravadas no Passo do Verde.

O Rio Grande recebe os seus novos Peões

23º Entrevero Cultural de Peão e Guri Farroupilha do Estado.

Monte Belo do Sul receberá o Rio Grande tradicionalista, pois o Rio Grande do Sul se prepara para mais uma edição do Entreverto Cultural de Peões do RS.

Na madrugada de domingo, em Monte Belo, já iremos conhecer os novos representantes da arte e do camepirismo gaúcho.

domingo, 10 de abril de 2011

Encontro de Avaliadores do MTG no Portal


O Portal MTG trás esta semana o Encontro de Avaliadores do MTG para os concursos de prendas e peões, que aconteceu no colegio Rainha do Brasil e que fiz materia exclusiva para nossos Tchênautas. Palestrantes como Toni Pereira e Mariana Mallmann abrilhantaram o evento com seus conhecimentos e experiencias.
Foram 27 regiões participantes. Faltaram ao evento somente um percentual de 10%. O que mostra o crédto que as regiões estão dando para o trabalho da vice-presidência de cultura e o departamento de cursos.
Um belissimo registro fotográfico e uma materia exclusiva vocês encontrarão no http://www.portalmtg.com.br/


Foi muito bom também, encontrar velhos amigos, muitos deles veteranos avaliadores de concursos. As palestra mostraram o que eu já sabia há muito tempo: Muita gente quer ser avaliador de concursos e organizador, mas não tem a mínima competência para isso.


No ano passado eu consegui ver um fantástico festival de "trapalhadas" num concurso que o resultado se alterou, talvez não por maldade, mas por pura incopetencia e trapalhada. Poucas questões na prova elevaram a pontuação de cada uma delas. Quando foram anuladas, por "n" motivos, cada questão representava muitos pontos e, uma só questão, poderia determinar o resultado do concurso.


Tivemos prova escrita mal elaborada (tem que ser seguido o conteudo publicado na coletânea), ver numero de questões para não supervalorizar individualmente, mas lembrar que muitas vezes uma questão de um ponto decide o concurso. imagina ela valendo dois ou tres.

Questões não podem ter dupla interpretação ou existir duas resposta para ela


Foi "Hiper explicado" sobre apoio vocal ou instrumental. As danças tradicionais como devem ser avaliadas. Lembrem que nem todo grande jogador de futebol é um grande treinador. Nem todo destaque de faixa ou crachá credencia a ser um grande organizador de concurso de prendas e peões ou avaliador. Isso deve ficar claro.